A santidade na família

Professor Felipe Aquino
Foto: Maria Andrea / cancaonova.com

É com muito carinho que a Canção Nova prepara para você eventos como esse. A família, como dizia o papa João Paulo II, é o patrimônio da humanidade, ou seja, é o bem pátrio, que ninguém pode tirar, pois sem ela a humanidade padece.

A família é a Célula Mater, ou seja, é a primeira, onde dela se multiplica e forma a sociedade, uma vez que a família é destruída, a sociedade também é destruída. Para o beato, os inimigos de Deus sabem que não podem destruí-Lo, então fazem de tudo para destruir a família, por isso sabemos que ela, nos dias atuais, está em crise.

Nessa semana, vimos que o Congresso Nacional aprovou a lei a favor do aborto e que agora só basta o sim da presidente para ser aprovado. Irmãos, a família é o santuário da vida, é um lugar sagrado. É nela que a vida é educada e vivida até a morte. O papa Francisco, disse: “O que acontece hoje, a falsificação da família, onde vimos homem com homem; mulher com mulher, não é obra de Deus, mas do demônio, para destruir o plano do Criador”.

Quando Deus pensou na humanidade, Ele fez um plano, fazendo o homem e a mulher a sua imagem e semelhança. Deus retirou a cada um de nós de si mesmo, por isso somos maravilhosos e temos aquilo que os animais não tem como sabedoria e inteligência.

No trecho de Rm 8,29, vemos “Deus nos predestinou para sermos a imagem de seu Filho,” ou seja, para que sejamos puros como o Seu Filho. Sejamos portanto, outro Cristo, para que possa ilhar para nós e afirmar que somos seus filhos, somos parte da família de Deus.

Ao criar o homem, Deus não quis que ele ficasse só, mesmo com todos os animais dos campos, a mulher era o que o completava, era a auxiliar adequada. “Agora sim Senhor, é carne da minha carne e ossos dos meus ossos, vai se chamar mulher,” Gn 2, 23, este foi um momento favorável, completando-se a Obra da Criação, onde homem e mulher serão uma só carne.

A palavra casar quer dizer unir, por isso a humanidade está enlouquecendo, colocando outras coisas no lugar do plano inicial de Deus, nisso as família são destruídas. Vemos a partir daí uma juventude que sofre.

“O salário do pecado é a morte” Rm 6, 23 e Santo Agostinho afirma: “o sofrimento vem dos pecados, mas a alegria vem da santidade”, por isso devemos lutar pelas famílias, a começar pela nossa, a igreja tem se empenhado para que isso aconteça.

Deus nos coloca na família, como um educandário para santidade, Ele quer de nós santos. Somos predestinados a ser imagem de Deus, sermos santos, pois ninguém vai entrar no Céu se não forem santos.

Hoje, sou viúvo, já fui namorado, noivo e casado a 40 anos, mas continuo pensando na missa santidade. A família é o berço da santidade. No namoro é preciso viver a santidade, e como isso está cada vez mais difícil na sociedade atual, pois o sexo, fora do casamento traz dor e sofrimento. A vontade de Deus é fazê-lo no tempo certo, que é o casamento. Jesus não disse que seria fácil: “Quem quiser seguir-me toma a sua cruz e siga-me”, Lc 9,23.

"Precisamos construir nossas casas sobre a rocha", exorta o professor
Foto: Maria Andrea / cancaonova.com

:: Veja fotos no Facebook

Aos jovens, o então Papa João Paulo II, disse “a lei de Cristo é dura, mas nunca nos decepciona”. Precisamos construir nossas casas sobre a rocha e colocar as palavras de Deus em prática. Deus quer que nós lutemos e viver a santidade.

No Acampamento PHN vimos os jovens que estão a procura do cumprimento da vontade de Deus. Sabemos irmãos que o casamento é o namoro que deu certo. O Catecismo da Igreja Católica (CIC) nos diz que nem no noivado pode-se viver a vida sexual, mas apenas depois do casamento.

 

Transcrição e adaptação: Luana Oliveira

Confira um trecho da pregação:

 


Prof. Felipe Aquino


Doutor em engenharia mecânica, pregador e escritor

Facebook
Twitter
Blog

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo