Alcançados por Jesus

Nos deixemos ser alcançados por Jesus

Como pode ser possível que Paulo tenha se convertido? Isso é para nos mostrar que nós podemos nos converter mais ainda e sermos alcançados por Jesus.
Ele era radical e viveu essa radicalidade antes de se encontrar com Jesus. Ele seguia a Palavra de Deus, era extremamente obediente naquilo que acreditava. Mas pode ser que, nós não compreendamos quem é a pessoa de Jesus Cristo.

Vou lhes contar uma história da vida de uma santa que era judia. Uma santa chamada Edith Stein, que depois recebeu o nome de santa Teresa Benedita da Cruz. Um dia, ela estava hospedada na casa de um casal evangélico; e quando esse saiu e ela começou a mexer na biblioteca da casa, por acaso, encontrou um livro de santa Teresa D’Avila.

Leu o livro durante a noite toda, e quando terminou, ela disse: “Aqui está verdadeiramente a verdade” e se converteu ao Cristianismo. Ela teve problemas com a família dela, pois eram todos judeus.

O amor de Cristo nos impulsiona

Então, antes de ir para o carmelo, ela foi visitar a mãe, e foi com ela à sinagoga. Depois disso, essa perguntou à filha: “O que você achou do que o rabino disse?”. E ela respondeu: “Eu achei lindo!”.

Então, a mãe respondeu: “Quer dizer, então, que não somos tão maus assim?”, e continuou: “Minha filha, se Ele era um homem bom, por que se fez Deus?”. Pois, para os judeus, aquilo era um escândalo, para cabeça desse povo, chamar um homem de Deus era uma grande blasfêmia.

Os judeus dizem que somos idólatras porque fazemos de um homem Deus. E, por isso, São Paulo odiava Jesus, porque para eles o Senhor não poderia ser Deus. Alguns achavam que estavam prestando culto a Deus quando mandavam açoitar cristãos.

São Paulo aprovou a morte de santo Estêvão, e perseguia os cristãos exatamente porque os considerava idólatras. Como um homem tão convencido de sua religião, como Paulo era, de repente, muda completamente: de perseguidor a um dos cristãos mais fervorosos?

O amor de Jesus quer nos alcançar 

E se pegarmos as cartas dele, vamos ver a lista de sofrimentos pelos quais passou por causa do Evangelho: sofreu a miséria, foi açoitado, preso, passou por naufrágios e muito mais. E dizia que tudo o que ele acreditava ter valor antes, após ter conhecido Jesus se tornara lixo. Para ele, viver é Cristo.

Como aconteceu esse prodígio extraordinário: naquele caminho de Damasco, ele foi alcançado pelo amor de Deus. “E agora eu corro para alcançá-lo”. O amor de Cristo nos impulsiona. Morre Saulo e nasce Paulo!

Estamos acostumados a ouvir que Jesus nos ama e, enquanto Paulo odiava, ele se sentiu amado por Ele. O que o povo judeu não compreende é que Jesus não é um homem que se fez Deus, e sim Deus que se fez Homem. Deus se faz pequeno e aqui está o extraordinário: Deus vai onde nós estivermos!

Palavra aos jovens: “Eu quero falar a você, jovem, que por acaso sintonizou o canal da Canção Nova: venha para o acampamento neste final de semana. Eu não sei onde que você “desceu”, não sei a qual “abismo de ódio” você desceu, mas não existe lugar longe, distante para Deus. O Senhor é capaz de descer ao abismo onde você se encontra. Saia do inferno de onde você está! Deus desceu atrás de Paulo no inferno do ódio em que ele estava”.

Alcançados por Jesus levaremos o Evangelho às nações 

Quem sofre é aquele que sente o ódio. Se você se sente ferido, injustiçado, você está vivendo o inferno. Paulo achava que odiar os cristãos era louvar a Deus; no entanto, ele foi atingido pela ação extraordinária do Espírito Santo. O nome do amor que Deus tem por nós se chama: Espírito Santo.

Ele [Paulo] pôde sentir e ver o amor com que ele foi amado. O amor de Cristo nos impele, porque Ele nos amou ao extremo, morrendo por nós. Foi isso que levou Paulo a levar o Evangelho para o mundo com tanto fervor e amor. Antes, esse era contra Cristo e o Senhor o paga com o amor.

Esta experiência cristã é fundamental, na qual ninguém que se diz cristão pode ficar sem vivê-la. Pense na sua vida ou naqueles que estão no inferno das drogas e dos vícios. Muitas vezes, as pessoas chegam até mim para se confessar e dizem:

“- Padre, eu pequei e fiquei tão triste comigo mesmo, logo eu que sou convertido fui fazer logo isso…”. Meu irmão, não seja soberbo: atrás disso existe um pensamento contra o qual Paulo tanto lutou: “Eu preciso ser santo para Deus me amar”.

Deus não está esperando você ser santo para o amar

Mas é justamente o contrário, Deus não está esperando você ser santo para o amar, Ele o ama como você está, como você é! É este amor que nos alcança. Não podemos ser prisioneiros da soberba, pensando assim: “Eu vou me comportar direito, vou me manter bem ‘limpinho’, e quando eu for santo, vou dizer: ‘agora estou pronto'”.

Não, Deus ama você do jeito que você está e já derrama todo esse amor sobre você, o “sede santos” é a resposta ao amor que nos alcançou. Eu fui alcançado e agora eu dou um salto para alcançá-lo.

Às vezes, a riqueza da Palavra não consegue ser expressa por nós, que somos tão sem inteligência. Eu preciso alcançá-lo, preciso dar um impulso em busca dele. Na reta final de uma corrida, na qual você está avistando a chegada, você pode ver que os corredores dão um impulso final; outros se jogam para chegar. Também, precisamos dar esse “impulso” para chegar lá.

“E como não amar de volta nosso Senhor, uma vez que Ele nos alcançou?!”

Temos de cuidar daqueles pecados pequeninos, que se tornam pecados “de estimação” com o tempo. A minha conversão aconteceu há dez anos, eu já tinha cinco anos de sacerdócio. Por favor, seminaristas de todo Brasil, não esperem ser padres para se converterem!

Eu percebi que ser padre não era a “medalha” do menino comportado que eu era. Pensando: “Já que eu sou comportado, Deus me dá a medalha de sacerdote”. Deus me alcançou, mostrando-me exatamente o contrário. É o sacerdócio que vai me fazer santo, porque nós temos de santificar os outros; então, Deus nos santifica também.

Deus não está esperando você ser santo para o amar. Ele já ama você agora. Ama as pessoas nas casas, escolas, repartições públicas, presídios, onde quer que estejam. E como não amar de volta nosso Senhor, uma vez que Ele nos alcançou?!

Transcrição e adaptação: Célia Grego

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo