Eu acredito no bem

Padre Roger Luís
Foto: Fotos CN/ Robson Siqueira

Sinto-me muito honrado por estar neste Acampamento PHN e partilhar a Palavra de Deus com vocês. Procuro preparar-me com fidelidade para a Palavra de Deus e a Doutrina da Igreja Católica. E o tema que me foi proposto para esta pregação, leva-me a fazer a seguinte pergunta a cada um de vocês: “Será que o bem realmente existe?”.

Você, quando está sentado diante da televisão, assistindo a um telejornal, já parou para contar a quantidade de notícias ruins, de violência que passa, todos os dias, diante os nossos olhos?

Meus irmãos, muitos estão se perguntando neste momento: “Será que o bem existe?”. Diante de tanta tragédia, tanta miséria, tanta violência, será que Deus errou ao criar o ser humano?

Veja o que nos afirma a Palavra de Deus: Então, Deus disse: "Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Que ele domine os peixes do mar, as aves do céu, os animais domésticos, todas as feras e todos os répteis que rastejam sobre a terra". E Deus criou o homem à sua imagem; à imagem de Deus ele o criou; e os criou homem e mulher (Gn 1,26-27).

Não houve erro na criação quando Deus nos criou à Sua imagem e semelhança. O critério de beleza e “feiúra” é nós que damos! Para Deus, todos somos lindos, pois somos Sua obra-prima.

O “encardido” (como nosso saudoso padre Léo gostava de falar), ficou com inveja diante da obra-prima que Deus criou, ou seja, o ser humano, o qual foi criado com liberdade. Nossos primeiros pais, Adão e Eva, foram criados livres, mas veja só o que Satanás fez:

A serpente era o mais astuto de todos os animais do campo que Javé Deus havia feito. Ela disse para a mulher: "É verdade que Deus disse que vocês não devem comer de nenhuma árvore do jardim?" A mulher respondeu para a serpente: "Nós podemos comer dos frutos das árvores do jardim. Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, Deus disse: 'Vocês não comerão dele, nem o tocarão, do contrário vocês vão morrer' ". Então a serpente disse para a mulher: "De modo nenhum vocês morrerão. Mas Deus sabe que, no dia em que vocês comerem o fruto, os olhos de vocês vão se abrir, e vocês se tornarão como deuses, conhecedores do bem e do mal" (Gn 3,1-5).

A Palavra de Deus ainda afirma que os olhos de Adão e Eva se abriram e eles perceberam que estavam nus. Eles, então, se esconderam do Deus amoroso que caminhava no meio deles. Assim, meus irmãos, o pecado entrou no mundo. Assim aconteceu o que a Igreja ensina como sendo o pecado original.

Nosso Papa emérito, Bento XVI, nos ensinou que devemos estar bem cientes de que o mal não é uma força anônima que atua no mundo de forma impessoal ou determinista. O mal, o demônio, passa pela liberdade humana, pelo uso da nossa liberdade. Ele procura um aliado: o homem. O mal precisa dele para se espalhar.

Ainda nos ensina Bento XVI que é possível não se deixar vencer pelo mal, mas vencê-lo com o bem. Repita comigo: “Eu acredito no bem! Eu estou disposto a vencer o mal com o bem, disponho-me a ser gente do bem, a não aceitar o mal com as suas propostas”. Eu sei que Deus nos escolheu.

Precisamos assumir que somos essa gente do bem. Diante de tantas más notícias, nós seremos uma boa notícia para esse mundo. Praticaremos o bem diante das pessoas. Espalharemos a boa semente do Evangelho por onde estivermos.

E a Palavra de Deus continua a nos orientar:

O homem se uniu a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz Caim. E disse: "Adquiri um homem com a ajuda de Javé". Depois ela também deu à luz Abel, irmão de Caim. Abel tornou-se pastor de ovelhas e Caim cultivava o solo. Depois de algum tempo, Caim apresentou produtos do solo como oferta a Javé. Abel, por sua vez, ofereceu os primogênitos e a gordura do seu rebanho. Javé gostou de Abel e de sua oferta, e não gostou de Caim e da oferta dele. Caim ficou então muito enfurecido e andava de cabeça baixa. E Javé disse a Caim: "Por que você está enfurecido e anda de cabeça baixa? Se você agisse bem, andaria com a cabeça erguida; mas, se você não age bem, o pecado está junto à porta, como fera acuada, espreitando você. Por acaso, será que você pode dominá-la?" (Gn 4,1-7).

 

"É possível não se deixar vencer pelo mal, mas vencê-lo com o bem", afirma padre Roger Luís.
Foto: Fotos CN/ Robson Siqueira

 :: Veja fotos no Flickr
:: Veja + fotos também no Facebook

As pessoas pensam que viver o PHN é fácil, que viver a santidade não exige renúncia nem luta interior. Meus irmãos, a Palavra de Deus é maravilhosa! Ele nos pede para andarmos de cabeça erguida e não de nariz empinado. Mas corremos o risco, a exemplo do teimoso Caim que assassinou seu irmão Abel, de não escutar a voz de Deus, de deixar o pecado agir em nossa vida.

Gostamos de nos deixar guiar pela nossa própria cabeça e não pela voz de Deus. Acolhamos a Palavra d'Ele em nossas vidas.

Acompanhei meu pai em seu tratamento contra o câncer e fiquei maravilhado com o que eu vi no hospital.

:: Ouça o relato do padre Roger sobre sua experiência no hospital.

Meus irmãos, mesmo de uma situação ruim, dolorosa, sofrível, Deus pode suscitar outra situação que fará o bem a muitas pessoas. A criação aguarda pela manifestação dos filhos de Deus, ela espera por você. Venha somar conosco! Precisamos de você fazendo parte dessa multidão de pessoas que fazem o bem.

E a Palavra de Deus ainda continua a nos ensinar:

Os homens se levantaram e olharam em direção a Sodoma; e Abraão foi acompanhá-los para a despedida. Javé dizia: "Será que devo esconder de Abraão o que vou fazer, uma vez que Abraão se tornará uma nação grande e poderosa, e que através dele serão abençoadas todas as nações da terra? Eu o escolhi para que ele instrua seus filhos, sua casa e seus sucessores, a fim de que se mantenham no caminho de Javé, praticando a justiça e o direito; desse modo, Javé realizará tudo o que prometeu a Abraão". Então Javé disse: "O clamor contra Sodoma e Gomorra é muito grande e o pecado deles é muito grave. Vou descer para ver se, de fato, as ações deles correspondem ou não ao clamor que subiu até mim contra eles. Então, ficarei sabendo". Os homens partiram daí e foram para Sodoma, enquanto Javé permanecia com Abraão. Abraão aproximou-se e perguntou: "Destruirás o justo com o injusto? Talvez haja cinqüenta justos na cidade! Destruirás e não perdoarás a cidade pelos cinqüenta justos que estão no meio dela? Longe de ti fazeres tal coisa: matar o justo com o injusto, de modo que o justo seja confundido com o injusto! Longe de ti! Será que o juiz de toda a terra não fará justiça?" Javé respondeu: "Se eu encontrar cinqüenta justos na cidade de Sodoma, perdoarei a cidade toda por causa deles". Abraão continuou: "Eu me atrevo a falar ao meu Senhor, embora eu seja pó e cinza. Mas talvez faltem cinco para os cinqüenta justos: por causa de cinco, destruirás a cidade inteira?" Javé respondeu: "Não a destruirei, se eu nela encontrar quarenta e cinco justos". Abraão insistiu: "Suponhamos que só existam quarenta!" Javé respondeu: "Por causa dos quarenta, eu não o farei". Abraão continuou: "Que meu Senhor não fique irritado se eu continuo falando. E se houver trinta?" Javé respondeu: "Se houver trinta, eu não o farei". Abraão insistiu: "Estou me atrevendo a falar ao meu Senhor. Talvez haja vinte!" Javé respondeu: "Por causa dos vinte, eu não a destruirei". Abraão continuou: "Que o meu Senhor não se irrite se eu pergunto pela última vez: E se houver dez?" Javé respondeu: "Por causa dos dez, eu não a destruirei". Quando terminou de falar com Abraão, Javé foi embora. E Abraão voltou para o seu lugar (Gn 18,16-33).

Por que Abraão parou em dez justos? Por que ele não continuou sua intercessão até chegar a um justo apenas? Porque dez era o número mínimo necessário para que acontecesse uma oração pública. Até hoje é assim entre os judeus. Nem mesmo uma oração pública acontecia naquele lugar. Sodoma e Gomorra estavam totalmente entregues à devassidão. Mas, mesmo assim, Abraão, como homem de Deus, não hesitou em interceder por aquele povo.

Até os anjos que Deus enviou àquele lugar se tornaram alvos da luxúria daquele povo. Deus não encontrou espaço, não encontrou oportunidade no coração daquelas pessoas para poder transformar a vida delas.

Quando nos entregamos ao pecado, entristecemos o coração de Deus. Ele quer a conversão do nosso coração, por isso faça a opção pelo bem. Seja instrumento de conversão e bênção às pessoas ao seu redor.

Diante das perversões e das maldades da nossa cidade, Deus espera por você, meu irmão! Você é chamado a ser um instrumento de bênção na sua cidade, no seu bairro, na sua casa. Seja gente do bem!

Para não correr mais riscos, Deus enviou Seu anjo àquela jovenzinha em Nazaré para perguntar a ela se aceitava ser a mãe do Salvador. E o Justo por excelência, Jesus Cristo, veio ao mundo para que a humanidade não fosse destruída. Jesus é o Sumo Bem, meus irmãos! O bem tem um nome: Jesus Cristo! Levemos às pessoas este Bem supremo que é Jesus.

Deus consegue ver o bem mesmo em meio à nossa podridão. Ele consegue ver a bondade que há em cada um de nós. Ele é esse Bom Samaritano que cuida das nossas feridas, que sempre nos transforma com o Seu Amor. Quem é gente do bem sempre consegue enxergar o que existe de bom nas pessoas.

Aprendi, algum tempo atrás, que Deus não sabe matemática. Ele só sabe contar até um. Isso mesmo! Deus só sabe contar até um. No meio desta multidão, presente aqui no PHN 2013, ou ainda daquela multidão de jovens que irão à JMJ, no Rio de Janeiro, você poderá pensar: “Deus não me vê no meio de tanta gente…” Não é verdade, meu irmão! Ele só sabe contar até um. Ele tem Seu olhar de Amor voltado a você. Somente a você. Saiba que você é único, é única, para Deus. Esse Deus que é o nosso Sumo Bem.

E porque Ele é o nosso Sumo Bem, tornamos-nos gente do bem. Deus faz, Deus junta. E assim experimentamos a verdadeira felicidade.

 

 

Transcrição e adaptação: Alexandre Oliveira (@alexandrecn) 

 

 

Assista a um trecho dessa pregação:

 

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo