A verdadeira caridade e o amor ao próximo

Padre Bruno
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

“O amor seja sincero. Detestai o mal, apegai-vos ao bem. Que o amor fraterno vos una uns aos outros, com terna afeição, rivalizando-vos em atenções recíprocas. Sede zelosos e diligentes, fervorosos de espírito, servindo sempre ao Senhor, alegres na esperança, fortes na tribulação, perseverantes na oração” (Romanos 12,9-12).

Somos um corpo e cada um de nós tem uma função, por isso precisamos ser caridosos uns com os outros e não ser melhores apenas, se mão a esquerda trabalha mais que a direita uma vai ficar atrofiada. Todos participamos do mesmo corpo, por isso temos que viver essa caridade, esse amor que se entrega, que se dá. Como você tem vivido o dom que Deus lhe deu? Se você tem o dom de ensinar, ensine, se tem o dom do serviço, sirva. Jesus disse que não veio para ser servido, mas para servir. As pessoas de hoje não querem servir. Hoje vivemos um comodismo, não queremos servir, queremos que tudo venha a nós. “Dai e dar-se-vos-á”, não fique esperando que as coisas e pessoas cheguem até você, dê o primeiro passo. Faça sem esperar nada em troca.

“O amor seja sincero”. É preciso voltarmos a isso, que a essência do Cristianismo seja o amor sincero. Jesus disse: “Eu sou o caminho a verdade e a vida”. Hoje querem imprimir em nós falsas verdades e eu sei que é difícil ir contra elas, porque hoje já não conseguimos saber o que é verdade ou mentira, mas precisamos voltar à essência, pois Cristo já nos ensinou qual é a verdade. A palavra "sinceridade" está sendo tirada do nosso vocabulário.

Detestai o mal, apegai-vos ao bem”. A única coisa que você deve detestar é a maldade, o diabo! Chega de ficarmos no “mais ou menos”! Quando ficamos "em cima do muro", corremos o risco de cair do lado errado. Hoje é dia de voltarmos a Deus, à verdadeira caridade. Quando experimentamos a verdade, somos verdadeiramente livres.

“Sede zelosos e diligentes”. Não tenha medo de ser zeloso com os irmãos, com as coisas de Deus, servindo-O sempre na alegria; isso é a verdadeira caridade. E nós somos convidados a vivê-la, não é fácil, é um desafio, somos convidados diariamente a viver o amor fraterno, a verdadeira caridade.

"Quem nós une é muito maior do quem nos separa!"

Eu louvo e agradeço a Deus, que, durante todo o tempo desta pregação, colocava no meu coração o que o monsenhor Jonas Abib tanto fala: “formar homens e mulheres novas, famílias novas”. Isso é possível sim!

“Fervorosos no Espírito, fortes na tribulação”. Todo o mundo passa tribulação, sejamos fortes, quando vivemos a fortaleza em Deus conseguimos superar a tribulação. É preciso querer viver a caridade, somos da mesma família. Muitas vezes, caímos na tentação de entrar na igreja e sair do mesmo jeito, mas nós somos irmãos, ninguém é melhor que ninguém, temos a mesma qualidade, temos diferenças, sim, mas elas não barreiras, são riquezas. Quem nós une é muito maior de quem nos separa.

Precisamos viver o amor verdadeiro, porque estamos numa sociedade, porque, muitas vezes, até da igreja saímos e não falamos com ninguém. É preciso transformar as realidades e não nos acostumar com elas. Somos convidados a transformar o mundo, voltando à nossa essência. Todos nós trazemos a responsabilidade de viver o amor sincero.

Devemos fazer a vontade do Senhor. “Sede zelosos e diligentes”. Se eu não amar ninguém, eu serei uma pessoa gelada. Nós precisamos nos amar, pois se não nos amamos, não amaremos os irmãos. O que eu mais peço a Deus é que, ao sairmos da Canção Nova, saiamos despertados para a transformação de um mundo novo, que precisa começar em nós. Comece assumindo as pastorais na sua paróquia. Precisamos viver a verdadeira caridade e o amor ao próximo.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo