Devemos encorajar essas expressões amorosas do Senhor

Caríssimos irmãos de episcopado e demais irmãos e irmãs, o tema da primeira leitura foi a família, as relações familiares, os valores da família cristã e sobre o direito e o dever de defender e resgatar a família.

Interpreto que Nosso Senhor nos fala muito forte na palavra, comparando o Reino de Deus como um grão de mostarda e como o fermento na massa. Porque não interpretar que o Senhor nos diga: “Estou apresentando a minha Igreja, uma pequena semente, um pequeno fermento, para levedar e santificar toda a comunidade familiar: as Comunidades de Aliança e Vida, que hão de revitalizar todas as pastorais familiares, batizando um povo aqui e ali”.

Quem sabe não sejam eles a abrir esse espaço novo, para que tenhamos a percepção que coisas pequeninas nas mãos do Senhor têm uma potência incrível. Eu estive pensando nisso e creio que é bem por aí o caminho que o Senhor indica a nós, seus pastores.

Louvemos o Senhor pensando no grande desafio da santidade de vida que Ele nos propõe na solenidade litúrgica que antecipamos nesta vigília. Percebamos nitidamente o quanto devemos encorajar essas expressões amorosas do Senhor no meio de nós, para que sejam legitimamente constituídas como fermento na massa ou um pequeno grão que cresce e se torna uma hortaliça, onde vem os pássaros se abrigar.

Que assim possa ser a força dos casais consagrados, nessas comunidades novas, para a santificação dos nossos lares. Amém!


Dom Alano Maria Pena


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo