Anjos da solidariedade

Dom Irineu – Uma das práticas que eu cultivo, quando alguma pessoa está distante eu não posso falar com ela, é pedir para o meu anjo: "Conversa com o anjo dele!" Existem algumas pessoas que Deus nos mandou que fazem o papel de anjo, que são mensageiros. O Padre João Ceconello faz parte desta categoria, porque ele tem mais de anjo do que de gente. Ele é um grande mensageiro que já passou pelo Brasil todo levando a mensagem Deus.

Padre João Ceconello – Eu sou padre da diocese de Erechim, e depois em 1990 eu fui para Curitiba. Eu ficava muito ocioso e pensava sempre no que eu poderia fazer, mas o que eu poderia fazer sempre ficava muito longe.

Então resolvemos começar um trabalho com os pobres, que juntou muita gente, o que incomodou algumas pessoas. Então fui transferido para a periferia. Mas o trabalho que foi começado lá no Centro não parou, foi crescendo. Daquele pequeno albergue que acolhia pessoas e familiares, hoje nós temos um trabalho social muito grande, tudo graças a providência de Deus.

Ouça trecho desta pregação

O fruto deste trabalho, são duas comunidades terapêuticas e uma comunidade com 80 pessoas que regressaram dos hospitais psiquiátricos que as famílias não aceitam mais. Hoje estamos tentando fazer uma reinserção social o que é difícil porque falta o entendimento, mas temos que perseverar juntos. Também temos a nossa casa para acolhera as crianças vitimas de todos os tipos de violência. 

É necessário então acreditar, assim levamos o nosso trabalho adiante, assim como Dom Irineu plantou esta semente em cada um de nós que trabalhamos com ele, nós fomos levando e jogando esta semente para frente. Assim a Pastoral da Sobriedade foi crescendo e se multiplicando, e principalmente foi se solidificando através de pessoas que fizeram uma opção de vida nova para trabalhar com estes excluídos e marginalizados, e que nós sabemos que são os preferidos de Deus Pai.

Por isso a Pastoral abraça esta causa, abraça este povo.

Quando escolhemos o Padroeiro para a nossa paróquia, então pedi que fosse o Cristo Redentor, por causa dos braços abertos, porque esta é a função nossa, da comunidade, da Igreja, de ajudar os irmãos. Nós somos a Igreja de Jesus, não os padres somente, ou religiosos e consagrados, todos nós somos a Igreja de Jesus.

Esta Igreja tem que ser serva, e ela só serve para servir, se a Igreja que somos nós não servimos a Deus nos irmãos, então não servimos para nada. Nós só servimos para servir, proclamar e anunciar o Evangelho de Jesus e colocando na nossa vida e na vida dos irmãos esta espiritualidade que nos move, é a graça de Deus que nos move, o que nos atraí é a misericórdia, o que nos impulsiona é a esperança de que é possível uma vida digna, resgatada, que é possível acreditar no amor infinito de Deus.

Nós apenas como discípulos vamos a frente, mas quem faz acontecer é o próprio Jesus, no qual no nome d’Ele somos enviados, então nós vamos anunciando e proclamando, e Ele vem atrás realizando as obras.

Ouça testemunho de uma Mãe de dependente químico

Transcrição: Célia Grego
Fotos: Renan Félix


Dom Irineu Danelon


Bispo da Diocese de Lins – SP

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo