A verdade da ressurreição

Felipe Aquino
Foto: Wesley Almeida

A Igreja quer nos preparar para a maior festa, a Páscoa, o Senhor ressuscitado e glorioso com a vida eterna. Temos que nos preparar para a festa.

Jesus era muito amigo de Lázaro, Marta e Maria. E onde aconteceram os milagres? Naquela região onde moravam, enfatizando o quanto é verdadeira a história. Nas peregrinações que passam na casa de Betânia, você pode entrar no buraco e ir até na tumba de Lázaro. Esse milagre da ressurreição é algo histórico, todos comprovam, principalmente os muçulmanos e os judeus que moram naquela região.

Não tenham dúvida da ressurreição de Lázaro, ela é tão importante para a liturgia que é colocada num domingo antes para a Páscoa.

Jesus veio no quarto dia para ressuscitar Lázaro, pois para ser milagre tem que esperar no mínimo três dias. Era tudo para ser comprovado. Jesus disse: “Não te disse eu: Se creres, verás a glória de Deus? Tiraram, pois, a pedra” (João 11, 40). Como Jesus é a ressurreição e a vida, Marta acreditou.

Quando Lázaro ressuscitou, Jesus disse: “Lázaro, vem para fora”! “E o morto saiu, tendo os pés e as mãos ligados com faixas, e o rosto coberto por um sudário. Ordenou então Jesus: Desligai-o e deixai-o ir” (João 11,44).

Na teologia liberal Rodolfo Bultmam disse que não existe milagre, que Jesus não ressuscitou, isso é um desastre, porque muitos teólogos seguem-no, é uma heresia. Porque ele nega a principal regra da fé, dizendo que Cristo não ressuscitou, tendo uma fé vazia, em vão.

São Paulo não viu Jesus, mas teve a certeza que era Cristo que lhe apareceu. “Se não há ressurreição dos mortos, nem Cristo ressuscitou. Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé. Além disso, seríamos convencidos de ser falsas testemunhas de Deus, por termos dado testemunho contra Deus, afirmando que ele ressuscitou a Cristo, ao qual não ressuscitou (se os mortos não ressuscitam)” (I Cor 15,13-15).

' A Igreja nos garante que a revelação de Jesus é histórico, não é um mito'
Foto: Wesley Almeida

São Paulo combateu o bom combate, a confiança dele era tanta que diz: “Para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Fil 1,21). Essa é a nossa esperança.

O Papa diz sobre a esperança que os gregos não tinham em Deus. Os antigos e os romanos acreditavam num deus de pedra, nas mitologias malucas, eles não tinham esperança. Mas quando Cristo veio chegou a esperança porque Ele morreu para ser ressuscitado. Uma esperança tão forte que dava aos cristãos a coragem de dar a vida por esta esperança, enfrentando os leões no coliseu de Roma, enfrentando todo e qualquer tipo de perigo.

O mundo de hoje perdeu a esperança, e chuta Deus para longe, porque só quer os prazeres. O que importa é a vida 'hoje' e depois da morte a gente pensa, isso é uma afronta a Jesus.

A Igreja nos garante que a revelação de Jesus é histórico, não é um mito, uma lenda. Os evangelhos narram com clareza a vida de Jesus. É por isso que os inimigos da Igreja, muitas vezes até teólogos, dizem que Jesus não ressuscitou.

Tudo o que a Igreja fez nestes 2000 anos foi para defender a morte e ressurreição de Cristo. Pedro cheio do Espírito Santo e destemido, com os apóstolos levaram um choque tão grande em Pentecostes, que nada mais os segurou. Pedro pediu para ser crucificado de cabeça para baixo, pois não se achava digno. A esperança da ressurreição arrancou todo o medo dos apóstolos.

Toda pregação dos apóstolos foi em cima da ressurreição de Jesus porque eles mesmos não acreditavam que Jesus voltaria. Mas Ele já havia dito que iria ser flagelado, chicoteado, mas eles não acreditavam. Jesus apareceu para eles e mesmo contando Tomé não acreditou.

Estou afirmando isso e insistindo porque há um anticristo no mundo onde nas faculdades não se acreditam que Jesus ressuscitou. Mas por onde Jesus passou está do mesmo jeito a Terra Santa. Como na passagem em Emaús e na tumba de Lázaro e em todos os lugares da história de Jesus.

'Ninguém vai derrubar esta Igreja no mundo'
Foto: Wesley Almeida


Ele não veio para tirar a opressão do mundo, mas veio para libertar-nos do pecado que é a raiz do mal.
Ninguém acreditava no que Jesus dizia, e quando Ele apareceu ressuscitado foi um choque. Os sumos-sacerdotes, não tiveram coragem de mentir, mas pagaram para os farsantes que diziam ter roubado o corpo de Jesus, pois sabiam que não eram os apóstolos que O tinham tirado do túmulo, eles não tinham explicação.

Tudo indica que aquele rosto no sudário seja de fato o rosto de Cristo, e a Igreja deixa os pesquisadores fazerem o que quiserem para descobrir a verdade, e ela não tem medo. Não tem tecnologia que explique como aquele corpo ficou marcado naquele pano, é um efeito que não se sabe. Não tem explicação científica. A prova maior é a Igreja Católica porque esta instituição tem 2000 mil anos. Você sabe que o Império Romano já foi, o Persa também, dos Medo e tudo que foi Império, mas a Igreja sempre perseguida, continua. Foram contra a Igreja, todos os pensadores, filósofos e etc, hoje a nova era, mas tudo cai por terra, pois a Igreja é invencível. Essa é a maior prova da ressurreição, pois quem poderia sustentar a Igreja nesses séculos todos.

O século XX foi repleto de sangue dos mártires por causa das revoluções contra a Igreja Católica, porque o Senhor ressuscitado caminha com ela.

Deus nos deixa a promessa: “Eis que estou convosco todos os dias até o fim do mundo" ( Mt 28,19-20). O verbo está no presente, que significa 'hoje', Ele está conosco. Por isso ninguém vai derrubar esta Igreja no mundo, podem cuspir, podem arrancar as páginas do Evangelho de Cristo, podem depredar os sacrários, mas ela nunca desaparecerá “e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mt 16.18). 

Transcrição: Eliziane Alves


ADQUIRA ESSA PREGAÇÃO PELO TELEFONE
(12)3186-2600


Prof. Felipe Aquino


Doutor em engenharia mecânica, pregador e escritor

Facebook
Twitter
Blog

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo