Aprenda a organizar-se interiormente

Em Lucas 11,14, vemos que Jesus estava praticando um exorcismo, concedendo àquela pessoa uma libertação. A obra d'Ele é perfeita!

Esse homem da Palavra era escravo de uma situação que o mantinha mudo. Diante da milagre de Jesus, o povo aponta o dedo para Ele e o acusa, dizendo que o Senhor expulsava os demônios no nome de belzebu.

Todo reino divido será destruído. Em outro texto, vemos que toda casa, ou melhor, toda família dividida não irá subsistir. Quando Jesus fala de casa para Zaqueu, fala de intimidade. Por mais que você ache que se conhecesse, ainda não sabe tudo de si, pois se estranha consigo mesmo, com suas atitudes e desordens. Essa desordem está dentro, porque, dentro de você, as coisas não estão resolvidas. Você se acha complicado, porque está dividido interiormente, e você não só se complica como complica a vida dos outros.

Nós nos tornamos, muitas vezes, aqueles que ficam apontando os defeitos dos outros, mas nos esquecemos de ver a lacuna que temos no nosso interior. Precisamos nos exercitar a estar na presença de Deus.

Muitos foram instrumentos do Senhor, homens de Deus, mas como não cuidaram no seu interior, preocupando-se só com o exterior, foram andando, andando e se esqueceram que eram gente. Quando eu escuto algo assim, faço até o sinal da cruz e digo: “Livra-me, Senhor!”.

Padre Edimilson Lopes
Foto: Wesley Alemida/Fotos CN

“Sabemos, de fato, que a lei é espiritual, mas eu sou carnal, vendido ao pecado. Não entendo, absolutamente, o que faço, pois não faço o que quero; faço o que aborreço” (Rm 7,14-15).

Se não estivermos atentos a essa realidade do tentador, estaremos divididos. O casal, quando casa, torna-se, segundo a Palavra de Deus, uma só carne. Quando o casal não vive isso, eles começam a construir um reino dividido. Então, vão se separando e não podem mais se aproximar. Corremos este risco.

Até mesmo eu, como padre, não posso viver uma vida dividida, pois há coisas que não me convém. Onde meu clerginan não entra, o padre Edimilson também não entra. Não convém! Se eu não tomar cuidado, meu sacerdócio pode ir por água abaixo. Posso achar que sou uma homem natural, posso tudo, e esqueço do meu ministério e posso pôr tudo a perder.

Cuidado! Na hora em que você chegar à experiência da divisão interior, pode perder tudo. Quando você vive a unidade, vive-a em Cristo.

Nós não estamos isentos dessa realidade, mas o Senhor quer nos unir. Que maravilha, meu Senhor, sou eu! Repita comigo: “O Senhor, verdadeiramente, tem feito em mim maravilhas, coisas admiráveis!”.

O diabo não vem se mostrando, mas semeando suas obras. Você começa a observar os defeitos dos outros, a levantar pensamentos interiores, dar espaço para outras realidades; quando percebe, está se afastando de Deus.

Dentro de nós aceitamos coisas que não convém com a realidade de Deus. Quero um emprego bom, mas minha vida continua errada. Não podemos ser assim. Mostra, sua glória, Senhor! Dentro da Igreja Católica não há santidade sem esforço.

Senhor, eu não quero ser assim, não quero viver na divisão. Na verdade, um lado quer rezar e o outro não. Fica aquela briga dentro de nós. E quem vence? A preguiça. Não podemos ser essa pessoa dividida. Temos de ser um como Jesus e o Pai. Peça essa graça e Ele.

“Dai-me a graça de não julgar, de não condenar, de não ficar gerando dúvidas, Senhor. Eu quero que cumpra Sua obra em mim. Mostre Sua glória, dê-me a graça de não terminar esse ano sem experimentar tudo o que o Senhor tem pra mim. Sei que tu tens projetos, sonhos, planos de felicidade. Dai-me a graça, Senhor”.

 

 

Transcrição e adaptação: Carlos Biajoni

Padre Edimilson Lopes
Foto: Wesley Alemida/Fotos CN

“Sabemos, de fato, que a lei é espiritual, mas eu sou carnal, vendido ao pecado. Não entendo, absolutamente, o que faço, pois não faço o que quero; faço o que aborreço” (Rm 7,14-15).

Se não estivermos atentos a essa realidade do tentador, estaremos divididos. O casal, quando casa, torna-se, segundo a Palavra de Deus, uma só carne. Quando o casal não vive isso, eles começam a construir um reino dividido. Então, vão se separando e não podem mais se aproximar. Corremos este risco.

Até mesmo eu, como padre, não posso viver uma vida dividida, pois há coisas que não me convém. Onde meu clerginan não entra, o padre Edimilson também não entra. Não convém! Se eu não tomar cuidado, meu sacerdócio pode ir por água abaixo. Posso achar que sou uma homem natural, posso tudo, e esqueço do meu ministério e posso pôr tudo a perder.

Cuidado! Na hora em que você chegar à experiência da divisão interior, pode perder tudo. Quando você vive a unidade, vive-a em Cristo.

Nós não estamos isentos dessa realidade, mas o Senhor quer nos unir. Que maravilha, meu Senhor, sou eu! Repita comigo: “O Senhor, verdadeiramente, tem feito em mim maravilhas, coisas admiráveis!”.

O diabo não vem se mostrando, mas semeando suas obras. Você começa a observar os defeitos dos outros, a levantar pensamentos interiores, dar espaço para outras realidades; quando percebe, está se afastando de Deus.

Dentro de nós aceitamos coisas que não convém com a realidade de Deus. Quero um emprego bom, mas minha vida continua errada. Não podemos ser assim. Mostra, sua glória, Senhor! Dentro da Igreja Católica não há santidade sem esforço.

Senhor, eu não quero ser assim, não quero viver na divisão. Na verdade, um lado quer rezar e o outro não. Fica aquela briga dentro de nós. E quem vence? A preguiça. Não podemos ser essa pessoa dividida. Temos de ser um como Jesus e o Pai. Peça essa graça e Ele.

“Dai-me a graça de não julgar, de não condenar, de não ficar gerando dúvidas, Senhor. Eu quero que cumpra Sua obra em mim. Mostre Sua glória, dê-me a graça de não terminar esse ano sem experimentar tudo o que o Senhor tem pra mim. Sei que tu tens projetos, sonhos, planos de felicidade. Dai-me a graça, Senhor”.


Padre Edimilson Lopes


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo