Amor esponsal e fidelidade a Deus

“Ao acolher o irmão, Deus se revela em nós”, este tema do 22º Avivamento Vicentino nos convida de modo especial neste mês de agosto, o mês vocacional por excelência a sermos fiéis ao Deus de Jesus, a sermos fiéis ao próprio Jesus, exercendo o ofício e missão que Ele mesmo exerceu. Nos convida a fidelidade ao Espírito Santo, que nós convoca e nos envia em missão, fidelidade ao Deus da vida – acolhedor, fidelidade ao Deus libertador, que resgata o seu povo do Egito, ao Deus que vê, ao Deus que ouve as misérias e os clamores de seu povo amado. Deus toma pela mão e os conduz a terra prometida, a terra onde devemos aspirar, onde seu povo pode viver na liberdade e louvar o seu Deus.

A caminhada do seu povo no deserto é marcada por dificuldade e fraquezas na fé, Deus envia as suas palavras, suas leis que acompanharam seu povo pelo deserto, Deus envia o pão da vida, o maná do deserto para saciar a fome, á agua que jorra da pedra para saciar a sede.

Deus coloca a frente de seu povo, um amigo, Moisés. Esse povo de Deus chega a terra da promessa e Josué entra com este povo na terra prometida, o coração humano marcado pela tendência do mal, peca contra Deus, se afasta d'Ele, tem medo, desconfia. Josué, como a grande liderança, convoca este mesmo povo e chama para manter a fidelidade. “Se vos parece mal servir ao Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses, a quem vossos pais serviram na Mesopotâmia, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Quanto a mim e à minha família, nós serviremos ao Senhor” (Josué 24,15).

Padre Wellington Martins
Foto: Regiane Calixto

Está palavra de Josué ecoa no coração seu povo e deve ecoar em nossos corações, “Eu e minha família serviremos ao Senhor” nosso Deus, Aquele que nos liberta. É um chamado a fidelidade, devemos manter a fidelidade Àquele que é fiel conosco. Nós que uma vez ou outra não somos fiéis com Ele, pela vezes que somos dominados pela ganância, medos. O Deus que reina é o Deus da vida, Deus-caridade, a esse Deus devemos ser fiéis.

Assim como aquele povo diante de Josué, retomou seu caminho, nós também devemos retomar a fidelidade e de modo nenhum abrirmos mãos do Deus acolhedor. O relacionamento que temos com Deus, é um relacionamento afetivo, é um relacionamento que deve ter os esposos, um amor esponsal, um marido é chamado a viver na fidelidade com sua esposa, a esposa é chamada a viver a fidelidade com seu esposo, é essa fidelidade que forma a família de Deus. O adultério mata, causa a desunião, é diabólico. O amor entre o casal, o amor da família é o amor que Deus tem para com a humanidade por Jesus Cristo, que é o esposo, e nós que formamos a Igreja, a esposa de Cristo, por isso nosso relacionamento é de fidelidade, compromisso. Neste compromisso que temos, a Igreja se fortalece.

A igreja é fundada na fidelidade, dá seu testemunho, como vicentinos conscientes devemos dar testemunho de fiéis, devemos rezar a Deus que nos livre do mal da infidelidade. Com este testemunho convertemos muitos corações para Deus e para o coração da Igreja, para o serviço de Jesus em favor dos mais pobres, por isso, nós vocacionados por Deus, enfrentamos desafios, o caminho de Deus não é fácil, tem as suas exigências. Seguir Jesus é assumir desafios na vida, compromisso com Deus, é ser radical na fidelidade, é dar testemunho profundo e convicto da nossa fé. Jesus disse isso porque sabia que muitos que estavam ali, não tinham conhecimento profundo do que estavam abraçando, projeto de vida, projeto de amor, alguns foram saindo, acharam por demais difícil o seguimento de Jesus. Outros ficaram, E Jesus lança o desafio: “Vós também vos quereis ir embora?”(João 6,67) Aceitam o desafio do Reino de Deus? E nós diante do chamado de Deus, aceitamos esse compromisso esponsal, abraçamos nossa fidelidade, como deveríamos abraçar a nossa fidelidade aos irmãos?

E simão pedro em nome do discipulado diz: “A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. Nós cremos firmemente e reconhecemos que tu és o Santo de Deus”. (João 6,68-69) A experiência profunda de fé, em acreditar que Jesus era o messias, o faz dizer estas palavras com toda a convicção. Qual é a nossa resposta ao convite de Jesus? “Só tu tem palavras de vida eterna”. Sabendo que Jesus é o caminho que nos leva ao Pai, nós damos testemunho do desafio que enfrentamos para viver os valores do Reino para promover a paz e a justiça, promover a liberdade de todos, fazer com que a justiça do reino aconteça.

Devemos manter firmes a nossa vocação, a nossa missão, manter a nossa fidelidade a Deus e aos pobres, ao Reino de Deus, assim, irmãos e irmãs, teremos uma Igreja viva, uma Igreja de discípulos missionários de Cristo.

Que pela força do Espírito Santo de Deus, todos e cada um de nós, sejamos servidores de Deus, nas pessoas dos empobrecidos e vulneráveis de nossa sociedade.

Que tenhamos coragem de seguir Jesus e enfrentar todos desafios da vida. Que pela força do Espírito Santo de Deus anunciemos, testemunhemos Cristo Jesus com a nossa presença solidária e fraterna de Vicentinos que somos.

Transcrição e adaptação: Regiane Calixto

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo