É preciso reavivar o carisma

Padre Fábricio
Foto: Andrea Moraes

A liturgia de hoje nos faz tomar posse da escolha de Deus para mim e para você. Deus me escolheu e minha escolha foi diferente da sua.

Acompanhe a liturgia

Existe uma escolha sobre você, e para ser escolhido precisa haver critérios, a Palavra de Deus fala: boa fama; não é a fama, o sucesso, mas a fama de testemunhar Deus. Não somos convidados a ser agentes secretos, precisamos ser conhecidos como homens e mulheres de oração. Precisamos estar cheios do Espírito Santo, cheios de sabedoria do Alto.

“Então disse o SENHOR a Moisés: Toma a Josué, filho de Num, homem em quem há o Espírito, e impõe a tua mão sobre ele.

E apresenta-o perante Eleazar, o sacerdote, e perante toda a congregação, e dá-lhe as tuas ordens na presença deles.

E põe sobre ele da tua glória, para que lhe obedeça toda a congregação dos filhos de Israel.

E apresentar-se-á perante Eleazar, o sacerdote, o qual por ele consultará, segundo o juízo de Urim, perante o SENHOR; conforme a sua palavra sairão, e conforme a sua palavra entrarão, ele e todos os filhos de Israel com ele, e toda a congregação.

E fez Moisés como o SENHOR lhe ordenara; porque tomou a Josué, e apresentou-o perante Eleazar, o sacerdote, e perante toda a congregação.

E sobre ele impôs as suas mãos, e lhe deu ordens, como o SENHOR falara por intermédio de Moisés.” Números 27:18-23

“Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos.” (2 Timóteo 1:6).

É preciso reavivar o carisma, levantar um povo disposto a evangelizar.

“Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.” 2 Timóteo 4:2

Precisamos nos preocupar com os ensinamentos, estamos ensinando o que ao povo? A sua música passa do ouvido para dentro? Ela é capaz de penetrar o coração. Desempenhe bem o seu ministério!

Acampamento para músicos
Foto: Andrea Moraes

“Ao cair da tarde, os discípulos desceram ao mar. Entraram na barca e foram em direção a Cafarnaum, do outro lado do mar. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha vindo ao encontro deles. Soprava um vento forte e o mar estava agitado. Os discípulos tinham remado mais ou menos cinco quilômetros, quando enxergaram Jesus, andando sobre as águas e aproximando-se da barca. E ficaram com medo. Mas Jesus disse: “Sou eu. Não tenhais medo”. Quiseram, então, recolher Jesus na barca, mas imediatamente a barca chegou à margem para onde estavam indo.” (João 6,16-21)

Para São João o espaço de treva é o lugar onde Deus não está. Os discípulos acreditavam em si mesmo, deixaram Jesus de lado, os discípulos. Lendo o evangelho você percebe o fim de quem confia em si mesmo, só em sua técnica.

O mar estava agitado, os discípulos tinham remado 5 quilômetros, ali depositaram toda a sua força. No mundo onde virou moda falar do medo, dos panicos, hoje é o dia de cura, Jesus que curou seus discipulos, dando o rémedio, Ele mesmo, porque sem Deus não vamos consegui.

Somos convidados a ser colheres, que se enchem, ficam repletas para só depois dar de si. O ministro precisa se relacionar com Deus e com o povo. A colher não é nada sozinha, ela só dará alimento de tiver de onde retirá-lo para se encher.


Transcrição e adaptação: Elcka Torres



Adquira essa pregação pelo telefone (12) 3186-2600


 


Padre Fabrício Andrade


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo