Dai-me almas e ficai com o resto

Padre Edimilson
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com
Na primeira leitura de hoje, vemos a continuação da segunda carta do apóstolo Paulo a seus filhos espirituais em Coríntios. Ele, neste momento, não se prendia na sabedoria ou no conhecimento da Palavra para evangelizar, mas sim no amor que é próprio de Deus.

Ele sabia que, naquele momento, precisava de mais do que Palavras para alcançar os corações endurecidos, e o melhor caminho era apresentar uma vivência coerente com a vida do próprio Cristo.

O coração do Papa tem sido dilatado de uma tal forma, nesse pouco tempo de pontificado, que tem impressionado até mesmo aquelas pessoas que sempre falaram mal da Igreja. Prova disso é o diálogo que ele tem aberto com líderes de outras religiões e acolhido vários em audiências no Vaticano.

O que aconteceu, na época de Paulo, também acontece no tempo de Francisco. E da mesma forma que aconteceu naquele tempo, também  vai acontecer agora. Em seu tempo, Paulo viu um crescimento do número de fiéis e precisou acolher cada um.

Hoje, os bispos e sacerdotes também precisarão ter um coração dilatado, pronto para acolher as inúmeras pessoas que voltarão para a Igreja Católica. Isso é fruto do Evangelho vivido.

O fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib, diz-nos que tudo que havia para ser dito já foi dito, e, a partir de hoje, é necessário viver tudo aquilo que foi pregado nas últimas décadas.

Quando não somos parte do Evangelho, acontece o que temos visto aos muitas de nossas igrejas, que cada dia ficam mais vazias. Tudo porque aparecem falsos profetas falando de uma vida de facilidade, fartura e prosperidade, mas que não é a Igreja de Cristo.

O profeta Oséias diz que o povo se perde por falta de conhecimento. E é justamente por essa razão que muitos se afastam da Igreja, pois, quando precisaram dela, não tiverem apoio dentro das suas paróquias e comunidades, ou seja, não temos a quem culpar, pois somos os verdadeiros culpados.

"O Evangelho precisa ser refletido na sua vida", ensina padre Edimilson
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Não precisamos ir atrás de curas, bênçãos e promessas em outras igrejas, pois o Senhor, muito antes de necessitarmos, já sabia do que precisávamos.

Paulo escreve a carta àqueles fiéis em prantos, porque não era fácil exortar aqueles que amava, mas ele sabia que, em meio a esse tempo, era que o Senhor se manifestava. Ele foi caluniado e alvo de dúvidas, pois muitos duvidavam que seu ministério realmente era um dom de Deus.

Nosso Papa tem chamado atenção da própria Igreja, principalmente daqueles que entram com intuito de fazer carreira. A Igreja não é uma repartição pública ou uma empresa, na qual se busca status ou benefícios.

Nossa Igreja precisa de pastores santos e piedosos, capazes de dar até a última gota de sangue pelo rebanho do Senhor. Cada um precisa ter em mente a missão à qual foi confiada, que é o anúncio do Senhor e nada mais.

O Evangelho de hoje precisa sair da Bíblia e habitar nosso coração. Não podemos ficar acomodados diante das almas que se perdem, diante dos jovens que se destroem ou das famílias que se desfazem.

O Espírito mostra uma nova face da Igreja nesse momento, a mesma face que foi apresentada por Jesus. Não há como fugirmos do que somos e da nossa missão. Tenha um coração aberto para se fazer cada vez menos, para que Deus cresça em abundância.

 
Transcrição e adaptação: Gustavo Souza

Padre Edimilson Lopes


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo