Desistir jamais!

Cleto Coelho
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com
“Naquele tempo, disse Jesus à multidão: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede. Eu, porém, vos disse que vós me vistes, mas não acreditais. Todos os que o Pai me confia virão a mim, e quando vierem, não os afastarei. Pois eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. E esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não perca nenhum daqueles que ele me deu, mas os ressuscite no último dia. Pois esta é a vontade do meu Pai: que toda pessoa que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna. E eu o ressuscitarei no último dia” (Jo,6 35).

Esses versículos já nos são conhecidos, mas o que me chama à atenção é essa parte: “E esta é a vontade daquele que me enviou: que toda pessoa que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna. E eu o ressuscitarei no último dia”.

Essas são palavras de esperança para uma realidade que não tem fim. Trata-se da eternidade.

Nessa partilha, desejo levar ao seu coração muita esperança, paz e amor. Sabe por quê? Porque, no dia a dia, temos muitas lutas para vencer. Na hora da dificuldade, o fato de não entendermos o que está acontecendo, torna-se mais fácil desistir ao invés de perseverar.

Por mais que nos organizemos e tracemos nossos planos, sabemos que a vida é imprevisível. Fazer conquistas é muito bom, e desejamos a vitória em tudo, para todas as coisas, mas infelizmente, nem sempre a conquistamos. Nessas horas, precisamos continuar na caminhada.

Todos querem ganhar, mas ninguém quer conjugar o verbo “perder”. A nossa vida não pode parar em meios às perdas, às derrotas e aos fracassos. Há pessoas que, diante de uma derrota, faz com que a sua vida seja paralisada em determinada situação. Pode até ser que outros eventos, na vida delas, podem correr bem, mas quando a situação remete àquela experiência, a pessoa fica paralisada.

Lembremos que aquele que olha o Filho e n'Ele crê tem a vida eterna. É mais fácil desistir ou perseverar?

Na sua vida, já se perguntou o que você precisa fazer para ganhar a vida eterna? Muitas vezes, nossas metas estão apenas baseadas nesse plano terrestre. Faturar, ganhar, ganhar… Mas há uma situação que não podemos deixar perder. Essa situação ninguém pode deixar de conquistar: a vida eterna.

"A vontade de Deus é que nenhum de nós se perca", diz Cleto.
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Ricos e pobres estão também sujeitos às perdas, mas, em meio de tudo, não podemos perder a visão do céu, da eternidade.

A vontade de Deus é que nenhum de nós se perca. Por amor, Jesus não deixou que se perdesse nenhum daqueles para os quais Ele foi enviado. O senhor o amou em todos os eventos até chegar na cruz para fazer a vontade do Pai. Podemos ver em Jesus um modelo de fidelidade.

Cristo é a nossa referência para não cair no sentimento da desistência. Sabemos que estamos vivendo, nos nossos dias, um grande desafio: “Não desistir das pessoas”.

Quando Jesus morre na cruz, Ele o faz para os bons e os maus. Infelizmente, no nosso dia a dia, ninguém está disposto a investir nas pessoas. Diante de um problema de relacionamento, elas acham mais fácil desistir, trocar de esposa (o), ficar indiferente com alguém.

Jesus não desistiu de nenhum de nós. Da nossa parte, precisamos acreditar que com Ele é possível ser diferente.

Olhando para as pessoas ao nosso lado, e sabendo da realidade que cada uma pode estar vivendo, podemos nos perguntar: Quem poderá se salvar?

Precisamos dar uma resposta de esperança àqueles que não veem soluções, pois o que é impossível aos homens é possível a Deus.

Não sei o que para você é impossível, mas lembre-se que para Deus isso não existe. Para que o impossível se torne possível, na nossa vida, precisamos perseverar, caminhando e testemunhando sem desistir.

No dia a dia, é difícil testemunhar aquilo que Jesus é. Sabemos que Ele é amor, um amor que não desiste e está sempre disposto a perdoar. Para nós, que temos Jesus como modelo, é necessário fazer também essa experiência, acreditando, não por razões humanas, mas ciente do que Deus pode fazer por ela.

Acostumamo-nos a descartar nosso celular, quando este fica velho, mas com pessoas não podemos fazer o mesmo. Isso não é fácil, mas é possível. Não podemos entrar em desespero, porque, senão, perdemos a esperança.

Há duas perdas que desestruturam uma pessoa: a morte e o desemprego. Há perdas irreversíveis como a morte, por exemplo, mas, diante das mais duras situações, precisamos aprender a trabalhar com o que é inevitável sem entrar em desespero. Isso é possível quando buscamos valores naquilo que temos em nossas mãos. Somente Deus pode nos dar essa força de criar novas perspectivas de vida, de buscar novas oportunidades.

Sabemos que não temos somente dias bons, então, precisamos acreditar que com Deus tem jeito, mas não é o nosso jeito. O modo de o Senhor agir é diferente do nosso. Lembre-se que Deus é perdão, e isso nem sempre somos. O tempo d'Ele é diferente do nosso, pois mil anos é como um dia e um dia como mil anos para o Senhor. Ele deu a liberdade para todos, então, cabe a nós olhar para a pessoa que está perdida e esperar, confiando na ação de Deus na vida dela.

Acolhamos o compromisso de olhar para a cruz, acreditando, perseverando na caminhada, pois estamos nas mãos de Deus e seremos abandonados. Podemos perder tudo, mas não podemos perder a nossa fé na eternidade.

Transcrição e adaptação: Dado Moura

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo