Dez armas espirituais contra o inimigo

Estamos compreendendo um pouco mais da realidade espiritual que nos cerca a cada instante, por isso rezemos a couraça de São Patrício: “Cristo comigo, Cristo em minha frente, Cristo atrás de mim, Cristo em mim, Cristo abaixo de mim, Cristo sobre mim, Cristo à minha direita, Cristo à minha esquerda, Cristo quando me deito, Cristo quando me sento, Cristo quando me levanto, Cristo no coração de cada um que pensa em mim, Cristo na boca de cada um que fala de mim, Cristo em todo olho que me vê, Cristo em todo ouvido que me ouve. Amém!”

Quero partilhar com você dez armas espirituais para combater o inimigo, pois a luta que travamos está no campo espiritual. No livro de Juízes, nos capítulos 6 e 7, lemos as batalhas que Gedeão travou contra os madianitas. Esse povo, ao saber que toda Israel os temia, por vezes se escondiam em cavernas para que pudessem atacá-los. Hoje, muitos se escondem, refugiam-se em outros lugares, menos em Cristo.

Deus quis libertar o seu povo, por isso convocou Gedeão para lutar contra os madianitas. Você pode ler o que o Senhor disse ao seu escolhido: "O Senhor está com você, poderoso guerreiro" (Jz 6,12). Da mesma forma, Ele permanece conosco no combate. Nós não estamos sozinhos.

“Deus não nos chama para sermos bem-sucedidos, apenas para sermos fiéis” (Madre Tereza). Jesus é o nosso valente guerreiro e na cruz lutou para a nossa salvação. Você, que está pensando em desistir e abandonar sua Igreja, eu lhe digo: "Não desista; antes, olhe para a cruz, pois olhando para ela suas forças são renovadas". 

Quem é o nosso inimigo? A Palavra de Deus nos responde: “Sede sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar” (II Pd 5,18).
 

"Tenha um olhar fixo em Deus," exorta padre Gustavo
Foto: Arquivo CN

O inimigo nos coloca medo, ele se vale de coisas erradas que fizemos no nosso passado e nos acusa hoje.

Essas são as armas espirituais que devemos usar contra o inimigo:

A Autoridade dada por Deus (Lc 10,19). Ao fazer o sinal da cruz, faça-o com autoridade. Você é um guerreiro, então use as armas que tem;
A Submissão ao Senhor (Tg 4,7). Querer o que Deus quer e aceitar o que Ele faz. Madre Paulina dizia: “Vontade de Deus paraíso meu”;
 A armadura de Deus. Se um soldado deixa de colocar uma parte da armadura, deixa brechas, por isso São Paulo nos pede para vestirmos toda a armadura. (Ef 6, 10-18);
O nome de Jesus, pois Ele tem autoridade, até mesmo para derrotar o demônio. Por isso, diante de qualquer dificuldade, clame o sangue de Cristo (Mc 16, 17); 
A Palavra de Deus, pois ela é a nossa posição espiritual, ela nos impulsiona no combate. Que a Palavra de Deus seja lâmpada para os nossos pés (Sl 119, 105);
O Sangue de Jesus, pois foi ele que nos resgatou. Clame: O sangue de Jesus tem poder!;
O Espírito Santo, nossa força espiritual (At 1,8). Sem Ele nós não sabemos nada; 
O colo do Senhor. Precisamos aprender a descasar em Deus (Mt 11,28-30). Sabemos que a luta não é fácil, por isso devemos ir ao encontro do Coração de Jesus;
A Oração, uma arma de defesa e de ataque. Peça que o Senhor renove em você o dom da oração.
10ª A vitória que vence o mundo é a nossa fé. Ore e creia, experimente a vitória, seja uma pessoa de fé. Tenha um olhar fixo em Deus.


Padre Gustavo Sampaio


Sacerdote da Comunidade Missão Sede Santos

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo