A verdadeira devoção à Virgem Maria

.: Ouça esta pregação na íntegra
Cada vez que nos colocamos em oração, colocamo-nos na presença do Senhor. Cada vez que pensamos no cenáculo do Senhor, pensamos em Maria, que era cheia do Espírito Santo e só pôde concebê-Lo, porque recebeu esse mesmo Espírito.

Sou um sacerdote de Cristo e da Igreja, e aprendi, ainda em casa, uma devoção muito grande à Nossa Senhora, porque se me faltou a presença de pai, a presença de mãe eu tive em abundância.

Minha mãe, antes de sair de casa, consagrava-me à Nossa Senhora e pedia para que Ela cuidasse de mim. E quando eu sentia muito a falta de minha mãe, eu perguntava à Virgem Maria: \”Onde está a minha mãe\”? Nossa senhora sempre cuidou de mim, do que eu sou hoje e também de minha mãe, pois muitas vezes, eu pedia a ela: “Nossa Senhora, cuida da minha mãe!”

Nós não podemos ter medo de amar Nossa Senhora, ao contrário, precisamos amá-la muito, e descobrir o lugar de Maria no coração de Cristo. Ela é uma mulher mortal que se fez inteiramente serva do Senhor. Para estarmos também perto de Deus precisamos de referência, de exemplos, e a nossa melhor referência, assim como a de Jesus, é Maria, pois Ela é a escola, onde Nosso Senhor aprendeu a andar, falar, ler, escrever… Foi na \”escola de Maria\” que Jesus tornou-se gente.

Não temos uma escola melhor, – para educar nossos filhos –, do que a escola da Mãe de Jesus Cristo! No dia em que fui ordenado padre, pedi que o Senhor me desse a graça de celebrar a minha primeira Missa no Santuário de Sua Mãe. Cresci aprendendo a amar Maria e, como sacerdote não poderia ser diferente. E, hoje, quero crescer cada vez mais no extraordinário amor à Maria.

No seminário, eu conheci a vida de dois santos e me questionava sobre qual era o segredo deles: o primeiro, foi são Maximiliano Kolbe, que deu a vida por um pai de família, durante a Segunda Guerra Mundial, porque durante a guerra, quando um prisioneiro fugia, os soldados nazistas matavam dez pessoas para compensar a fuga dele. Os dez foram, então, escolhidos, mas um homem, desesperado, disse que não podia morrer, porque tinha filhos para criar e não podia deixá-los sozinhos e tinha esperança de que ainda os encontraria. Então, um padre, no meio da multidão, ofereceu-se para morrer no lugar daquele pai. Os soldados nazistas aceitaram a troca, e na véspera da Assunção de Nossa Senhora, deram-lhe uma injeção letal e, este foi para junto de Maria.

O padre Kolbe, quando ainda era criança, viu Nossa Senhora com duas coroas na mão, uma branca e outra vermelha. Ela perguntou-lhe qual destas ele queria. Raimundo, assim era seu nome de batismo, disse que queria as duas. A coroa branca significava a pureza e a castidade; a outra, o martírio.

Padre Kolbe dizia que tudo o que fazia era por Maria e para Maria. Ele fundou os \’Cavaleiros da Imaculada\’ e, assim, o seu apostolado espalhou-se pelo mundo, difundindo a sua fé.

O outro santo, que conheci na época, foi João Paulo II, aquele homem mariano, totalmente de Deus e da Igreja, plenamente entregue à Virgem Maria. Ela também deu duas cruzes ao Papa. A primeira era a cruz da pureza, da castidade, e a segunda, de uma forma diferente de martírio, era a do martírio da verdade.

Quando entrei no seminário, descobri o segredo de Maria, ao qual eu tanto procurava, num pequeno livro, que durante muitos anos ficou sumido. Um livro extraordinário que nos revela o verdadeiro amor de Maria: \”O Tratado da Verdadeira Devoção à Nossa Senhora\”, o qual foi escrito de forma consistente e singular e que conseguiu reunir num único lugar tudo o que a Igreja tentava explicar sobre a Mãe de Deus.

Foi desse livro que o padre Kolbe tirou toda a sua Devoção à Virgem Maria. Nela, o Espírito Santo tornou-se fecundo. É Ele quem produz Jesus no seio de Maria. Devemos nos curvar diante desse fato. Foi o Senhor quem escolheu Maria. Deus Pai juntou todas as águas e formou o mar, assim também, reuniu todas as Suas graças e a denominou Maria, a graça sublime de Deus para toda a humanidade.

Para Deus não foi impossível colocar o Seu Filho no ventre de Maria. E se não é impossível para o homem, cheio de pecado, ser tomado por grande graça, vemos em Maria algo extraordinário, lindo demais.

Diga comigo: \”Eu quero ser todo de Deus e quero que a minha vida seja toda entregue a Ele, por isso, entrego-me à Maria. Quero ser da sua escola, quero aprender a ler de novo, a andar novamente, a falar as palavras benditas que Nossa Senhora ensinou a Jesus. Eu quero dizer: mamãe, quero estar em seus braços e ser amamentado por ti, porque a minha vida está precisando de \”vitamina\” do céu. Assim como a Senhora está cuidando da Igreja, cuida também de mim, porque eu quero ser todo seu, Maria\”.

Maria teve Jesus na Terra, agora Jesus tem Maria no céu.

Transcrição: Michelle Mimoso
Áudio: Claudenilson José
Fotos: Paulo Sérgio


Padre Roger Araújo


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo