A família começa no namoro

Professor Felipe Aquino
Foto: Robson Siqueira/CN

Hoje é o “Dia do Namorados” e é também o dia do Imaculado Coração de Maria. E este acampamento é um presente do Coração Imaculado de Nossa Senhora para os casais de namorados, noivos e para aqueles que são casados também. Você sabe que não pode haver vontade melhor do que a vontade de Deus. E por quê? Porque não existe alguém mais inteligente do que Ele. Se você não seguir a Deus, corre-se o risco de estar como aquele motorista que dirige um carro em direção ao desfiladeiro, ou seja, a sua vida fica desgovernada!

É possível ter um namoro “em Deus”? Sim, é possível! E durante este encontro nós perceberemos isso.

Eu tenho trabalhando com os jovens há anos. E no livro que escrevi sobre o namoro, eu falo exatamente sobre o namoro cristão, ou seja, um namoro sem relação sexual antes do casamento, um namoro sério, que é exatamente o contrário daquilo que o mundo ensina hoje. Este livro, graças a Deus, atualmente é o mais vendido dentre todos os meus sessenta livros.

Percebo, com isso, que o jovem gosta desse “desafio” que é o namoro cristão! Mas não se iluda: você, jovem, será ridicularizado ao assumir em sua vida um namoro cristão. As pessoas não entendem hoje a seriedade e a beleza do namoro segundo a vontade de Deus. Gosto de afirmar que o casamento é um namoro que deu certo! O namoro é uma experiência maravilhosa, mas também pode ser algo destrutivo quando vivido como se fosse uma “brincadeira”.

Começo com essa pergunta: “Onde você quer chegar?” Quando você se põe a construir uma casa, é necessário um projeto, que é a planta da casa. Da mesma forma, a sua família também precisa ser “projetada” e, para isso, é preciso viver bem o tempo do namoro. Na construção de uma casa, a parte mais demorada consiste em colocar os alicerces. Precisa ser algo muito bem feito para a casa não ruir! Por que tantos casais vivem numa briga constante no casamento e até se separam? Porque o alicerce, a base, que é o tempo do namoro não foi bem construído.

Você não pode brincar com o seu namoro! Porque, ao brincar com ele, você coloca em risco o seu futuro casamento, a sua futura família. A Bíblia é divida em Antiga Aliança e Nova Aliança. E que “ aliança” é essa? É a união de Deus com Israel, sua esposa. E, na Nova Aliança, a união de Jesus com a sua esposa que é a Igreja.

Paulo vai dizer aos maridos que devem amar suas esposas como Cristo amou a Sua Igreja. E isso é muito sério: o amor de um homem por uma mulher, dentro do sacramento do matrimônio, representa o amor de Jesus por Sua Igreja. E é um amor “até a cruz”. Da mesma forma, a Igreja é fiel a Cristo até o martírio. Quantos mártires existem na história da Igreja. É desta fidelidade “até a morte”, que Paulo afirma que deve existir no casamento.

No namoro e no noivado deve-se ir preparando o relacionamento com o amor verdadeiro visando esta fidelidade perene. É um amor verdadeiro que você deve levar para o casamento, e não um “amor de novela”! O namoro é para ir aprendendo a relacionar-se dentro desta escola do amor verdadeiro.

" O namoro, meus irmãos, é para isso: preparar o casal para ser “uma só carne”. Deus quer o casal unido."
Foto: Robson Siqueira/CN

Hoje chamamos o egoísmo de amor. Há uma diferença entre amar e gostar. Nós gostamos de coisas. As coisas satisfazem o nosso egoísmo. Nós amamos as pessoas. E com pessoas nós não podemos fazer como se faz com as coisas, como se faz com uma “laranja”, onde se descaca, chupa até o bagaço e depois joga-se na lata do lixo!

Quantos rapazes irresponsáveis, covardes, acabam gerando um filho, deixando a moça sozinha e abandonando o próprio filho! Quem abandona o próprio filho é capaz de abandonar a tudo! E por que acontecem essas coisas? Porque o namoro foi vivido como uma brincadeira… Não foi levado à sério, infelizmente.

Nesses mais de quarenta anos de caminhada dentro da Igreja, eu já vi muita gente chorar por estar sofrendo. Mas jamais vi alguém chorar por estar vivendo na lei de Deus.

O namoro é isso: o início para esta bela caminhada em direção ao casamento. Quando, no livro do Gênesis, está escrito que Deus tirou Eva “da costela” de Adão, isso quer dizer que Deus tirou a mulher de dentro do homem. É lógico que isso é uma alegoria. Mas o que a Palavra de Deus quer nos ensinar afirmando que a mulher veio de dentro do homem? Significa que a mulher gosta de sentir-se protegida pelo homem, abraçada pelo homem que lhe dá segurança.

Por isso, nós, homens, não temos o direito de agir com estupidez para com as mulheres. Deus criou o homem e a mulher para ser “uma só carne”. Aí está o fundamento da humanidade. O homem e a mulher unidos profundamente, como acontece com o “café com leite”, que não dá mais para separar!

"O namoro é isso: o início para esta bela caminhada em direção ao casamento."
Foto: Robson Siqueira/CN

O namoro, meus irmãos, é para isso: preparar o casal para ser “uma só carne”. Deus quer o casal unido. E ser unido é não deixar a mentira entrar no casamento, no noivado e no namoro. Quando a mentira entra no relacionamento, é gerado o ciúme, a traição, e coloca-se tudo a perder!

Você e sua esposa vivem como “uma só carne” ou a mentira já entrou nesse relacionamento?

Quando eu falo de infidelidade, não digo apenas da infidelidade conjugal , mas também da infidelidade financeira e da social: o marido que vai ao bar e lá só sabe falar mal da esposa é um marido infiel!

O namoro é o tempo da escolha. É o tempo do conhecimento. O tempo onde você vai escolher aquela pessoa com a qual você quer ser “uma só carne”, quer unir-se para formar esse “café com leite” inseparável! Entende?

Portanto, um namoro onde só há briga, discórdia, onde não existe o diálogo, a busca do conhecimento, é melhor que termine (mesmo que isso traga dor para você). Lembre-se: o namoro é uma experiência maravilhosa, mas precisa ser levado muito a sério.



Prof. Felipe Aquino


Doutor em engenharia mecânica, pregador e escritor

Facebook
Twitter
Blog

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo