Cruz: loucura de amor

Ouça trecho dessa pregação

Nós estamos em um Acampamento de Oração, e acampamento é o lugar dos cristãos. Os cristãos desde o tempo dos apóstolos já se reuniam. Antigamente acontecia que as cidades eram todas cercadas de muros, e quando vinha um grande número de peregrinos a uma cidade não cabia todo mundo dentro da cidade. Então era necessário formar acampamentos fora dos muros. E o acampamento que estava ao lado da cidade era a paróquia, que era acampamento de peregrinos.

Graças a Deus, Ele nos chamou para estarmos acampados neste mundo, nós não temos morada definitiva neste mundo, nossa casa está lá no céu. E você que está na barraca acampado, você está vivendo uma experiência espiritual de Deus, é assim nossa vida no mundo, marcada pelo desconforto de não estarmos em casa. Mas um dia passa esse tempo de acampamento aqui na terra, e nós vamos para a casa do nosso Pai, no céu.

Hoje gostaríamos de dar um passo a mais no capítulo 6 de Efésios. A armadura do cristão. Vamos refletir a nossa luta contra o mau. Para vivermos esta luta contra as conseqüências do pecado precisamos estar consciente de que estamos em luta. Eu costumo dizer assim: "Eu não sou um homem, eu sou um campo de batalha". Apesar de ser padre, de cuidar das coisas de Deus, eu estou em batalha. O pecado deixou em nós muitas conseqüências, deixou em nós uma mentalidade que não reconhece em Deus um amigo. Por causa do pecado nós começamos a ter medo de Deus.

No livro do Gênesis nos relata que Deus descia ao paraíso e ficava passeando com o homem. Mas o pecado fez com que o homem fizesse do seu amigo um inimigo, pois a gente só se esconde daquilo que temos medo.

O demônio nos dá dinheiro, fama, nos dá o prazer da comida, da bebida e do sexo, e vai parecendo que Deus é aquele que proíbe tudo o que é bom, parece que Deus é um desmancha prazeres. Por causa do pecado essa idéia está enraizada, por causa da nossa mentalidade mundana, olhamos para a cruz, e aquilo nos causa angústia. Até nós cristãos estamos nos tornando inimigos da cruz, todo mundo só quer falar do sucesso, por exemplo, aquela igreja que é "de ir mais cedo pro inferno", como diz o Nelsinho Correa.
Vamos enxergar o erro no outro pra servir de espelho para nós, a lógica deles é:
Deus não quer a doença, o sofrimento e o mal, se você está na dor é porque você está de braços dados com o demônio, você precisa voltar para Deus e dar o seu tudo para Deus. Você está materializando sua fé, se você vender a sua casa por dez mil, Deus vai te dar trinta mil. Pagar o dízimo sobre todas as coisas, você dá tudo o que você tem, e se caso esta matemática falhar a culpa é sua e nunca a do pastor, você é que não teve fé. Este deus é tão lógico que ele não pode ser Deus, porque Deus não cabe dentro dos nossos esquemas, o Deus verdadeiro nos desconcerta todo o tempo.

Deus não é irracional não, é de uma racionalidade muito maior que a minha. Um famoso filósofo: Jean Ghiton escreveu o livro: "Meu testamento filosófico", ele narra de forma romanceada a sua morte. Ele que está lá no seu apartamento, agonizando na cama, e na hora da morte quem vem nos visitar é o diabo, e a última provação na hora da morte, é o diabo perguntando a razão da nossa fé. Ele conta no romance que o secretário dele foi abrir a porta e quando ele abriu era o diabo, que se identificou, e o secretário desmaio. O diabo entrou de palitó e gravata, todo arrumadinho, e foi até o pé da cama e perguntou: Jan Ghiton por que você crê em Deus? E ele diz uma coisa que parece estranha, mas que é extraordinária: "Eu creio em Deus porque é difícil crer nele". Como assim? Pergunta o diabo. E ele responde: "Porque todas as vezes que eu penso que eu prendi Deus, que eu aprisionei Deus nos meus esquemas mentais, Deus me surpreende me desconcerta e escapa". Eis aí um testemunho de um grande filósofo do século XX. Deus não cabe nos meus esquemas mentais.

Quando fugimos da cruz nós corremos para os braços da morte. E quem foge da cruz é o diabo. Jesus diz: "Se quer me seguir tome a sua cruz e siga-me". Vamos para o calvário, mas também teremos a manhã da ressurreição.

Imagine a desproporção entre a sua mente e a de Deus. Vamos ser sinceros conosco mesmo, tem coisa mais sem lógica do que a morte do padre Léo? Ele estava no auge, então a sua morte não cabe na nossa cabeça. Mas saibam que, se Deus quis assim é porque lá no céu ele está fazendo muito mais do que estava fazendo aqui. Deus, certas horas, não entra na nossa cabeça. É porque um Deus que cabe na nossa cabeça não é Divino, se cabe na minha cabeça eu o domino.

Como é possível imaginar um cristianismo sem cruz. Esta sempre foi a Igreja Católica que vive a cruz. A cruz é loucura para o mundo. Eu prego Cristo crucificado. Os evangélicos não têm coragem de colocar o Cristo na cruz, porque não quer saber da cruz, então começa um paganismo, igreja administrada como se fossem supermercados. Igrejas que começam a fazer a sua pregação a partir de ibope, a partir daquilo que você quer ouvir.

Se você está doente, lute vá a um médico, mas saiba que às vezes a dor é inevitável, e se você fez de tudo, veja o padre Léo, a morfina já não adiantava. Se tiver solução lute, espere, e aproveite para transformar a dor em salvação.

A primeira batalha que você tem que fazer dentro de você mesmo é para não fugir da cruz. Nós católicos estamos muitas vezes sendo inimigo da cruz. Cuidado! Pois você está se tornando amigo daquele que foge da cruz. Não murmure, deixe Deus te amassar, Ele te amassa com o pé, Ele está provando a sua fé.

Em janeiro em 2007 fez dez anos que eu me converti. Todos os dias eu preciso de conversão, mas eu já era padre há cinco anos. Em janeiro eu estava sofrendo muitas calúnias no meu ministério, coisa que todo mundo tem, mas o extraordinário foi a graça de Deus. E eu perguntava meu Deus porque este sofrimento.

Padre Paulo Ricardo testemunha sua experiência com Santa Terezinha

Deus começou a me mostrar que eu não podia mais fugir da cruz. "Quem quiser se salvar vai se perder. Quem se perder por amor a mim vai se salvar".

Eu não estou dizendo para você aceitar a injustiça, mas como ela é inevitável "bate a porta" da sua casa e não tem jeito. Deus não permitiria os males se deles não pudesse tirar um bem muito maior, esta luta espiritual de abraçar a cruz. Jesus viveu no Horto das Oliveiras e não foi fácil, Ele transpirou sangue. Rezemos com Jesus neste momento.

Oração com padre Paulo Ricardo

Transcrição: Célia Grego
Fotos: Renan Félix
Edição e áudios: Willieny Isaias


 

 Adquira essa pregação pelo telefone:
(12) 3186-2600


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo