Enfrentar as provações em Deus

Padre Vagner Baia
Foto: Arquivo/Cancaonova.com

O que Jesus quer nos dar no dia de hoje é esta graça: ensinar-nos como enfrentar as tentações do dia a dia. Não é porque nós rezamos que elas não virão. A tentação não é só espiritual, mas física também, pois age em nosso psicológico e em nosso físico. A pessoa que toma bebida alcoólica e resolve parar é difícil, porque o vício gruda na nossa vida.

O demônio não vai parar de bater à minha porta, mas não vai entrar porque quem manda na minha casa é Deus. A não ser que minha casa seja uma casa de briga e de palavrões. O demônio gosta de casas em que as pessoas xingam, gritam, sapateiam…

Se você quer que a sua vida seja vitoriosa e cheia de bênçãos é necessário obedecer a Deus. Esta é a ordem de Deus aos pais: “Assim temerás o Senhor, observando todos os dias os meus mandamentos. Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração. E tu pai e mãe encucarás os teus filhos estes preceitos” (Deuteronômio 6, 2). Não tem jeito de viver bem sem obedecer ao Senhor.

Os pais devem ensinar os filhos a amar a Deus e ao próximo. Devemos ensinar nossos filhos a resistir às tentações ensinando-lhes a viver os mandamentos de Deus. Assim eles poderão decidir corretamente de acordo com a justiça de Deus. Se seu filho peca, porque você o ensinou a pecar, você responderá por isso diante de Deus. A obrigação de ensinar aos filhos a catequese é, em primeiro lugar, dos pais.

A sua casa será sempre abençoada se vocês observarem os mandamentos de Deus. O Evangelho de hoje nos suscita a isso e nos dá autoridade de expulsar os demônios da nossa casa. O demônio não vai desistir de bater à nossa porta, querendo escravizar a nós e a nossos filhos. Ele não está brincando conosco, ele quer levar o maior número dos filhos de Deus para o inferno. Por isso é importante sermos combatentes.

O diabo é enganador e quer destruir a Igreja. “Nota bem o seguinte: nos últimos dias haverá um período difícil. Os homens se tornarão egoístas, avarentos, fanfarrões, soberbos, rebeldes aos pais, ingratos, malvados,desalmados, desleais, caluniadores, devassos, cruéis, inimigos dos bons, traidores, insolentes, cegos de orgulho, amigos dos prazeres e não de Deus” (2 Timóteo 3). 

É este o tempo em que estamos vivendo: o tempo da ostentação do maligno com certos tipos de filmes e novelas que nos ensinam a avareza, a luxúria, a vaidade, a preguiça, a ira. Dessa forma, vão colocando o veneno dentro da nossa casa, vão nos fazendo desacreditar da nossa fé lançando pensamentos deste tipo: "Para que rezar? Deus não cuida das pessoas!". Estão colocando isso na nossa cabeça. Os jovens não querem rezar, não vão à Santa Missa, não falam mais com os pais. Estão perdendo a educação, o respeito, a dignidade da filiação. Querem ser donos da própria história.

"Os jovens não querem rezar, não vão à Santa Missa, não falam mais com os pais […]. Querem ser donos da própria história", denuncia padre Vagner
Foto: Arquivo/cancaonova.com

Um garoto de 15 ou 16 anos tem uma vida afetiva sexual aberta, tem relação, mas não tem prazer. Muitas vezes, é apenas um ato de ejaculação, não tem amor, não tem encanto. Porque foi tentado a viver uma vida desregrada na sua sexualidade, depois não tem mais gosto para os estudos, para a oração, para a vida. Então entra para as drogas, os vícios… Mais tarde terá dificuldade de se libertar disso tudo.

As tentações são diversas: celular, cigarro, as roupas da moda… A pessoa torna-se escrava do vício. O mal, que está envolto do mundo, vai nos escravizando e a sedução não para. São apresentadas muitas coisas ao pai de família, como o adultério, as bebidas e coisas que escandalizam os seus. Algumas vezes uma moça seduz um homem casado; noutras o rapaz seduz a mulher casada. Muitas pessoas, hoje, se perdem pelo mau uso da internet. Moças que são filmadas nuas e as imagens são colocadas na rede mundial de computadores. Dessa forma, as pessoas vão perdendo a dignidade de filhas de Deus.

Deus jamais mandaria uma mulher casada para você, jamais mandaria para você um produto roubado para comprar! Só existe ladrão porque tem alguém que compra coisas roubadas! É maldição levar coisas roubadas para casa.

É tão triste quando o pai chega em casa embriagado, quando ele é desonesto é a pior coisa para um filho, quando as pessoas falam mal da mãe, do pai, do irmão, da irmã. O demônio quer que escandalizemos nossa casa. “Bem-aventurados os que suportam as tentações […]”. Deus não vai tentar ninguém, Deus é inacessível ao mal. As tentações querem entrar na nossa carne para depois nos tornar escravos.

“O operário dado ao vinho não se enriquecerá, e aquele que se descuida das pequenas coisas, cairá pouco a pouco. O vinho e as mulheres fazem sucumbir até mesmos os sábios, e tornam culpados os homens sensatos. Aquele que se une às prostitutas é um homem de nenhuma valia; tornar-se-á pasto da podridão e dos vermes; ficará sendo um grande exemplo, e sua alma será suprimida do número dos vivos.” (Eclesiástico 19,1- 3)

É preciso saber disso para vencermos as tentações e não nos deixarmos ser vencidos por elas. Precisamos mais do que nunca vigiar nossa vida e ter postura de cristãos. Ninguém é tentado mais que suas forças suportam, Deus nos dá forças e as armas para vencer as tentações. A maior das armas é a oração.

Tudo é santificado pela Palavra de Deus; não é contra homens que devemos lutar, mas contra principados e potestades. Por isso vamos nos colocar de joelhos, rezar o terço, participar da Eucaristia e nos confessar. Porque, quando morrermos, precisaremos nos encontrar com Deus. Quando a alma desfalecer desse corpo ela vai se encontrar com Deus para ser julgada. Vamos para a glória eterna ou vamos para o inferno, e quem foi condenado foi condenado; não temos outra opção.

No casamento o homem não pode pensar que é mais importante que a mulher e vice-versa. O mais importante na nossa família é Deus em nós!

 

 

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair

 


Padre Vagner Baia


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo