Ação Eucarística

Quando pensamos em Eucaristia, pensamos no sacrário, em Jesus Sacramentado, na Adoração Eucarística. Tudo isso é espiritualidade eucarística, mas não é o centro dela, pois o centro é uma ação, um fazer. Jesus disse assim: "Fazei isso em memória de mim". É na santa Missa que nós fazemos essa ação, pegamos o pão e o vinho e dizemos: "Este é o meu corpo e sangue". Então, nós precisamos entender o que é realmente celebrar a santa Missa.

"Na noite em que ia ser entregue, Ele tomou o pão e disse: 'Isto é o meu corpo entregue por vós'". O primeiro verbo que nos chama a atenção é este: entregar. Você pode ir à Celebração Eucarística e dizer: "Eu estive lá quando os soldados bateram o prego nas mãos de Jesus, porque eu estive na Missa". Ou "Eu estive lá quando Jesus disse: 'Pai, perdoa-os, eles não sabem o que fazem', porque eu estive na Missa". Porque a Paixão de Cristo realmente acontece na santa Missa.

Há uma cena no filme "Paixão de Cristo", de Mel Gibson, em que Jesus é amarrado e levado ao palácio mancando, como um cachorro na coleira. Aquela cena me calou fundo porque eu pensei: “Meu Deus, o Senhor do mundo sendo levado como um cão, como um animal. Aquele que domina o universo, sendo dominado por cordas”. Aquilo me deixou perplexo. Mas o filme, a todo o momento, nos remete à Última Ceia, porque é nela que o Senhor nos mostra a liberdade com a qual Ele se entregou por nós. É um momento de infinita liberdade de Jesus em que Ele nos diz: "Este é o meu corpo que é entregue por vós. Ninguém tira a minha vida, sou eu quem a dou". Jesus faz isso, Ele entregou a vida por nós. A primeira ação extraordinária, que temos na Celebração Eucarística, é esta entrega de Jesus.

Na Sexta-feira Santa, Cristo foi arrastado e teve as mãos pregadas na cruz. Não existe maior símbolo de liberdade do que aquelas mãos pregadas, porque Ele escolheu livremente se entregar. A ação eucarística, a espiritualidade da Eucaristia são gestos que repetem a ação de Jesus.

A Eucaristia não é um corpo que nos é dado para olhar, um corpo inerte que não faz nada, não é ficar olhando para Jesus parado, inerte na "vitrine" do ostensório, como se assim Ele estivesse. Não, na Eucaristia é um corpo entregue, é uma ação eucarística, em que o Senhor está se entregando. O que aconteceu naquele dia, continua acontecendo a cada Eucaristia que celebramos hoje.

Você, que ama Jesus Sacramentado, não pense que Ele está estático na Eucaristia, na celebração da santa Missa. Mesmo que você fosse o único pecador do mundo, Ele teria se entregado por você! É importante termos consciência disso, porque, muitas vezes, perdemo-nos na multidão, mas Ele se entregou por você. Deus Filho, entrega, por nós, esse amor derramado, cujo nome é Espírito Santo.

São Paulo nos chama à conversão e nós precisamos converter nossa mentalidade em mentalidade eucarística. Quantas pessoas vão ao sacrário como se estivem numa queda de braço com Deus, querendo convencê-Lo de alguma coisa. O que eu estou criticando é a mentalidade que temos ao fazer nossas súplicas, como se precisássemos mudar a vontade de Deus, mas não precisamos de nada disso, porque o Senhor é bom. Deus nos livre se Ele mudasse a vontade d'Ele, pois assim, a vontade de amor, seria de desamor. Entregue-se inteiramente a Deus e confie. Isso nem sempre é fácil, mas o Senhor nos ajuda quando nós comungamos e recebemos Aquele que se entregou. Você não é capaz de se entregar, mas quando comunga, você recebe Aquele que se entregou no seu lugar. Jesus é o coração completamente entregue e você pode, participando da ação eucarística, entregar-se nas mãos de Deus para que Ele tome conta e faça aquilo que é melhor para você.

Como Deus não nos daria todas as coisas que pedimos, se Ele nos deu até o seu próprio Filho? Se Ele demora para ouvir a sua oração, ou a ouve de forma diferente da que você esperava, não se desespere. Diga: “amém”, porque Deus é amor. Tenha fé de que Ele, que se entregou, nos ajuda a nos entregarmos também.

O que você tem para entregar a Deus? O que há em seu coração que o deixa tão preocupado? É isso que você precisa entregar, é perder para ganhar, porque em toda morte há uma ressurreição. Deus não permitiria os males, se deles não pudéssemos tirar um bem ainda maior.

Existe algo de ruim na sua família? Peça o dom da fé, da entrega e da confiança no Senhor. Tudo aquilo que você ama estará melhor nas mãos d'Ele do que nas suas. Quando nós seguramos as coisas com nós mesmos, o medo nos visita. Se você tem medo, é porque não entregou tudo o que deveria para Deus. Ele é bom e cuidará de nós, mesmo que não compreendamos. Jesus também agonizou e lutou, mas se entregou. Faça esta entrega. Imagine aquilo que você precisa entregar para Deus, colocar no coração d'Ele, pegue-as em suas mãos e segure-as na frente de seu peito. O que é? Uma doença, um conflito na família, um parente que está nas drogas? Em que você se sente amarrado, arrastado, sem liberdade? Coloque tudo nas mãos de Deus e diga para Ele:

"Senhor, olhai para o meu coração aflito e para a minha necessidade. Vós conheceis o que me aflige. Olhai, Senhor, eu não tenho coragem de entregar, mas, vinde, Senhor Jesus, ao meu coração para me dar esta coragem, para que eu viva, hoje, este coração eucarístico que se entrega no amor. Senhor, sustentai o meu coração, olhai para mim, para minha necessidade e recebei-a. Senhor Jesus, eu vos proclamo Senhor da minha vida, das pessoas que eu amo, das situações que eu vivo. Vós sois o Senhor e tudo é vosso. Recebei e dai-me a força de entregar tudo ao Senhor, assim como Vós vos entregais em cada Eucaristia, para que tudo seja ressuscitado dento de mim, na minha vida, na minha família, no meu dia-a-dia, porque tudo vos pertence, ó Deus fiel. Amém".

Transcrição: Michelle Mimoso
Fotos: Natalino Ueda

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo