Amor e afeto

Gerson Abarca
Foto: Robson Siqueira

Eu tenho vinte anos de casamento, sou casado com Celina e tenho três filhos. E posso dizer a vocês que minha vida matrimonial hoje é resultado de um namoro cristão levado a sério. Eu sou psicólogo terapeuta e minha esposa é enfermeira na rede de saúde pública e eu vim dizer que é possível caminharmos em um namoro cristão.

Eu vou falar com vocês sobre amor e afeto. Eu era de um grupo de jovens e em um encontro de jovens universitários foi onde encontrei com minha esposa, mais ou menos quando eu tinha dezesseis anos, eu li um livro sobre o método de ovulação billings e no final do livro o autor dizia que muitos casais estavam sendo restaurados por viverem aquele método e ali eu pedi a Deus uma mulher que fizesse uso deste método e foi quando encontrei a Celina, olha que graça! Pedi e vos será dado, diz Jesus no evangelho e muitos de nós pedimos a Deus sobre nossos relacionamentos e isso é o certo.

Uma das coisas que os casais que estão em dificuldade no relacionamento devem fazer, é relembrar o primeiro encontro, aquele momento onde os dois se viram e notaram algo diferente pela primeira vez. O primeiro encontro não pode ser perdido de vista, resgate a história do seu encontro amoroso, pois é ele que dará sustentação para os momentos de crise. Talvez você diga, que está com seu namorado ou sua namorada, mas ainda tem dúvidas se vão conseguir viver juntos uma vida, mas a proposta que fizemos de levar um namoro cristão me leva a seguinte questão: “Porque estamos namorando? Para que estamos namorando?”. A história de um casal deve ter um propósito.

Deus acreditou no homem e na mulher e por meio de uma mulher Deus se fez carne, Maria foi aquela que trouxe Jesus o nosso Salvador. Os atos de Deus para nós tem um sentido, tem um significado e Ele sabe que o futuro da humanidade passa por uma família e uma família forte, bem estruturada, contribui para uma humanidade melhor.

Muitos pais e mães se dedicam tanto aos filhos e esquecessem-se de estarem enamorados e isso é necessário, pois não se pode perder este sentido para que o relacionamento seja sadio sempre. Nós somos um sinal para o mundo e precisamos fazer nosso namoro ter sentido, então perguntem-se casais, porque vocês estão namorando, qual é o motivo de vocês estarem juntos. Sua história é única e houve um inicio e uma atração.

Precisamos lembrar que uma das portas de entrada para o inicio de uma relação é o corpo, você se sentiu atraído pelo físico de uma mulher e ela se sentiu atraída pelo físico de um homem e isso é natural de nós graças a Deus. Nós somos pessoas dotadas de um cérebro que Deus nos deu e nos ajuda a sermos capazes de decidir o que fazer, diferente dos animais, por exemplo, os cachorros que não são dotados de inteligência e são atraídos pelo cio da cachorra, nós não somos assim.

Deus nos deu capacidades sensíveis para que sintamos prazeres sexuais, você não pode dizer que porque sentiu um arrepio a partir de um carinho recebido de seu namorado ou namorada, que isso é coisa do demônio, não! Pois isso foi Deus quem nos deu, mas o mundo sabendo disso deturpa usando de forma errada as nossas capacidades físicas.

Se você esta em dúvida de levar um namoro cristão, se você perdeu de vista que Deus te deu uma pessoa para que você junto a ela O ajudasse a construir seu Reino aqui na terra, e deixou-se apegar somente pelas questões físicas, você está pré anunciando o fracasso de seu namoro, de seu noivado ou casamento. É muito bom vocês após anos de casados sentirem o prazer sexual ou o prazer de estar com a pessoa amada, como sentiam no inicio.

O físico nos leva a viver a paixão, Jesus nos propõe no Evangelho que pudéssemos amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos, então eu não posso parar na paixão, preciso evoluir e chegar ao amor, mas só se ama aquilo que se conhece. E como vamos medir para saber o quanto amo ou o quanto a pessoa me ama, ou se de fato a pessoa ama ou você a ama? A algum tempo atrás atendi uma mãe que estava em uma cachoeira com seus quatro filhos e um dos filhos escorregou e caiu na água, ela pulou para salvar o filho, os outros pularam na água para tentarem salvar um ao outro, e isso acabou com a mãe no hospital e os quatro filhos mortos, isso é amor!

Então a melhor forma de medirmos o amor um pelo outro é sabermos se temos a coragem de dar a vida pelo outro. Por exemplo, um noivo que vai para um casamento e permite que sua noiva use pilula anticoncepcional, este noivo não ama sua noiva, pois ele está permitindo que a sua noiva destrua seu organismo aos poucos, isso não é amor. Se eu sou capaz de dar a vida por quem eu amo, preciso dizer a pessoa que a amo, o amor só é vivido na maturidade e na plenitude pelos adultos, e os adultos diferentes das crianças só recebem o amor se primeiro derem amor.

Por isso um casal não pode viver um relacionamento imaturo, onde eu só amo a pessoa se eu receber amor, isso é o amor vivido pelas crianças, desta forma você já vai percebendo o tipo de amor que a pessoa tem por você. O casal precisa se conhecer, muitas vezes o casal nem frequenta a casa da família e é na família que muitas vezes você vai poder conhecer o outro na particularidade, pois em casa, por exemplo, você vai ver como seu namorado trata a mãe dele, se a pessoa de fato é tão carinhosa como parecia.

Você precisa se aprofundar na vida do outro para que possa saber se aquela pessoa pode fazer com você uma parceria conjugal ou não. Outra coisa que os casais não podem é viverem um amor a distância ou somente de palavras, pois temos a necessidade do afeto, de tocar, de abraçar e o afeto é a aliança que liga o meu amor ao amor do outro. O amor só sobrevive se eu fizer gestos de manifestação deste amor e muitas vezes virão durante as manifestações deste amor as fantasias sexuais e nestes momentos você precisa lembrar o porque você está com aquela pessoa e aonde vocês querem chegar, e assim aqueles desejos e fantasias vão sumindo.

Foto: Robson Siqueira

Eu pude fazer a experiência de casar virgem com minha esposa e preguei sobre isso em um encontro, no final do encontro muitos foram nos procurar pedindo ajuda para que pudessem viver esta mesma experiência, muitos casais precisam ouvir sobre isso, porque hoje não são orientados, não tem quem os acolha, e Deus quer usar de vocês que se dispõem em buscar viver isso, Deus os ajudará, mas também cobrará de vocês tudo o que tem investido em vocês.

Se você não é capaz de suportar uma atração física, você também não é capaz de construir o Reino dos céus e muitos querem apressar o casamento por conta do sexo, também não pode ser assim, pois este casamento não vai dar certo, você não é um boi ou uma vaca para não suportar e não viver castamente, você é uma pessoa racional e precisa se decidir em testemunhar um namoro santo, casto, seja firme para driblar todas as tentações presentes.

Os casais que testemunham um namoro, um noivado casto, terão a felicidade plena no casamento, pois a felicidade baterá em sua porta. Peça ao seu namorado ou namorada que te ajude a ser santo ou santa e juntos peçam a Deus que ajude a vocês serem luz no mundo e sal na terra.

 

 

 



Gerson Abarca


Psicólogo e psicoterapeuta

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo