Aclamai o Senhor

Padre Antônio Justino
Foto: Fotos CN/ Maria Andreia

Estamos iniciando a Semana Santa, a “Semana das Semanas” para nós cristãos. O tema deste Kairós é “Aclamai o Senhor”.

Veja: o povo aclamou o Senhor na Sua entrada em Jerusalém. É o que vimos na Liturgia deste Domingo de Ramos. Mas depois, esse mesmo povo – aos gritos! – pediu a Pilatos que Cristo fosse crucificado.

Diante dessa drástica mudança de atitude, nos perguntamos: “O que significa, verdadeiramente, aclamar o Senhor?”

A Palavra de Deus nos ajuda a responder. Veja o que está escrito no Salmo 24:

“Do SENHOR é a terra com o que ela contém, o universo e os que nele habitam. Pois foi ele que a estabeleceu sobre os mares e firmou-a sobre os rios. Quem vai subir o monte do SENHOR, quem vai ficar no seu santuário? Quem tem mãos inocentes e coração puro, quem não corre atrás de vaidades, quem não jura para enganar seu próximo. Este alcançará do SENHOR a bênção, e justiça de Deus seu salvador. É esta a gente que o procura, que procura a face do Deus de Jacó. Levantai, ó portas, os vossos frontões, erguei-vos, portas antigas, para que entre o rei da glória. Quem é este rei da glória? É o SENHOR forte e poderoso, o SENHOR poderoso no combate. Levantai, ó portas, os vossos frontões, erguei-vos, portas antigas, para que entre o rei da glória. Quem é este rei da glória? O SENHOR dos exércitos — é ele o rei da glória”.

Aclamar o Senhor é isto: é ter as mãos puras. É não querer enganar os outros. É viver segundo a Verdade.

É preciso escrever essas palavras em nosso coração. Deixar isso gravado em nosso interior.

Pergunto a você: qual deve ser a nossa resposta para que deixemos Jesus entrar em nosso coração? Sim ou não? É evidente que a resposta é “sim”! E quando é que O deixamos entrar em nosso coração? Quando tomamos consciência dessa urgente necessidade de que Cristo reine em nossa vida.

Ser fiel a Jesus é a cada dia dar uma resposta de docilidade a Ele. Isso requer um exercício diário. A cada dia eu preciso permitir que o Senhor encontre uma morada digna dentro de mim.

A Palavra de Deus afirma: “Vaidade das vaidades, tudo é vaidade!”. Você se considera uma pessoa vaidosa? Meus irmãos, quantos de nós vamos aclamando as vaidades que surgem em nossa existência e, assim, vamos deixando de aclamar Aquele que é digno de toda aclamação, ou seja, o Senhor Jesus!

Jesus curou a muitos. Deu a visão aos cegos, ressuscitou mortos, fez mudos falarem e paralíticos voltarem a andar. Cristo realizou inúmeras maravilhas. E, mesmo assim, Ele não foi aclamado como deveria…

Que possamos, a partir desta Semana Santa, reconhecer o Senhor que vem. Peçamos a graça de aclamá-Lo como Ele merece ser aclamado.

Meus irmãos, eu faço parte de uma geração que viveu a época dos “caras-pintadas”. Lembra disso? Quando o povo brasileiro pintou a cara pedindo eleições diretas em nosso país? Pois bem, hoje eu não vejo mais os “caras-pintadas”, mas sim os “caras-pálidas”. Vejo inúmeros cristãos “caras-pálidas”. Cristãos com aquela cara de “maracujá de gaveta”, tristes, que somente sabem murmurar e viver competindo uns com os outros para ver quem é que sofre mais.

São pessoas desanimadas, abatidas, sem força para mais nada. Quando alguém assim me procura, eu costumo dizer: “Meu irmão, entre você e o seu problema há um Deus que tudo pode. Confie n'Ele!”

"Ser fiel a Jesus é a cada dia dar uma resposta de docilidade a Ele", afirma padre Antônio Justino
Foto: Fotos CN/ Maria Andreia

 :: Veja fotos no Flickr
:: Veja + fotos também no Facebook

Não podemos ser cristãos que vivem na murmuração. Dificuldades sempre iremos ter. Mas o Senhor jamais nos abandona. Aclamar o Senhor é vivenciar este amor de Jesus por nós todos os dias.

O que será que Jesus pensou quando viu aquela multidão agitando aqueles ramos e aclamando a Sua presença? Ele sabia que aquela mesma multidão iria condená-lo perante Pilatos. Será que, naquela hora, Ele lembrou-se daquela frase: “Esse povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim”?

Meus irmãos, estamos na Semana Santa. Tempo propício para configurarmos nossa vida à Palavra de Nosso Senhor. Chegou o tempo de aclamarmos o Senhor verdadeiramente. Que nossos gestos sirvam para bem acolher a Jesus Cristo em nossa alma.

A última celebração do Tempo Comum é a “Solenidade de Cristo Rei”. O mundo costuma fabricar seus reis e rainhas, por exemplo: o rei do futebol, o rei do rock e assim por diante. Temos, infelizmente, o triste hábito de fabricar os nossos ídolos, os nossos reis e rainhas.

E eu lhe pergunto: o que algum desses reizinhos já fez por você? Por acaso algum deles já deu a vida na cruz por amor? Olhe para Jesus crucificado. É a este Rei, que se deixou pregar na cruz por amor a você, que é preciso amar! Jesus nos amou a tal ponto que morreu por mim e por você. Como não amá-Lo? Como não adorá-Lo?

Esses reis e rainhas que o mundo tem fabricado não podem lhe dar a felicidade. Somente Jesus, o Rei dos reis, pode lhe dar o céu e a eternidade. É somente a Ele que devemos aclamar em nossa vida.

As pessoas precisam olhar para nós e ver que Jesus foi verdadeiramente aclamado em nossa vida. Elas esperam o nosso testemunho coerente de vida. De nada adianta aclamar o Senhor e depois negá-Lo!

Certa vez, quando eu era jovem, ouvi um sacerdote dizer: “Quem encontrou a Cristo, encontrou encrenca”. Eu não entendia nada do que aquele padre afirmava. Mas fui vivendo e aprendendo como isso é real. As perseguições vieram. As calúnias também. Hoje, após 17 anos da minha ordenação sacerdotal, eu digo que se “Quem encontrou Cristo, encontrou encrenca” eu quero é morrer “encrencado”! Eu quero é morrer com Jesus. Não posso acolhê-Lo somente da “boca pra fora”. Preciso assumir Cristo verdadeiramente e renunciar ao pecado em minha vida.

Quando eu aclamo o Senhor com o meu testemunho de vida coerente, eu manifesto a Sua presença diante das outras pessoas. Você está me entendendo?

Portanto, ao entrarmos nesta Semana Santa, eu convido você a aclamar o Senhor em sua vida. Eu e você somos esse templo onde Deus habita. Não podemos profanar esse templo. Abramos nosso coração para Jesus entrar nele e, assim, declaremos que Ele é o nosso único Senhor.

Sejamos fiéis nas pequenas coisas do dia a dia. Aclamemos o Senhor que entrou em Jerusalém montado sobre um jumentinho. Mas saiba: Cristo deseja, da mesma forma triunfal, entrar em nosso coração e reinar em nossa vida.

 

Transcrição e adaptação: Alexandre de Oliveira


Padre Antônio Justino


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo