A eterna aliança de Cristo

Ouvimos na continuação dos Atos dos Apóstolos, que nos acompanham durante todo esse tempo de Páscoa, como o Espírito Santo acompanha de uma maneira especial a pregação de Pedro, a conversão de Paulo, toda a atividade da evangelização do primeiro século e vimos como São Pedro cura aquele paralítico, que estava na porta do templo, quando este pedia esmola, falando-lhe: \”Ouro e prata eu não tenho, mas o que eu tenho tudo te dou, em nome de Jesus Cristo, levanta-te e anda!\”.

Foi o primeiro milagre que São Pedro fez e que causou toda aquela perseguição por parte dos chefes dos sacerdotes, que queriam proibir que eles pregassem em nome de Cristo, porque desde o começo havia toda aquela repressão, de forma nenhuma queriam que Cristo fosse pregado na cruz e, sobre tudo, que este crime fosse jogado no rosto deles: \”vocês mataram o justo, o Senhor da vida\”, eles nunca poderiam suportar que fossem tão claramente denunciados.

Pedro continuou firme, assim como os outros apóstolos, e como nos diz, hoje, o livro dos Atos dos Apóstolos: a Igreja estava vivendo um momento privilegiado de paz, de crescimento, tanto na Judéia como na Galiléia e na Samaria, foi um primeiro momento de deslumbramento, de grande êxito, porque justamente o Espírito Santo tinha descido, com força total, sobre os apóstolos em Pentecostes e Jesus já tinha dito: \”vocês farão obras admiráveis, mais do que aquelas que eu faço!\”.

No trecho lido hoje, vemos o paralítico curado, a menina Talita, que é ressuscitada, mas Pedro primeiro se ajoelha e reza, pois sabe que não é a força dele, mas do Espírito Santo que realiza os milagres. Só Deus pode devolver a vida a quem está morto. Então, em primeiro lugar, devemos agradecer a Deus, porque vimos que o Cristo ressuscitado, ao subir à direita do Pai, prometeu nos mandar o Espírito Santo, que nos conforta, nos fortalece e nos anima.

Então, toda esta fase do primeiro século foi de grande êxito e de grande alegria para todos os cristãos das primeiras comunidades. Sabemos que no trabalho de evangelização vem também a perseguição, as frustrações, porque a Palavra de Cristo é dura como o Evangelho acaba de dizer.

Nós vimos quanta gente, na Semana Santa, ficou perturbada com aquela história do \’evangelho de Judas\’, que sabemos que são apócrifos e que foram escritos lá pelo século terceiro, e agora esse \’Código da Vinci\’, tudo para confundir os cristãos. Como disse padre Raniero Catalamessa em sua homilia, na Semana Santa, Cristo foi vendido por umas moedas de prata, preço de um jumento na época. Hoje, está sendo vendido por milhares de dólares, por meio dessas fantasias que vem perturbar a fé dos cristãos, porque para ser cristão precisa-se aceitar plenamente a ação do Espírito Santo, e tem que deixar-se atrair pelo Pai.

Como Jesus falou: \”se alguém não é atraído por meu Pai, não vai ver a mim\”. Estamos celebrando a Eucaristia, pois cremos que Jesus se faz presente com Seu Sangue, Corpo, Alma e Divindade, deixando a substância do pão, a qual permanece só na aparência, mas é a própria substância do Cristo vivo presente. É um sacramento de fé, que só pode ser adorado, aceito e com alegria partilhado.

Toda missa é ação de graças. Erguemos o cálice com o sangue de Cristo, que derramou todo seu Sangue para nos purificar de todo o pecado e celebrar conosco uma nova e eterna aliança.


Dom Emílio


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo