Cristão com os pés no chão

Padre Paulo Ricardo
Foto: Robson Siqueira

Por mais que vivamos em Deus, em nós existe uma tendência inclinada ao mal, ao pecado. O ser humano tem que lutar para ser bom; a fé explica isso pela doutrina original. Quando pecamos, é porque queremos ser felizes, mas, na verdade, estamos nos destruindo. A gula, a luxuria e a avareza, de que trato neste livro, são os pecados que, primeiramente, precisamos combater. Depois que superamos estes pecados, aí enfrentamos doenças mais difíceis de enraizar como a ira, a raiva, a tristeza, a ascídia (que é uma forma de tristeza mais radical), a vaidade e a soberba.

Olhando, concretamente, para nossa vida, somos pessoas que precisam do olhar de Deus.

Meu amigo tem um filho chamado Gugu, e o Gugu dizia ao primo: "Vamos virar Robin e eu Batman?" Todas as vezes que o primo ia lá, eles diziam que um era o Robin e o outro era Batman, até que, uma vez, o primo não quis brincar. Daí o Gugu pediu à mamãe dele a chupeta e disse a ela: "Mãe, não vou ser Batman, vou ser Gugu mesmo". Nós adultos, muitas vezes, brincamos de ser Robin e Batman, porque queremos viver em fantasias. Queremos enganar a nós mesmos, pois não amamos a verdade.

Quantas vezes, doentes, as pessoas não vão ao médico com medo da verdade? Jesus nos disse que "a verdade nos libertará", mas ela dói, é dura.

O pecado nos faz mal, nos destrói, nos maltrata. O pecado não é relativo, ou seja, para mim é pecado, mas para você não é. Mas ele é igual veneno; mata.

Muitas pessoas falam que a Igreja é tradicional, que não permite sexo antes do casamento. Isso acontece porque a sociedade tem a mentalidade da liberdade, na qual cada um constrói sua família do jeito que quer. Mas pecado é pecado, é objetivo.

Está escrito na natureza do sexo que ele existe para a reprodução, quando, numa relação sexual existe a possibilidade de se ter um filho – e filho é para sempre, não só um momento de lazer. Porém, na nossa mentalidade de Robin e Batman, dizemos que não tem nada a ver sexo com filhos; isso é a realidade.

A Igreja não pode aceitar sexo antes do casamento. O mundo está cheio de jovens que usaram camisinha e estão grávidas. Quantas crianças, filhos de adolescentes, não tem pai ou não vivem com o pai e a mãe! Assim como você ensina seu filho a não roubar e a comer na hora certa, você precisa ensiná-lo a viver a castidade.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo