Aquilo que perece afasta-nos do que não passa

Padre Fabrício Andrade
Foto: Natalino Ueda

Todos os anos, vivemos esta passagem, na qual deixamos para trás o ano velho e esperamos o nascimento de um ano novo. Digo para você, hoje, que seu ano novo começou neste instante e que, a partir de agora, você é um homem e uma mulher nova.

Leia, com atenção, a Palavra de Deus contida no Evangelho de São Mateus 13,31-32 : "Em seguida, propôs-lhes outra parábola: O Reino dos céus é comparado a um grão de mostarda que um homem toma e semeia em seu campo. É esta a menor de todas as sementes, mas, quando cresce, torna-se um arbusto maior que todas as hortaliças, de sorte que os pássaros vêm aninhar-se em seus ramos”.

Nessa parábola, Jesus utiliza-se das coisas mais simples para poder contar sobre as coisas do Céu. Assim, Ele faz a comparação do grão de mostarda, que é uma sementinha menor que um grão de arroz. Eu quis trazer esta passagem, porque estamos num momento de grandes festas, grandes projetos para o próximo ano, cheio de realizações. Devemos começar este novo ano com a coragem de ser pequenos; portanto, temos de parar e pensar em todas as coisas que são grandes, mas que, um dia, já foram pequenas. Por exemplo: as plantas nascem pequenas e, com o tempo, elas tornam-se grandes árvores.

Somos tomados pela ânsia de começarmos um ano grande, mas só que, o tempo do ano novo, é como uma criança que vai aos poucos se desenvolvendo. O Natal nos ensinou que Jesus veio até nós como uma criança para nos demonstrar que precisamos começar pequeno.

A natureza nos dá a receita de que para sermos grandes precisamos ter a coragem de ser pequenos. Todos os anos, deparamo-nos com as promessas de fim de ano, mas nos esquecemos de que, para que estas promessas se realizem, elas precisam de um passo de cada vez.

Tenha coragem de converter-se de pequeno para grande, porque, na nossa conversão, ainda não somos grandes, porque não tivemos a coragem de ser pequenos. Passagem de ano é o momento de plantarmos a sementinha para que possamos colher os frutos que desejamos.

O ano novo imprime em nós a sensação de que vamos passar do dia 31 para o dia 1º maiores, melhores, mas para que isso ocorra é preciso semear. E a Palavra nos ensina que é preciso viver o tempo do crescimento. Irmãos, na vida espiritual e na vida de conversão precisamos vivenciar o tempo do crescimento. Assim como a natureza cresce calada, nosso crescimento espiritual também precisa ser dessa forma, porque precisamos aprender a viver o tempo de maturidade da nossa fé e dos nossos relacionamentos.

Eu quero testemunhar a você sobre um homem que, há oito ou dez meses, ninguém sabia quem era, mas todos o conheceram a partir da renúncia de Bento XVI. Um senhor que ninguém sabia quem era, mas com um sinal demonstrou a coragem de começar seu pontificado pequeno, pedindo a todos que rezassem por ele. Aquele "grãozinho de mostarda", que Deus plantou, tornou-se o Papa Francisco, que nos ensina a nos desfazermos de tudo aquilo que passa, por isso ganhou destaque como personalidade do ano. Digo que o Papa Francisco não se importa com esse título, mas, a exemplo do Santo Padre, precisamos nos fazer pequenos para nos tornarmos grandes.

"Agora é a hora de crescer e deixar-se ser conduzido por Ele", disse padre Fabrício.
Foto: Natalino Ueda

Há muitos de nós que começam empolgados, mas, depois de um tempo, murcham. Deus quer que comecemos pequenos, assim como uma sementinha que, aos poucos, vai colhendo os frutos.

Juntos, vamos retomar a segunda leitura da Missa de ontem (29), tirada do Livro dos Colossenses 3,12: “Portanto, como eleitos de Deus, santos e queridos, revesti-vos de entranhada misericórdia, de bondade, humildade, doçura, paciência”.

.: Antes de dinheiro no bolso, um pai precisa de Deus no coração
 
Para um ambiente propício, para a experiência de um vida boa em Cristo, é preciso encher-se de paciência, de bondade, humildade e amor. Precisamos ter a coragem de começar pequeno, mas, para isso, é necessário ter, no coração, qualidades para vivermos o tempo de conversão. Deus nos pede que tenhamos a coragem de começar pequeno.

Um dia, nós também fomos bem pequenos. E como fetos fomos crescendo no ventre de nossa mãe; depois, ainda continuamos crescendo na nossa vida de fé e junto com nossos irmãos. Todos temos a escolha de nos fazer pequenos para nos tornamos grandes. Portanto, façamos nossa escolha.

Deus o conhece e sabe da sua vontade de ser feliz em 2014. Ele sabe da sua vontade de seguir sua espiritualidade, logo quer cobri-lo com Suas mãos para que possa crescer na sua vida espiritual. Para buscar as coisas do Alto é preciso fazer a escolha de ser pequeno para ter a coragem de ser grande.

Peçamos ao Pai que as coisas do Alto possam crescer em nossa vida e que cada um possa fazer a experiência do encontro pessoal com Cristo.

O ano novo só vai começar, na nossa vida, quando tivermos a coragem de nos encontrar com Deus e aprender a ser pequenos para que o Senhor possa nos gerar novamente. Nós só não somos maiores, porque não temos a coragem de ser pequenos. Devemos nos desapegar das coisas que passam e projetarmos a nossa vida em Cristo.

Devemos deixar para trás nossos erros a fim de começarmos uma vida nova. Temos de deixar Deus entrar na nossa vida.

Transcrição e Adaptação: Alessandra Borges


Padre Fabrício Andrade


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo