É tempo de recomeço

Adriano Moraes
Foto: Weslei Almeida

'Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento oportuno debaixo dos céus: tempo para nascer, e tempo para morrer; tempo para plantar, e tempo para arrancar o que foi plantado; tempo para matar, e tempo para sarar; tempo para demolir, e tempo para construir; tempo para chorar, e tempo para rir; tempo para gemer, e tempo para dançar; tempo para atirar pedras, e tempo para ajuntá-las; tempo para dar abraços, e tempo para apartar-se. Tempo para procurar, e tempo para perder; tempo para guardar, e tempo para jogar fora; tempo para rasgar, e tempo para costurar; tempo para calar, e tempo para falar; tempo para amar, e tempo para odiar; tempo para a guerra, e tempo para a paz.'(Eclesiastes 3,1-8)

Qual o tempo que estamos agora? Vou falar pra vocês o meu tempo, o tempo que o Adriano Moraes ta vivendo. Quem esteve aqui no ano passado no Canção Nova Sertaneja I ouviu, pra quem não sabe e não viu pela TV, eu sou profissional de montaria em touros, nos EUA pertenço a PBR (Associação dos peões profissionais em touros), monto em touros profissionalmente a 20 anos, montava.

Monto em garrote, vaca, bezerrinho desde dos 3 anos de idade, sou peão a 35 anos, sou novo na vida, tenho quase 39 anos, mas estou velho para montar em touros.

Falei para vocês aqui ano passado que iria me aposentar, morri de chorar, estou com vontade agora de chorar de novo, porque meu tempo estava passando, tempo de peão de boi, tempo de homem forte naquilo que faz.

Existe um tempo pra guardar e tempo de jogar fora, e este foi o tempo do Adriano Moraes jogar fora sua paixão, sua adrenalina de montar em touros, jogar fora todas as suas paixões, as sua vontades, eu tive 20 anos para guardar esta paixão, mas chegou um momento que eu tive que jogar fora, doeu demais, vai continuar doendo, mas eu vou me acostumar com a dor.

Este é o tempo de deixar passar, tempos novos virão, Deus não quer que agente fique parado, Deus me deu muito tempo pra fazer minha missão de montar, agora quer dizer que não tenho mais nada pra montar? Claro que não, tenho o meu coração duro de pedra, a minha braveza, o meu ímpeto, pra ser domado todos os dias.

Muitas vezes nós somos como um burro bravo lá da roça, e Deus que nos mostrar os seus caminhos, e não é a toa que você está aqui hoje, neste Acampamento Sertanejo, e Deus quer pedir o teu tempo, qual o teu tempo? Você não está aqui por coincidência, existe um tempo pra cada coisa, hoje é tempo de calar, calar o coração, calar as tristezas, calar a voz das coisas do mundo, e ver o que Deus tem para você.

A única coisa que importa agora é o futuro, o que ficou pra trás Deus cura, os caminhos ainda estão para serem traçados, só que sozinhos nos não conseguimos de forma alguma.

Deus vai realizar o que você pede, mas primeiro Ele vai trabalhar no seu coração, Deus vai trabalhar no seu passado, no seu presente e preparar o seu futuro, todas as vezes que eu cai do touro, Deus trabalhou no meu orgulho, na minha humildade, na minha fé, na minha mansidão. Na hora da derrota, que você cai, ai você pergunta para Deus onde foi que errou. É na hora do pecado, que perguntamos: por que errei? Por que pequei?

O primeiro passo é se arrepender, depois confessar e então recomeçar e pedir ao Senhor força para não cair mais no pecado, em todos os momentos da vida tempo de recomeçar. É sempre tempo de recomeçar, quando você cair, quando a chuva de pedra, a geada, destruir a plantação, a vaca ficar doente, é tempo pra recomeçar, louvar a Deus, pois Ele está em tudo, está na natureza, temos que louvar a Deus pela nossa simplicidade, pelas coisas simples que Deus nos deu.

Sou três vezes campeão mundial, e fico em muitos hotéis de luxo, mas eu queria estar aqui, no meu sitio, montado no meu burro.

A gente quer sair da simplicidade das coisas de Deus, agente quer crescer quer ficar rico, crescer é louvável, mas esquecemos que Jesus nasceu num coxo, pois a manjedoura era um coxo onde se coloca o feno para o boi se alimentar, Deus nos quer humildes e simples, todo mundo quer voltar, sair da agitação das grandes cidades, mas nos o sertanejo queremos sair da simplicidade da roça, do mato, das coisas de Deus.

Estar na roça é estar em contato com Deus, no silêncio, nas coisas simples, estar com os irmãos, pois Deus nos chama a simplicidade de coração.

'Hoje é tempo de guerra contra o homem velho'
Foto: Wesley Almeida

Os cientistas, as pessoas mais inteligentes do mundo, querem entender a Deus, e não conseguem, pois querem entender Deus com a cabeça, o sertanejo, o matuto, vive contente, pois ele não vê Deus com a cabeça, mas ele vê Deus com o coração. Tem gente que quer entender Deus nas coisas do mundo e não é este o tempo. O tempo é de calar o coração, é tempo de abrir o coração, é tempo de mudança.

Eu já tive 53% de sucesso e 47% de derrota na minha carreira e a derrota dói, a derrota sangra, foram vinte e seis ossos quebrados, nove cirurgias, onze desmaios, costelas quebradas eu nem conto.

Precisamos de um toque de coragem para aceitar a nossa pequenez, a nossa pobreza, e acima de tudo a nossa extrema necessidade da misericórdia de Deus, e Louvo a Deus por me fazer peão, por me fazer nascer numa família pobre, na simplicidade em um casarão de pau e chão batido.

Temos que ter coragem de aceitar o que somos e deixar Deus trabalhar em nós, em nossa fraqueza e ver que é tempo de recomeçar. Quando você se acha muito bom, ta difícil, como Deus pode entrar nesta muralha fechada.

Hoje eu sou 3 vezes campeão do mundo, faço parte de 2 diretorias PBR, que dita as regras de rodeio para o mundo inteiro, Deus me deu o mundo, mas porque eu disse para Deus: me usa. Deus quer usar você, onde você está, no que faz, mas primeiro Deus vai trabalhar no seu coração, pra depois trabalhar no coração das pessoas.

Há vinte anos atrás procurava por algo imenso, e o que eu tenho que procurar hoje é a santidade, a mansidão, ser humilde diante do Criador, a paixão, o ardor que tinha e tenho no coração, aquele ardor de peão, tenho que ter para Deus. Aquele ardor do peão, Deus quer te dar o ardor do Cristão.

Minha mãe, teve câncer de mama, ano passado, ela não chorou nenhum dia, eu não chorei nenhum dia, nos louvamos a Deus todos os dias, e tudo na vida passa, e este tempo passou, porque eu tive fé.

Hoje é tempo de guerra contra o homem velho. Qual o seu tempo? Pede pra Deus, ele vai te mostrar.

Não chore porque à hora boa passou, mas sorria porque ela existiu. Não posso me fechar no passado, tem um futuro para viver, o meu tempo é de dançar.

Transcrição e adaptação: Carlos Eduardo


ADQUIRA ESTA PALESTRA PELO TELEFONE:
(12) 3186-2600


Adriano Moraes


Missionário da Comunidade Canção Nova – Segundo Elo

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo