Cristão: Busque refúgio e não esconderijo

Padre Fabrício
Foto: Wesley Almeida

A liturgia de hoje é própria de um encerramento de encontro. As leituras de hoje nos chamam atenção para uma realidade antiga e nova. Já ouviram falar da cultura da eliminação? Sabe como é? Vamos eliminando as pessoas que incomodam, pessoas imperfeitas. O profeta está sendo ameaçado porque começa a incomodar.

Descartamos as pessoas por causa da nossa intolerância. Fazemos como objeto que não serve mais, jogamos fora. Não é porque você está de paciência cheia que você elimina os seus filhos, sua esposa.

Como vamos viver ao sairmos daqui? Qual é o processo que Jesus foi submetido? Ele foi colocado no paredão, foi eliminado. Cuidado com o processo de eliminação dentro da nossa própria casa! Cuidado com a intolerância! Geralmente pessoas intolerantes são pessoas que não conhecem os seus próprios limites. Olhe para você com verdade, veja as suas limitações, antes de apontar o dedo.

Jesus viveu o processo de ser eliminado porque incomodou. Jesus sabia da sua identidade, Ele tinha suas "gavetas" em ordem. Jesus pode nos ensinar a nos conhecermos porque Ele se conhecia. Temos que ter cuidado para não sermos o que pensam de nós, não ser "Maria vai com as outras".

Os santos descobriram que podiam fazer dos limites uma escada. São Francisco de Sales era um santo amoroso, carinhoso, mas se olhasse as pontas de dedos dele era machucado por sua luta. Cura interior é luta, temos que aprender a transformar vícios em virtudes, é ver as falhas, mas trabalhar para se tornarem virtudes.

'O Senhor é meu Deus em vós busco o meu refúgio.'

Refúgio significa lugar onde uma pessoa busca segurança. Quem busca esconderijo é covarde, quem foge da luta. O refúgio é para os corajosos, que buscam um lugar para refazerem as forças.

A nossa segurança não está em nós, temos que ter o nosso refúgio para nos restabelecermos, e esse refúgio é Deus. Jesus não teve crise porque Ele estava em Deus, e a nossa luta é para vivermos em comunhão com o Pai. Jesus não foi afetado pelo que disseram d'Ele, Ele não foi um "João vai com os outros". Jesus tinha suas gavetas estruturadas, agora que você conhece as gavetas, organize suas gavetas!

Jesus não esqueceu nenhum momento de quem Ele era, e pergunto a você: quem você é? Você é filho Deus. O Senhor sabia que Ele era filho e fazia a vontade de Deus. Cristão que opta fazer a vontade de Deus, porque sabe que é filho, vai incomodar o mundo.

"Cura interior é caminho para a santidade"
Foto: Wesley Almeida

Se você sair daqui com a convicção de que é filho, prepare-se para via-sacra que viverá.

Jesus não viveu reagindo, Ele agiu, quem não se conhece reage, e não age, porque vive segunda as palmas e vaias. Jesus exerceu seu ministério diante da sua verdade. Olhe o espetáculo que Jesus fez na vida daquele povo, porque Ele assumiu quem era e para que veio.

Admiração e sentimento não transformam em conversão se não passam pela gaveta da vontade. Não tem lugar dentro da Igreja para quem quer viver como fã de Jesus. O cristão precisa viver a conversão.

Não adianta saber quantas gavetas você tem, as lágrimas desse encontro, se cada um voltar apenas para casa, é preciso voltar para casa mudado.

Não pense que voltar para casa será fácil, não estamos mais na ignorância. No seu caminho tem pedras, e agora você vai fazer o quê? Se não dá para passar por causa da pedra, dê a volta.

Cura interior, é caminhar rumo a santidade. Só vamos incomodar o mundo, quando encontrarmos as pedras no nosso caminho, e elas não serem empecilho para seguir de Jesus.


Transcrição e adaptação: Elcka Torres



Padre Fabrício Andrade


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo