A salvação é total

Padre Michel Sakr
Foto:Robson Siqueira

"Aproximou-se dele um leproso, suplicando-lhe de joelhos: 'Se queres, podes limpar-me'. Jesus compadeceu-se dele, estendeu a mão, tocou-o e lhe disse: 'Eu quero, sê curado'. E, imediatamente, desapareceu dele a lepra e foi purificado. Jesus o despediu imediatamente com esta severa admoestação: 'Vê que não o digas a ninguém; mas vai, mostra-te ao sacerdote e apresenta, pela tua purificação, a oferenda prescrita por Moisés para lhe servir de testemunho'. Este homem, porém, logo que se foi, começou a propagar e divulgar o acontecido, de modo que Jesus não podia entrar publicamente numa cidade. Conservava-se fora, nos lugares despovoados; e de toda parte vinham ter com ele." (Marcos 1,41-45).

A lepra, hoje, é uma doença que pouco existe, mas, naquela época, afastava as pessoas da sociedade; era considerada como um castigo de Deus. O leproso era excluído de todos. Este leproso, que se aproximou de Jesus, buscou-O dizendo: "Se queres, podes limpar-me." Ele confiou em Deus. Você, diante das situações da sua vida, também precisa confiar. O leproso, para sair da sua condição de doença, gritou aos sacerdotes, à Igreja e Jesus lhe falou: "Vê que não o digas a ninguém; mas vai, mostra-te ao sacerdote e apresenta, pela tua purificação, a oferenda prescrita por Moisés para lhe servir de testemunho." Eu lhe digo, agora: "Vá à Igreja e procure o seu pároco, o padre.

O terceiro passo do leproso foi propagar, ao mundo inteiro, a sua cura. Você pode dizer, diante da sua vida: "Se quiser, Senhor, pode curar-me.

Padre Michel Sakr,pároco da Catedral Nossa Senhora do Líbano
Foto: Elcka Torres / Fotos CN

"Alguns dias depois, Jesus entrou novamente em Cafarnaum e souberam que ele estava em casa. Reuniu-se uma tal multidão, que não podiam encontrar lugar nem mesmo junto à porta. E ele os instruía. Trouxeram-lhe um paralítico, carregado por quatro homens. Como não pudessem apresentar-lho por causa da multidão, descobriram o teto por cima do lugar onde Jesus se achava e, por uma abertura, desceram o leito em que jazia o paralítico. Jesus, vendo-lhes a fé, disse ao paralítico: "Filho, perdoados te são os pecados." Ora, estavam ali sentados alguns escribas, que diziam uns aos outros: "Como pode este homem falar assim? Ele blasfema. Quem pode perdoar pecados senão Deus?" Mas Jesus, penetrando logo com seu espírito nos seus íntimos pensamentos, disse-lhes: "Por que pensais isto nos vossos corações? Que é mais fácil dizer ao paralítico: Os pecados te são perdoados, ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito e anda? Ora, para que conheçais o poder concedido ao Filho do homem sobre a terra (disse ao paralítico), eu te ordeno: levanta-te, toma o teu leito e vai para casa." No mesmo instante, ele se levantou e, tomando o leito, foi-se embora à vista de todos. A, multidão inteira encheu-se de profunda admiração e puseram-se a louvar a Deus, dizendo: "Nunca vimos coisa semelhante."”(Marcos 2,1-12)

Pessoas vieram de toda parte para escutar Deus, porque acreditavam no poder d'Ele.

"Trouxeram-lhe um paralítico, carregado por quatro homens". Estes quatro homens somos nós, que levamos os outros ao encontro de Cristo. Precisamos ser pessoas que levam outras pessoas a Jesus, para que elas sejam curadas e libertas. Aquele paralitico foi curado, porque, neles, Jesus viu a fé.

Outros milagres de Jesus foram: a cura da mulher hemorroísa e a ressureiçao da filha do Jairo. "Ora, uma mulher que padecia de um fluxo de sangue havia doze anos, e tinha gasto com médicos todos os seus bens, sem que nenhum a pudesse curar, aproximou-se dele por detrás e tocou-lhe a orla do manto; e no mesmo instante lhe parou o fluxo de sangue. Jesus perguntou: Quem foi que me tocou? Como todos negassem, Pedro e os que com ele estavam disseram: Mestre, a multidão te aperta de todos os lados. Jesus replicou: Alguém me tocou, porque percebi sair de mim uma força. A mulher viu-se descoberta e foi tremendo e prostrou-se aos seus pés; e declarou diante de todo o povo o motivo por que o havia tocado, e como logo ficara curada. Jesus disse-lhe: Minha filha, tua fé te salvou; vai em paz. Enquanto ainda falava, veio alguém e disse ao chefe da sinagoga: Tua filha acaba de morrer; não incomodes mais o Mestre. Mas Jesus o ouviu e disse a Jairo: Não temas; crê somente e ela será salva. Quando Jesus chegou à casa, não deixou ninguém entrar com ele, senão Pedro, Tiago, João com o pai e a mãe da menina. Todos, entretanto, choravam e se lamentavam. Mas Jesus disse: Não choreis; a menina não morreu, mas dorme. Zombavam dele, pois sabiam bem que estava morta. Mas segurando ele a mão dela, disse em alta voz: Menina, levanta-te! Voltou-lhe a vida e ela levantou-se imediatamente. Jesus mandou que lhe dessem de comer. Seus pais ficaram tomados de pasmo; Jesus ordenou-lhes que não contassem a pessoa alguma o que se tinha passado" (Lucas 8,13-56).

Padre Michel Sakr,pároco da Catedral Nossa Senhora do Líbano
Foto: Elcka Torres / Fotos CN

Hoje, toda sociedade sofre de "fluxo". Todos nós temos um sofrimento; todos nós precisamos de cura. E nós a conseguimos quando tocamos em Jesus, pois, ao tocá-lo, recebemos a salvação. Para tudo isso, precisamos ter fé.

"Chegaram a Jericó. Ao sair dali Jesus, seus discípulos e numerosa multidão, estava sentado à beira do caminho, mendigando, Bartimeu, que era cego, filho de Timeu. Sabendo que era Jesus de Nazaré, começou a gritar: 'Jesus, fílho de Davi, em compaixão de mim!' Muitos o repreendiam, para que se calasse, mas ele gritava ainda mais alto: 'Filho de Davi, tem compaixão de mim!' Jesus parou e disse: 'Chamai-o'. Chamaram o cego, dizendo-lhe: 'Coragem! Levanta-te, ele te chama'. Lançando fora a capa, o cego ergueu-se dum salto e foi ter com ele. Jesus, tomando a palavra, perguntou-lhe: 'Que queres que te faça?' Rabôni, respondeu-lhe o cego, que eu veja! 52 Jesus disse-lhe: 'Vai, a tua fé te salvou'. No mesmo instante, ele recuperou a vista e foi seguindo Jesus pelo caminho" (Marcos 10, 46–52).

Neste milagre, contemplamos Jesus como a luz do mundo. Cristo veio iluminar as nossas vidas; Jesus veio abrir nossos olhos interiores e exteriores; e, assim, acontecer o nosso êxodo: sair da escravidão e sermos salvos.

Trnascrição e adaptação Elcka Torres


Padre Michel Sakr


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo