A Eucaristia nos transforma em Jesus

Professor Felipe Aquino
Foto: cancaonova.com/Daniel Mafra

A Festa de Corpus Christi existe na Igreja há muito tempo, é importante entender que essa festa não foi criada por um Papa, pois foi Jesus quem a pediu a Juliana de Cornillon, de origem belga, do século XIII, santa mística adoradora do Santíssimo Sacramento. Jesus pediu a ela que solicitasse ao Papa uma festa em honra ao Seu Corpo e ao Seu Sangue que fosse celebrada numa quinta-feira depois da oitava de Pentecostes.

Há três festas importantes na Igreja, que continuam por oito dias após a data de sua celebração [por isso recebem o nome de oitavas]: o Natal, a Páscoa e Pentecostes. Cristo quis essa celebração justamente depois do período pascal, que termina com a Festa de Pentecostes. Por que quinta-feira? Porque foi o dia em que Ele instituiu a sagrada Eucaristia na Quinta-feira Santa.

Deus deu a essa santa a graça de conhecer um cardeal, que se tornaria o Papa Urbano IV tempos depois, a quem ela transmitiu a solicitação que o Senhor havia feito a ela. Contudo, a Igreja é cautelosa, prudente e lenta ao avaliar esse tipo de situação. Então Deus deu um sinal ao Papa, quando este estava fora de Roma, em Orvieto, com todos os seus assessores, dentre os quais estava São Tomás de Aquino. Em uma cidade vizinha chamada Bolsena aconteceu um Milagre Eucarístico; um padre chamado Pedro estava presidindo a Santa Missa e, por ter duvidado da presença real de Jesus na Eucaristia, começou a pingar Sangue da hóstia, então ele informou o ocorrido ao bispo e este avisou ao Sumo Pontífice, que estava ali perto. O Santo Padre mandou que levassem a ele o corporal com a hóstia manchada de sangue. Quando o Papa a viu afirmou: “É Corpus Christi”. Foi então que surgiu toda essa devoção do Corpo de Cristo que vivemos hoje.

É o único dia do ano em que Jesus Sacramentado sai às ruas no ostensório. Neste dia, Jesus sai para ser adorado por todos e para abençoar as nossas cidades. O cristão que, podendo fazê-lo, não vai às ruas para se encontrar com Cristo não tem fé e não ama o seu Deus.

Jesus quis esta festa para mostrar ao mundo que a Eucaristia é a presença real d'Ele, que vem ao nosso encontro para ser nosso alimento e remédio. Ele torna-se sustento para nossa vida e cura as feridas que o pecado deixa em nossa alma.

Não houve um santo na história da Igreja que tenha se santificado sem a Eucaristia. Todos os santos da Igreja trazem esta característica: são adoradores!

Na Santa Ceia, Jesus nos diz algo fundamental para nossa santificação: “Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Assim também vós: não podeis tampouco dar fruto, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” (Jo 15, 4-5). Olha a ordem que Jesus dá a nós: “Permanecei em mim e eu permanecerei em vós!”.  Neste capítulo, narra-se o episódio da “videira e os ramos”; você já viu um galho de goiabeira cortado dar frutos? Se você cortar o ramo ele cai no chão, seca e morre. Por isso o Senhor Jesus nos ensina que, ao permanecermos n'Ele, daremos frutos. 

Como permanecer em Cristo? Sobretudo pela Eucaristia, por meio da qual Ele vem a nós por inteiro, em Corpo, Sangue, Alma e Divindade. A Carne de Jesus se une à nossa carne, pois nossa carne é fraca. Não queremos pecar, mas pecamos, até São Paulo vivia isso, pois ele mesmo diz: “Não faço o bem que quereria, mas o mal que não quero” (Rm 7, 19). Esse gigante da Igreja gemia sob a fraqueza de sua carne. Imagine nós! E por isso a Carne de Jesus cura a nossa carne.

"Santo Agostinho diz que Deus não é para se compreendido, mas para ser adorado!", afirma professor Felipe
Foto: cancaonova.com/Daniel Mafra

Meus irmãos, nós precisamos amar a Eucaristia! Infelizmente, a maioria dos católicos ainda não acordou, pois se entendêssemos isso com profundidade todos os dias iríamos querer comungar. Há pessoas que não conseguem acreditar como um pedacinho de Pão Consagrado pode ser Jesus; e se esquecem de que, para Deus, nada é impossível.  Santo Agostinho diz: "Deus não é para se compreendido, mas para ser adorado!", porque ninguém vai conseguir entender racionalmente que Jesus está presente na Eucaristia. Deus quer, diz e tem poder para isso. 

Meus irmãos, nós somos fracos porque não comungamos ou comungamos mal e nisso temos algo perigoso. São Paulo nos ensina: “Quem come e bebe do corpo do Senhor sem se examinar, come e bebe da própria condenação.”

Santo Agostinho nos ensina a respeito da Eucaristia que: “Sendo Deus onipotente, não pode dar mais a nós do que a Eucaristia, sendo sapientíssimo, não soube dar mais, e sendo riquíssimo não teve mais a nos dar do que a Eucaristia.”

Por que a Eucaristia é o maior de todos os sacramentos? Nos outros sacramentos Deus transfere Sua graça para nós, mas na Eucaristia Ele mesmo se dá a nós.

Ainda que friamente, aproxime-se da Eucaristia confiando na misericórdia de Deus, mesmo que você não tenha entusiasmo. Quando você se vê em uma dificuldade ou vive uma dor fica por vezes frio, busque o Senhor, pois esta é a hora em que Ele mais o quer ter perto.

Jesus não quis nos dar apenas o Seu Evangelho e morrer na cruz para nossa salvação. Ele quis nos dar a Sua presença real no meio de nós pela Eucaristia.

 

 

Transcrição e adaptação: Paulo Pereira


Prof. Felipe Aquino


Doutor em engenharia mecânica, pregador e escritor

Facebook
Twitter
Blog

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo