Além da cruz

Padre José Augusto
Foto: Willieny Isaias
Tempo de Quaresma é um tempo em que devemos refletir sobre estes seguintes questionamentos: Será que você está vivendo bem o cristianismo? Como está sua confissão? Como está sua vida com os seus irmãos? Com seu esposo? Com sua mãe?

Os cristãos logo após a ressurreição de Jesus, começaram a pregar e a anunciar o Evangelho. Viver para anunciar a vida de Jesus não foi fácil, por causa da perseguição. 'Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”. Depois Jesus disse a todos: “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia, e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará. Com efeito, de que adianta a um homem ganhar o mundo inteiro, se se perde e se destrói a si mesmo?” '(Lucas 9, 23 ss)

Há uma condição para seguir Jesus: é preciso renunciar a si mesmo, tomar a cruz e O seguir. O Senhor nunca faz algo conosco que Ele não tenha experimentado antes. Esse Evangelho é para todos, mas não é para qualquer um, porque nem todos querem seguir Jesus. Este Evangelho é para os cristãos. Nós vamos criando determinados vícios, por exemplo, com a Bíblia: quantas vezes pegamos os versículos que nos interessam? Que nos convém viver? Vivemos buscando na Palavra de Deus aquilo que queremos.

Jesus neste Evangelho diz uma grande verdade: "Se você quer me seguir, renuncia tua vontade, pega a minha cruz e siga-me". A partir daí vem o desânimo. Nessa hora você precisa lembrar de Cristo, que diante de Pilatos foi acusado. Ali Ele poderia ter desistido, mas não desistiu.

Um padre às vezes pode estar desanimado porque não é bem aceito na sua paróquia. Ele deixou família, talvez uma noiva para ser sacerdote, mas a perseguição é tão grande que ele quer desistir. Mas aí, lembre-se do que Jesus passou. Digo isso para os leigos, catequistas e ministros da Eucaristia também.

'A cruz é sinal de graça'
Foto: Willieny Isaias

Em um casamento também existe o tempo da exigência. No início é a lua-de-mel, mas depois vem o ciúme, vem o marido que bebe. E então muitos querem desistir da cruz que abraçaram no sacramento do matrimônio. Mas aí que é a hora de abraçar a cruz, perseverar e não desanimar! Por isso é tempo de refletir sobre o que estamos fazendo diante da cruz. Você está servindo a Deus, mas as dores e o sofrimento vêm. E você precisa dar uma resposta de amor. Na hora da dor e do sofrimento, Jesus vai olhar para você e dizer: 'Caminhe, porque isso vai passar'. Não podemos desistir depois de uma caminhada longa ou curta.

Você que cuida dos seus, não desista, abrace a sua cruz. Não pense que a vida cristã é fácil, porque não o é. Não desista, não deixe a tentação colocar na sua cabeça que você fez a escolha errada.

A cruz é sinal de graça. Estes dias ao mudar de canal vi uma pessoa falando que precisávamos fazer uma corrente de oração para mudar de vida. Ali testemunhou uma mulher que dizia ser mendiga, mas depois que fez a oração, virou uma empresária e possui dois carros. Fiquei impressionado, porque ali não tinha cruz. Quase me convenci, porque já estou há 16 anos na Canção Nova e mal tenho um quarto. Mas Jesus é claro no seu Evangelho: 'Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz a cada dia, e siga-me.' Você não pode desistir. Procure ajuda, mas não desista. Jesus lhe dará força para você  segui-Lo com a sua cruz.

Transcrição e adaptação: Elcka Torres


ADQUIRA ESSA PREGAÇÃO PELO TELEFONE
(12) 3186-2600


Padre José Augusto


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo