Atraidos pela dor da cruz

A nossa missão é muito simples. Nossa comunidade [Comunidade Jesus Menino] possui uma alma, uma identidade que só mesmo quem vive lá ou tem contato com ela, é capaz de experenciar. Curioso porque lidamos com pessoas, que não raro, são excluídas da sociedade, abandonadas por suas famílias. E, no entanto, é justamente nesse ambiente que aprendemos verdadeiramente o que é amar.

Os acolhidos não gostam de nós por conta de nossa posição na sociedade, status, ou cargo que ocupamos… Eles não fazem cálculos. O amor e o apreço se apresentam de forma incondicional, tal como devem ser. Em vários momentos, somos surpreendidos com lições de ternura, perdão e desprendimento por parte deles, e isso nos ensina o verdadeiro sentido de acolher.

Para a Comunidade Jesus Menino, acolhimento é muito mais que dar comida, um lugar ao sol e roupas limpas… É resgatar a dignidade de pessoa humana, fazendo-se família para quem não tem ninguém. Isso é tão forte e verdadeiro que muitas pessoas – em momentos de dor e dificuldades – procuram nossa comunidade para dela usufruírem também desse acolhimento, nem que seja por um instante. De fato, o ato de resgatar a dignidade de quem era excluído e abandonado possibilita o gerar vida.

E como não poderia deixar de ser, a verdadeira vida não fica somente dentro de casa. Ela alcança outras pessoas, como membros, funcionários, benfeitores, amigos, voluntários e tantas pessoas que buscam a comunidade. O acolhimento nos contagia e nos enche de vida porque em sua essência está o amor. Isso nos enriquece e nos faz pessoas melhores.

Nós somos uma família. Quando as pessoas vêem muitas pessoas especiais juntas, pensam que somos alguma entidade de apoio a deficientes, mas não o somos. Somos uma comunidade de vida, onde adotamos crianças especiais para poder cuidar e zelar por elas. Nosso carisma nos dá a graça de consagrarmos nossas vidas para cuidarmos deles. A comunidade tem o projeto de lhes devolver a paternidade e a maternidade que foram perdidos pelo abandono.

Deus me chamou a fundar essa obra a partir do momento em que percebi que muitas pessoas usavam dos deficientes para se autopromover. Isso incomodou o meu coração e, através de mim, Deus fundou essa obra.

AUDIO: Jovem testemunha sua vocação na Comunidade Jesus Menino

Muitas vezes diante da realidade dos meninos, muitas pessoas se perguntam porque Deus fez isso? Porque eles sofrem tanto? Quem não entende o sofrimento, não consegue perceber aquilo que Deus quer fazer. Existe uma razão para o sofrimento. Muitos dos meninos demonstram para nós, com as suas atitudes que todos nós somos irmãos. O que faz que eles ressuscitem, é o nosso amor.

Muitas vezes, o sofrimento acontece para que os que sofrem nos mostrem as nossas misérias, as nossas deficiências como pessoas. Deus os usa para fazer com que possamos nos converter. É Jesus que nos fala: “Levanta e anda! Olha para vida!”

Hoje, existe uma grande lista de crianças especiais abandonadas para serem adotadas por nós. E não podemos acolhê-las agora porque temos falta de pessoal. São poucos os consagrados na comunidade. Por isso, eu me dirijo a você: se você sente o chamado para doar a sua vida cuidando dessas crianças especiais, junte-se a nós. 

AUDIO: Padre Aluísio e Glória Amaral testemunham experiência com a Comunidade Jesus Menino

Temos uma “vocação de Calvário”. Por isso temos poucas vocações, porque as pessoas não querem viver o Calvário. Elas querem ficar com Jesus na Galiléia, mas Ele precisou subir o Calvário. E precisamos ir com Ele. 

Transcrição e áudio: Renan Félix
Fotos: Willieny Isaías

 

 


Antônio Carlos Carvalho de Melo


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo