A cura no Senhor através do amor

Padre Rufus
Foto: Robson Siqueira/cancaonova.com

Como eu disse, o Evangelho de Jesus não é um Evangelho de grandes pregações e com alta filosofia, mas sim de exemplos simples, porque o Evangelho foi escrito para os simples.

Há muito anos atrás eu fui visitar a Terra Santa, e quando estávamos caminhando pelas ruas de Jericó, que é a cidade mais antiga do mundo, eu vi um galho grande de uma árvore no meio da rua, e eu perguntei ao guia o que era e o que significava aquele galho e ele a disse que era o galho utilizado por Zaqueu para ver Jesus. E a passagem que acabamos de ouvir veio à minha mente. Portanto, o Evangelho tem histórias muitos simples, mas muito profundas, como de Evangelho de hoje.

Havia uma multidão querendo ouvir e ver Jesus nas ruas daquele vilarejo, mas o Senhor viu que tinha alguém que não estava nas ruas junto com a multidão, mas que estava em uma ávore, procurando ao menos vê-Lo. Toda a multidão estava olhando para Jesus, mas o Senhor estava olhando para Zaqueu e todos sabiam quem este era, um milionário, um homem muito ruim e perverso, mas Cristo não ouviu a murmuração das pessoas, mas somente ouviu a voz de Zaqueu que gritava. Jesus olhou para Zaqueu e disse: "hoje eu quero jantar na sua casa". Zaqueu desceu depressa e deixou o Senhor entrar em sua casa, e quando eles estavam tomando a refeição, ele disse a Jesus que queria mudar de vida, mais que isso: ele queria ter uma vida nova e desfazer todo mal que havia feito.

Ao relatar este fato Jesus quer nos falar que os que vivem como Zaqueu também precisam de cura e libertação e que Ele não veio para os justos, mas para os pecadores. Ele veio salvar os que estavam perdidos e precisando de uma vida nova.

"Quando resistimos ao amor de Deus, abrimos uma porta para que o inimigo aja em nós", explica padre Rufus
Foto: Robson Siqueira/cancaonova.com

 :: Veja fotos no Flickr
:: Veja + fotos também no Facebook

Para concluir este encontro, gostaria de explicar para vocês que o demônio só ataca dois tipos de pessoas:
– aquelas que são muitos más, que dão abertura para que o demônio aja nelas. Essas o demônio já as possuem;
– e as pessoas que de fato são muitos boas, boas mesmo, porque elas são um perigo para o demônio.

Isso talvez não aconteça conosco, mas à medida que você quiser ser realmente santo, talvez esses ataques comecem a acontecer.

Nós precisamos diariamente de cura e libertação. Cura dos ferimentos que outras pessoas causaram em nós, e libertação do mal que possa ter sido jogado em nós, por isso precisamos rezar o Pai-nosso da forma que expliquei, para que verdadeiramente o Senhor nos liberte de todo o mal. Amém!

:: Ouça os exemplos de libertação contados pelo padre Rufus

Transcrição e Adaptação: Mariana Lazarin Gabriel


Padre Rufus Pereira


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo