Discípulos do amor

OUÇA: Oração da manhã com Diácono Nelsinho

Sinta-se hoje alcançado pelo amor de Deus, sinta-se hoje fazendo experiência com o Senhor que te ama de uma forma toda especial, porque somos Terra de Santa Cruz e nesta terra do nosso coração só pode dar frutos bons, porque neste coração o sangue de Jesus foi derramado.

OUÇA: "Sinta-se alcançado pelo amor de Deus"

Quais os sentimentos você deixará que jorre no seu coração? Os sentimentos de amor, o amor que nos purifica? “Aquele que crê, do seu interior jorrará rios de água viva”. A água viva do amor do Espírito Santo.

O amor de Deus nos renova para que nossa resposta aos irmãos seja de amor. O amor de Deus foi cravado no nosso coração, quando eu assumo essa pertença eu me torno servo do amor. Deus não somente nos ama, mas nos torna capazes de amar, nos torna discípulos do amor.

Quais são suas atitudes, seus gestos onde tem faltado amor? Eu pertenço ao amor. É preciso fazer o esforço para que amor do Senhor nos conduza. Diante dos seus algozes, Jesus simplesmente derramou-se de amor. Para amar é preciso morrer, pois a plenitude do amor foi derramada na morte, e da morte nasceu o amor.

É preciso que morra tudo aquilo que em nós está desregrado. Quando eu me separo do amor eu perco o sentido da vida porque eu fui criado para amar, para adorar. E desta forma tudo aquilo que nós fazemos precisa ser reflexo do puro amor de Deus e para isso eu preciso amar, morrendo para o homem velho para que nasça o homem novo e a partir desse modelo eu possa ser instrumento do Amor. Enquanto isso não acontece quem vai regendo a nossa vida são as coisas desregradas.

Neste dia de graça como está o seu coração? Quais são as sementes que você tem alimentado no seu coração? Quais são os sentimentos do seu coração? São aqueles provenientes do amor? O que tem governado o seu coração? Porque o Senhor nos deu o mandamento do amor, o mandamento do encontro da plena felicidade, só pela força do Espírito Santo dom de amor encontramos força para amar.

É a água viva do amor que precisa jorrar no meu coração, minha vocação primordial é o amor.

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada. Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria! A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará. A nossa ciência é parcial, a nossa profecia é imperfeita. Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá. Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança. Hoje vemos como por um espelho, confusamente; mas então veremos face a face. Hoje conheço em parte; mas então conhecerei totalmente, como eu sou conhecido. Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade – as três. Porém, a maior delas é a caridade” (I Coríntios 13, 1-13).

São Paulo falando da excelência da caridade, vai colocando o amor como um elemento purificador, que restabelece a ordem do nosso interior, refletindo no exterior. São Paulo fala dando a solução da comunidade que se encontra dividida, a comunidade de Corinto era muito rica nos dons carismáticos e mesmo assim ela começa a fugir da sua vocação primeira, o amor. E como a comunidade se desvia, São Paulo vem para colocar a comunidade no seu devido lugar. Se nós queremos sanar as desordens do nosso coração, precisamos amar para que esse amor nos conduza. Eu não sei quais desordens você traz, mas é pelo amor que essas desordens serão sanadas.

A apresentação de São Paulo sobre o amor não superficial, é palavra verdadeira para uma Igreja que está dividida. A comunidade estava perdendo o sentido de ser cristão, o amor, o restante é conseqüência.

Talvez tenha muita gente perdida porque falta estabelecer essa pertença ao amor. O elogio ao amor é a via por excelência da experiência cristã. Nada vale sem amor.

Mesmo que eu atuasse na mais profunda atitude de heroísmo, se faltar a caridade, de nada vale. O amor tem gerado paciência, caridade nos seus relacionamentos? A inveja não é amor, o orgulho não é amor. E se não é amor de nada vale, para nada serve. O amor não é arrogante, não busca seus próprios interesses. Não viver o perdão significa estar fora do amor. Quem ama dá o perdão, pois o amor nos capacita a perdoar.

Para amar, muitas vezes teremos que morrer para nossa razão, para que o rancor não reine. Eu não vou me alegrar com a injustiça, mas rejubilar com a verdade. Muitas vezes desejamos o mal para o outro, isso não é amor. Toda atitude, todo gesto, tudo deve conduzir para uma vivência do amor, é assim que devemos caminhar, para que amor caminhe em nosso meio.

São Paulo exorta como pai que corrige os filhos, porque é amor a expressão salvífica do amor de divino. Eu só sou capaz de amar porque Deus me amou primeiro (1 João 4:19), se eu digo que não consigo amar eu nego a palavra de Deus. Você é capaz de amar, mas precisa morrer para suas desordens. Talvez o seu coração esteja cheio de ervas daninhas: orgulho, inveja, rancor… Você deve mexer na terra do seu coração sem medo, você deve arrancar as ervas daninhas pela raiz.

Só na experiência do amor eu consigo definir os meus sentimentos, aquilo que eu sou, pois eu encontro com o meu Criador, e aí eu reconheço quem é Deus e quem sou eu. Eu deixo que o Criador transforme a criatura, e meu coração se torna livre para viver o amor de Deus. Caso contrário, patinamos nos nossos sentimentos contrários e não chegamos a lugar nenhum.

O amor é essa força divina, doada por graça, que renova o meu coração e me leva a maturidade do amor cristão. Tudo vai passar, só o amor irá permanecer. Se eu quero permanecer no amor, tenho anseio de eternidade, tenho que viver as coisas que não passam, aquilo que é essencial, o amor. Meu desejo de eternidade passa pelo desejo de amar até o extremo.


OUÇA: "Só é cristão quem ama"

O amor realmente apaga toda a mancha, pecado, elimina as desordens. O amor age assim. É preciso ir além das aparências para que o amor nos alcance, tudo que se faz fora do amor, é inútil.

É o Espírito Santo que infundindo em nosso coração nos dá todas as graças para que sejamos sinais do amor. Foi do amor que brotou a missão, o amor que os primeiros cristãos possuíam irradiava e fazia com que as pessoas desejassem aquela experiência dos apóstolos, o amor atrai.

Muitas vezes nós nos redemos aos sentimentos desregrados e eles tomam contam de nossa vida. Quantas pessoas deram margem ao rancor e se tornaram pessoas amargas, nada está bom, porque o rancor está profundamente enraizado. É preciso arrancar esse sentimento pela raiz. Eu preciso dessa experiência do amor, aquele que se sente amado torna sinal do amor e derrama amor aos que estão a sua volta.

Diante do amor não se pode fixar medida, a única medida de amar é amar sem medida. Nem tudo que nós sentimos devemos realizar, porque em nós está a tendência para o pecado, a grande luta está em não permitir que o desregrado governe, é preciso identificar, para que possamos dar uma resposta diferente.

Pela experiência do amor repousamos em Deus e Ele nos quer mergulhados nesta graça.

“Vieram os soldados e quebraram as pernas do primeiro e do outro, que com ele foram crucificados. Chegando, porém, a Jesus, como o vissem já morto, não lhe quebraram as pernas, mas um dos soldados abriu-lhe o lado com uma lança e, imediatamente, saiu sangue e água. O que foi testemunha desse fato o atesta (e o seu testemunho é digno de fé, e ele sabe que diz a verdade), a fim de que vós creiais. Assim se cumpriu a Escritura: Nenhum dos seus ossos será quebrado (Ex 12,46). E diz em outra parte a Escritura: Olharão para aquele que transpassaram” (Joao 19, 32-37).

OUÇA: "Para amar é preciso morrer"

É o ato extremo de amor de Jesus, é daqui que jorra a fonte de amor. Por isso diga: “Eu sou Terra de Santa Cruz porque em mim foi cravado o amor”. Assumir isso na nossa vida define nossa salvação eterna. O Senhor não cessa de derramar seiva verdadeira para que eu dê frutos em abundância, Ele é amor e quer manifestar isso em nós. Não fique na superfície, aí fica sempre a agitação, e no profundo eu faço a experiência com Deus, pois Ele vai fecundando o amor em mim.

Para amar é preciso morrer. Onde você está resistente para amar, para crescer e amadurecer para ser feliz? Quem ama é feliz. Quer ser feliz? Ame. Deixe que amor de Deus governe seu coração. Deixe que este amor te acolha e te alcance.

Transcrição e áudios: Willieny Isaias
Fotos: Natalino Ueda
 


Adquira essa pregação pelo telefone
(12) 3186-2600


Padre Eliano Luiz Gonçalves


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo