Deus te amou primeiro

Dunga
Foto: Maria Andrea/Cancaonova.com

Bom dia, meus irmãos! Sou imensamente grato a Deus por ter me escolhido para estar com vocês aqui neste dia, e justamente por causa dessa escolha, quero partilhar com vocês o que São João (Jo 15,16) nos ensinou: “Não vós me escolhesses, eu vos escolhi.”

Assim, Deus faz conosco. Ele nos escolheu, nos juntou quando menos esperávamos, como alguém que faz um buquê de flores, ele vai escolhendo uma a uma as flores. Esta verdade nos enquadra em uma situação desafiadora e confortável: A escolha foi de Deus!

O Senhor, de acordo com Seus critérios, nos escolheu, e à medida que vai passando o tempo, vamos percebendo que Ele também escolheu nossos irmãos, escolheu quem está ao nosso lado no ministério. São Paulo nos ensina, em 1 Cor 1, 4-9, que não nos falta dom algum, a Palavra diz o seguinte:

Dou sempre graças a meu Deus a vosso respeito, por causa da graça que ele vos concedeu no Cristo Jesus. Nele fostes enriquecidos em tudo, em toda palavra e em todo conhecimento, à medida que o testemunho sobre Cristo se confirmou entre vós. Assim, não tendes falta de nenhum dom, vós que aguardais a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo. É ele também que vos confirmará em vosso procedimento irrepreensível até o fim, até ao dia de nosso Senhor Jesus Cristo. É fiel o Deus que vos chamou à comunhão com seu Filho, Jesus Cristo, nosso Senhor.

Quando vamos nos deparando uns com os outros percebemos que o que falta em nós superabunda no outro, por isso quando estamos em comunhão não nos falta dom nenhum. Meus irmãos, temos nossos limites, e quando vamos nos deparando com eles chegamos ao outro.

Mas no mesmo capítulo em que São Paulo afirma que não nos falta dom algum, o apóstolo afirma que dentre os escolhidos não havia muitos sábios, fortes, por isso os escolhidos não podem glorificar a si mesmos, mas sim a escolha de nós, homens limitados, se dá para a manifestação da glória de Deus (cf. 1 Cor 1, 26-31).

A escolha de Deus é insondável, Ele vê em nós coisas extraordinárias. Meu primeiro palco foi um galinheiro, e lá como criança Deus já me via, e me escolheu. Portanto, meus irmãos, quando assumimos que a escolha é de Deus somos livres, nos abrimos para acolher os outros, porque sabemos que a escolha do outro também é do Senhor e ques estas [as escolhas de Deus] são fantásticas.

Quando Deus nos escolheu Ele sabia de todos os nossos limites, por isso jamais conseguiremos decepcioná-Lo, nós podemos nos decepcionar uns aos outros, e até nós mesmos, mas a Ele jamais. Não devemos ter medo de recomeçar quantas vezes forem necessárias. Inúmeras vezes ficamos esgotados, mas nestes momentos de dor, sofrimento, quando achamos que não vamos conseguir sair daquela situação, o Senhor se utiliza daquilo tudo para nos levar a Ele.

"A escolha de Deus é insondável, Ele vê em nós coisas extraordinárias. Meu primeiro palco foi um galinheiro!" afirma Dunga
Foto: Maria Andrea/Cancaonova.com

   :: Veja fotos no Flickr
:: Veja + fotos também no Facebook

 

Quero dizer a você: não tenha medo de chegar ao seu limite, porém, não fique nele, utilize-se dessa situação para dar uma nova resposta a Deus, pois caso contrário corremos o risco de fazer besteira.

Preciso dizer a vocês ministros da música católica, nós precisamos uns dos outros, esta dependência faz de nós diferentes, cantamos o Antigo e o Novo Testamento, a Doutrina, os Dogmas, nosso amor a Virgem Maria, ao Santo Padre. Enfim, somos submissos a toda uma história, que é manifestada por meio das nossas canções.

Meus irmãos, Deus nos escolheu primeiro, por isso devemos deixar para trás toda picuinha, divisão, e promovermos uns aos outros. Estou dizendo isso para que vocês não errem como nós erramos, demoramos muito para perceber que Deus nos escolheu, demoramos muito para amar o dom do outro.

Quero terminar com a Palavra de Deus, São Paulo nos ensina: “De fato, irmãos, reparai em vós mesmos, os chamados: não há entre vós muitos sábios de sabedoria humana, nem muitos poderosos, nem muitos de família nobre. Mas o que para o mundo é loucura, Deus o escolheu para envergonhar os sábios, e o que para o mundo é fraqueza, Deus o escolheu para envergonhar o que é forte” (I Cor 1, 26-27).

Sabemos da nossa história, temos a consciência da nossa pequenez e onde o Senhor foi nos encontrar. Portanto, meus irmãos, agradeçamos a Deus Pai pela escolha d'Ele e correspondamos ao Seu amor. Não tenhamos medo de amar!

 

 

Transcrição e adaptação: Ricardo Gaiotti

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo