A via da Misericórdia

Ricardo Sá
Foto: Natalino Ueda

O conteúdo da Festa da Misericórdia é Jesus. E Ele quer você! Você é o convidado para essa Festa!

No CD “Eu Confio em Vós” tem uma oração de Santa Faustina que está no parágrafo 153: “…vi duas estradas: Uma estrada larga, atapetada de areia e flores, cheia de alegria e de música e de vários prazeres. As pessoas caminhavam por essa estrada dançando e divertindo-se − estavam chegando ao fim, sem se aperceberem disso. E, no final dessa estrada, havia um enorme precipício, ou seja, o abismo do Inferno. Essas almas caíam às cegas na voragem desse abismo; à medida que iam chegando, assim tombavam. E seu número era tão grande que não era possível contá-las. E avistei uma outra estrada, ou antes uma vereda, porque era estreita e cheia de espinhos e de pedras, por onde as pessoas seguiam com lágrimas nos olhos e sofrendo dores diversas. Uns tropeçavam e caíam por cima dessas pedras, mas logo se levantavam e iam adiante. E no final da estrada havia um magnífico jardim, repleto de todos os tipos de felicidade e aí entravam todas essas almas. Já no primeiro momento, esqueciam de seus sofrimentos” (Diário, 153).

Essa experiência de Santa Faustina fala de cada um de nós! Olha bem para a sua vida e veja como ela está hoje! Você e eu estamos diante dessas duas estradas, e não existe uma terceira, por isso precisamos prestar muita atenção. “Existe uma estrada bonita, cheia de flores, e as pessoas caminham nessa estrada, estavam chegando ao fim, e não percebiam, no final dessa estrada o que há é o abismo do inferno. Quantas pessoas veem que estão nessa estrada que é linda, é alegre mas que sem perceber chegam ao fim e encontram-se no abismo do inferno? “…à medida que iam chegando, assim tombavam. E seu número era tão grande que não era possível contá-las. Mas eu vi uma segunda estrada que era estreita, cheia de espinhos e pedras, por onde as pessoas seguiam por dores.” Quantas pessoas percebem que caminham nessa estrada, cheia de espinhos, de dores? Talvez você esteja nessa estrada que segue com dores e lágrimas, dores que não dá nem para contar! “No final da estrada havia um magnífico jardim, repleto de todos os tipos de felicidade e aí entravam todas essas almas. Já no primeiro momento, esqueciam de seus sofrimentos” (Diário, 153)

A nossa alegria está na Festa da Misericórdia que hoje quer tirar toda ilusão! Qual é a sua estrada? Na estrada de dores, que não dá nem para contar, mas no final tem um jardim lindo esperando por você! O mundo está contra Jesus, abandonando-o e difamando-o. Talvez pessoas que tanto amamos estão caminhando na alegria com muita música e estão chegando no fim, e não percebem que estão caminhando para um enorme precipício. E você passando por tantos sofrimentos porque escolheu Jesus Cristo. Quem quer uma estrada cheia de pedras e espinhos? Quem deseja essa estrada aonde caímos uns nos outros? Porém, seguimos em frente para onde tem um lindo jardim cheio de alegria, de flores.

O diabo quer enganar você fazendo que sinta inveja de alguém que vive em uma estrada cheia de prazer! Saia deste engano! Você já percebeu que sua estrada é cheia de espinhos, essas dores tem lhe purificado, muitas vezes, o demônio tem enganado você dizendo para olhar para as outras pessoas. E você está dizendo: “Jesus onde está você, onde está a alegria: “E Jesus está dizendo: “Aguenta! Está chegando! É logo ali!”

A Festa da Misericórdia antecede os fins dos tempos. No parágrafo 965 vai dizer: “As almas se perdem, apesar da Minha amarga Paixão. Estou lhes dando a última tábua de salvação (…) Se não venerarem a Minha misericórdia, perecerão por toda a eternidade. – Secretária da Minha misericórdia, escreve, fala às almas desta minha grande misericórdia, porque está próximo o dia terrível, o dia da Minha justiça.” Está próximo o dia da justiça. Percebemos que o Senhor nos dá a graça de nessa Festa da Misericórdia enxergarmos por qual estrada estamos caminhando!

"Qual é estrada que você escolhe?", perguntou Ricardo Sá
Foto: Natalino Ueda/ Fotos Canção Nova

Com esta palavra de Santa Faustina, Jesus quer tirar-nos das garras do demônio! Não existem várias estradas a seguir! Qual estrada você escolhe? Existe apenas uma estrada a seguir! Você está disposto a viver assim? Você aceita a viver assim? Responda para Jesus que está te olhando!Nesse caminho de dor, de sofrimento, em que você, muitas vezes não entende o demônio vai colocar no seu coração a distração, querendo que te enganar! Não deixe que o diabo te engane!

Hoje é decisão para mim e para você, no dia em que dois Papas foram canonizados! Não abra mão do seu caminho!

“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;” (Mateus 7,13)

Uma das coisas mais linda desse caminho, apesar de ser feito de sofrimento, é a afirmação de Santa Faustina que diz: “no final do caminho existe um jardim cheio de rosas e repleto de muita alegrias, e no final já não se lembravam mais dos seus sofrimentos!” São Paulo vai dizer que não se compara o sofrimento que vivemos aqui, com as glórias no céu! As vezes, as dores tem um jeito de pegar a gente que parece que vamos morrer, mas se morrermos já sabemos em que caminho estamos! Sabemos que este é o lugar de todos os tipos de felicidades!

A primeira coisa que precisamos perceber é que o caminho é nosso! E que essa estrada nos coloca nos fins dos tempos. Não sou eu quem digo, mas Jesus. O tempo da sua misericórdia abrevia os fins dos tempos!

 

 

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D'Onofrio

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo