Canção Nova, uma comunidade Eucarística

Padre Roger Luís
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com

A Canção Nova é uma comunidade Eucarística! Este solo é um solo Eucarístico. O nosso fundador, monsenhor Jonas Abib, nos ensinou, com a sua vida, a sermos evangelizadores! Logo no início, Dom Antônio Afonso de Miranda, bispo de de Lorena (SP) na época, chamou o padre Jonas e lhe pediu que ele lesse o documento Evangelii Nuntiandi. A partir daquele momento, padre Jonas começou a evangelização com os jovens.

Tempos depois, em um desses encontros com esse público, monsenhor Jonas fez um convite para que aqueles jovens dessem um ano de sua vida para Deus. Irmãos, nós temos aqui uma testemunha de tudo isso: Luzia Santiago, ela estava lá [entre os doze jovens que aceitaram o convite] e pôde dar o seu "sim" para Deus por intermédio do carisma Canção Nova.

Amados, o momento mais alto da nossa experiência diária é a Santa Missa e a Adoração Eucarística. Peço que você abra o livro de Deuteronômio 6, 4-6: “Ouve, ó Israel! O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todas as tuas forças. Os mandamentos que hoje te dou serão gravados no teu coração”. Vemos aquilo que somos: uma comunidade de amor e adoração, esta é a nossa essência!

Quem já foi iluminado pela luz do carisma Canção Nova? Tudo isso vem da entrega que cada missionário é convidado a viver. Nós aprendamos com o padre Jonas que quem não adorar ao Senhor não vai aguentar! Isso é uma verdade dentro da ditadura do relativismo. Somos convidados a amar Jesus com toda a nossa força para sermos libertados do egoísmo do pecado.

Meu irmão, você também é filho do monsenhor Jonas Abib, este homem prega com a própria vida, com a sua experiência, a graça da adoração. O parágrafo 2628, do Catecismo da Igreja Católica (CIC), nos ensina: “A adoração é a primeira atitude do homem que se reconhece criatura diante do seu Criador. Exalta a grandeza do Senhor que nos criou (96) e a onipotência do Salvador que nos liberta do mal. É a prostração do espírito perante o «Rei da glória» (97) e o silêncio respeitoso face ao Deus «sempre maior» (98). A adoração do Deus três vezes santo e soberanamente amável enche-nos de humildade e dá segurança às nossas súplicas.”

Amados, a adoração nos leva à humildade em reconhecer que não somos nada e que o Senhor é o nosso tudo! Na adoração aprendemos a enxergar, no outro, aquilo que podemos aprender com ele, pois nós não sabemos de tudo.

"Somos, juntos, uma comunidade que é a profecia de Deus para o mundo!"
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com


A Canção Nova é uma comunidade simples, foi na simplicidade que ela se iniciou e nós não podemos perder de vista de onde viemos: a simplicidade que, por vezes, vivemos na Fazenda de Areias, nossa primeira casa de encontros.

Em minha vida, percebo esses traços, eu não sou nenhum grande sábio, tem coisas que falo que é só por meio do Espírito Santo, porque por mim mesmo eu não conseguiria. E de onde vem isso? Da adoração. Meus irmãos, se vocês querem fazer a experiência da graça de Deus, aprendam com o padre Jonas e com a Canção Nova a serem adoradores. Sejamos reflexos do amor de um Deus, que se humilhou na condição humana, para nos salvar.

Declare que a Canção Nova é alimento. Quantos vêm aqui ou participam de nossos encontros e testemunham a companhia que ela é para eles. A Canção Nova é feita de um povo consagrado, aqui é um território santo, onde acontecem cura e libertação.

Obrigado a você que é sócio, porque é graças a você que cada vez mais pessoas são curadas e libertadas. Somos, juntos, uma comunidade que é a profecia de Deus para o mundo!

 

Transcrição e  adaptação: Luana Oliveira (@LuanaCN)

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo