Ele enviará seus anjos com estridentes trombetas

Julio Brebal. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Julio Brebal. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Vamos meditar a Palavra de Deus que está em São João 14, 1-3: “Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Não fora assim, e eu vos teria dito; pois vou preparar-vos um lugar. Depois de ir e vos preparar um lugar, voltarei e tomar-vos-ei comigo, para que, onde eu estou, também vós estejais”.

Pense neste questionamento: Que sentimentos você traz em seu coração quando ouve falar da segunda vinda de Jesus Cristo?

O Senhor nos diz, nessa Palavra de São João, que não devemos ficar preocupados, mas crer, esperar n’Ele. O Senhor nos promete que voltará, pois juntos estaremos na glória de Deus. Essa é a Sua promessa para nós!

Em nossa vida, podemos fazer promessas e não as cumprir, mas Deus não! A Palavra d’Ele não volta atrás! Nós sabemos que o Senhor voltará, por isso é importante que, neste momento, façamos essa reflexão. Jesus nasceu sendo obediente ao Pai; já os primeiros homens romperam com Deus pecando. Jesus se fez um homem do pecado, foi crucificado, morto, sepultado e ressuscitou.

Neste momento do Advento, preparamo-nos para o Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo. É com grande expectativa que, no dia 25 de dezembro, celebraremos Seu nascimento.

A segunda vinda de Jesus não será como a primeira. Ele virá juntamente com Seus anjos em poder e glória. “Ele enviará seus anjos com estridentes trombetas, e juntarão seus escolhidos dos quatro ventos, duma extremidade do céu à outra” (Mateus 24,31).

O Senhor Jesus virá e Seus anjos O anunciarão. Não fiquemos perturbados, pois o Senhor está preparando algo para nós no céu. Nós manifestamos, com a nossa fé, que Jesus voltará e nos devolverá a um novo céu e uma nova terra.

A segunda vinda do Senhor não será uma destruição. Qual é o artista que quer acabar com a sua obra depois de pronta? Nenhum! O Senhor virá para estabelecer a união entre os povos.

O Catecismo da Igreja Católica (CIC) nos ensina no número 670: “Depois da ascensão, o desígnio de Deus entrou na sua consumação. Estamos já na «última hora» (1 Jo 2, 18) (611). «Já chegou pois, a nós, a plenitude dos tempos, a renovação do mundo já está irrevogavelmente adquirida e, de certo modo, encontra-se já realmente antecipada neste tempo: com efeito, ainda aqui na Terra, a Igreja está aureolada de uma verdadeira, embora imperfeita, santidade» (612). O Reino de Cristo manifesta já a sua presença pelos sinais miraculosos (613) que acompanham o seu anúncio pela Igreja (614)”.

Jesus nos atenta: “Cuidai que ninguém vos seduza. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos” (Mateus 24, 4-5).

A Palavra de Jesus é de exortação, mas é preciso entendermos que tudo o que Ele nos diz em Suas Palavras vêm acontecendo. Vemos, na televisão, quanta coisa ruim acontece no mundo! O coração do homem é muito duro. E nós, os filhos de Deus, estamos passando por toda essa situação, estamos vendo as intempéries.

Peregrinos participam da Quinta-feira de adoração na Canção Nova. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Peregrinos participam da Quinta-feira de adoração na Canção Nova. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Qual será o sinal de que Cristo está voltando? Deus vai fazer com que passemos por uma transformação, fazer com que um novo céu e uma nova terra aconteçam em nós.

O Catecismo da Igreja Católica (CIC) relata no número 672: “Cristo afirmou, antes da sua ascensão, que ainda não era a hora do estabelecimento glorioso do Reino messiânico esperado por Israel (622), o qual devia trazer a todos os homens, segundo os profetas (623), a ordem definitiva da justiça, do amor e da paz. O tempo presente é, segundo o Senhor, o tempo do Espírito e do testemunho (624) mas é também um tempo ainda marcado pela «desolação» (625) e pela provação do mal (626), que não poupa a Igreja (627) e inaugura os combates dos últimos dias (628). É um tempo de espera e de vigília (629)”.

O Reino de Deus é caracterizado pela justiça, pelo amor e pela paz. Nós estamos vivendo, nestes últimos tempos, a força do Espírito Santo. Citarei um santo que ficou muito tempo entre nós: São João Paulo II. Ele, assim como Jesus, caminhou pelo mundo pregando.

O inimigo de Deus não quer que assumamos a plenitude de Cristo. Quantos de nós dizemos que estamos com Cristo, mas não estamos. O anticristo está introduzindo-se no meio da família, da política, da justiça etc.

Muitos cristãos estão vivendo uma fé “faz de conta”, vivem questionando. Os governos estão fazendo coisas para enganar as pessoas. Estamos vivendo coisas que o Senhor nos avisou que aconteceria.

Qual tem sido a sua expectativa para a segunda vinda de Jesus?

Transcrição e adaptação: Karina Aparecida


Júlio Brebal


Missionário da Comunidade Canção Nova – Segundo Elo

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo