Combatentes iluminando a sua geração

Diácono Fábio Camargos
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com
O Senhor chegou no Acampamento 'Combatentes da Oração'! A partir de agora, todos os nossos inimigos terão de se prostar diante de nós; nenhum deles resistirá ao poder o Senhor no combate da oração. Não importa quem seja o nosso inimigo, ele já foi exposto na cruz do calvário na hora da crucifixão.

Precisamos de um força maior do que aquela que temos, por isso temos de pedi-la a Deus, porque só n'Ele podemos confiar.

“Falou-lhes outra vez Jesus: Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida. A isso, os fariseus lhe disseram: Tu dás testemunho de ti mesmo; teu testemunho não é digno de fé. Respondeu-lhes Jesus: Embora eu dê testemunho de mim mesmo, o meu testemunho é digno de fé, porque sei de onde vim e para onde vou; mas vós não sabeis de onde venho nem para onde vou. Vós julgais segundo a aparência; eu não julgo ninguém. E, se julgo, o meu julgamento é conforme a verdade, porque não estou sozinho, mas comigo está o Pai que me enviou. Ora, na vossa lei está escrito: O testemunho de duas pessoas é digno de fé (Dt 19,15). Eu dou testemunho de mim mesmo; e meu Pai, que me enviou, o dá também. Perguntaram-lhe: Onde está teu Pai? Respondeu Jesus: Não conheceis nem a mim nem a meu Pai; se me conhecêsseis, certamente conheceríeis também a meu Pai. Estas palavras proferiu Jesus ensinando no templo, junto aos cofres de esmola. Mas ninguém o prendeu, porque ainda não era chegada a sua hora.” (Jo 8,12-20)

Esse trecho da Sagrada Escritura retrata uma das peregrinações de Jesus até o templo de Jerusalém. Na sétima vez em que Ele foi àquele lugar, entregou Sua vida por nós. Ele estava lá, tinha ido ao templo para a Festa das Luzes.

Fiéis acompanham pregação, na manhã de sábado, na Canção Nova.
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com

 :: Veja fotos no Flickr

Jerusalém, naqueles dias, ficava repleta de pessoas, porque colocavam tochas em todas as partes da cidade. De repente, à frente de Jesus, judeus chegaram com uma mulher arrastada pelos cabelos, que havia sido pega em flagrante de adultério. Então, Eles questionaram o Senhor sobre a atitude dela. Ele lhes disse: “Quem não tiver pecado, que atire a primeira pedra” (Jo 8,7). Logo depois, Jesus, no meio de todas aquelas tochas, começou a gritar: “Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida”.

Irmão, o Senhor nos trouxe essa Palavra de hoje para nos dizer que Ele está junto de nós. Ele ilumina a nossa vida, ilumina as situações pelas quais passamos e sabe a razão de nossas lágrimas.

O Pai nos deu para Jesus; nós somos d'Ele. Cristo não tira os olhos de nós. Ele, que é a Luz do mundo, diz que também nós devemos nos iluminar. Ele nos trouxe essa Palavra, porque sonhava, desde antes a criação do mundo, em nos ver brilhar.

Aquele que disse “Eu sou a luz do mundo” também falou: “Vocês são o sal do terra e a luz do mundo”. Precisamos brilhar!

Se você tem o rosto abatido por causa da depressão, que seu rosto comece a brilhar agora. O mundo precisa vê-lo e saber que você é diferente, pois tem a Luz de Jesus.

"Para brilharmos diante do mundo é preciso que nos deixemos suscitar pelo Espírito de Deus", exalta diácono.
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com

Quando o Senhor voltar, Ele precisará achar os combatentes na oração muito dispostos a trabalhar, a serem pobres neste mundo consumista, a viver a castidade. Por mais que tenhamos tenha 50, 60, 70 anos de idade, o que é isso comparado aos dois mil anos de experiência da Igreja suscitado pelo Espírito Santo?

Para brilharmos diante do mundo é preciso que nos deixemos suscitar pelo Espírito de Deus.

Se você tem sofrido rivalidades e traições, saiba que seu inimigo não é seu esposo, seu irmão ou aquela pessoa difícil que trabalha com você. O seu inimigo é espiritual, por isso você não pode deixar que a sua lamparina se apague.

O primeiro passo para ser um combatente é reconhecer, diante de Deus, que você não aguenta mais as dificuldades da sua vida. Comece a rezar e dizer para Jesus que você não tem forças para lutar sozinho. Reconheça, diante de Deus, as suas fraquezas. Só assim você receberá a ajuda d'Ele.

Diga para Deus: “Senhor, estou cansado de ser assim”. Vá os pés da cruz e diga a Ele: “Meu Deus, ajuda-me, dá-me a unção do Teu Espírito”. Nesse momento, Ele vai inspirar sobre você o poder do Espírito Santo. Mais do que vontade, você precisa ter amor por Jesus, precisa estar apaixonado por Ele.


Padre Fábio Camargos


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo