Basta-te a minha graça

Padre Fabrício
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com
O mundo nos treina para sermos cada vez mais fortes, sempre com espírito de competição e impulsionados a sermos grandes homens e mulheres.

Mas São Paulo dá seu testemunho de que ele só foi forte, quando se viu fraco, sem forças e permitiu que o Senhor entrasse de uma forma que ele não poderia manifestar qualquer tipo de defesa contra isso.

Sabe quando é que somos fracos? Quando deixamos o medo tomar nosso coração e permitimos que ele tome o local que deveria ser ocupado por Deus. E somos mais fracos ainda quando Deus diz “não”, diante do que pedimos.

Nesse momento, vemos manifestada a soberba, que acredita que Deus deve nos servir e atender todos os novos desejos, assim como filhos mimados que não são capazes de ouvir “não” da boca dos seus pais.

Ou seja, quando pedimos, não estamos pedindo a graça de Deus, mas sim estamos pedindo simplesmente a resolução dos nossos problemas, como se fosse uma fórmula mágica capaz de aliviar todas as dores e dificuldades.

Mas as coisas não param por aí, pois quando pedimos ao Senhor e somos atendidos, não sabemos o momento de parar, e pensamos que basta deseja e pedir, sem pensar nas consequências ou se estamos prontos para isso.

Quando os problemas tiram o nosso sossego, a pronto de nos afastar de Deus, significa que estamos dando maior importância para a tribulação do que para o Senhor. Porque quando temos os olhos fixos em Deus não permitimos que o medo se aloje.

Ser forte na tribulação não é uma teoria, mas sim um desafio para continuar, sem nunca desistir. E é uma força que não vem de você, que não depende do seu preparo, mas é graça de Deus.

"Ser forte na tribulação não é uma teoria, mas um desafio", diz Padre Fabrício
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com

Não podemos perder a oportunidade de amar as pessoas que estão ao nosso lado, independente da situação que estivermos enfrentando. É justamente esse amor que se torna sustento para as pessoas que não encontram mais saída.

Aquele que é capaz de se preocupar com o próximo, mesmo diante da tribulação, é aquele que ama o Senhor acima de tudo, e se preocupa com o próximo a ponto de se desalojar.

Ser forte na tribulação é deixar que as pessoas a sua voltam sejam a mão de Deus que te sustenta. É ser humildade ao ponto de se reconhecer pequeno e dependente de Deus. Não tenha vergonha de pedir ajuda, pois é o próprio Deus que estende a mão.

A primeira reação nessas horas é se abater, é murmurar e jogar toda culpa em Deus. A sua tribulação talvez seja uma separação, a perda de um ente querido, o seu filho que está nas drogas, a infidelidade no seu matrimônio ou o cansaço que parece não ter fim.

Mas da mesma forma que o Senhor veio em auxílio de São Paulo, Ele também virá até você. Talvez, você diga hoje que já cansou de esperar em Deus, mas Deus não cansou de esperar pela sua confiança n'Ele.

Volte a depositar sua confiança no Senhor, porque é isso que Ele pede hoje para os corações cansados, que sejamos fracos a ponto de depositar tudo o que temos em somos em seu coloco.

 
Transcrição e adaptação: Gustavo Souza

Padre Fabrício Andrade


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo