Eucaristia, remédio da imortalidade

Padre Wagner Ferreira
Foto: Clarissa/Cancaonova.com

Ao celebrarmos a festa de Corpus Christi, nós precisamos firmar nossa fé na Eucaristia. Hoje a Igreja pede que façamos do nosso coração um altar para o Cristo.

Jesus instituiu o sacramento da comunhão na Última Ceia.

Ouça esta pregação na íntegra

“Chegou, porém, o dia dos ázimos, em que importava sacrificar a páscoa.E mandou a Pedro e a João, dizendo: Ide, preparai-nos a páscoa, para que a comamos.E, chegada a hora, pôs-se à mesa, e com ele os doze apóstolos. E disse-lhes: Desejei muito comer convosco esta páscoa, antes que padeça; Porque vos digo que não a comerei mais até que ela se cumpra no reino de Deus. E, tomando o cálice, e havendo dado graças, disse: Tomai-o, e reparti-o entre vós; Porque vos digo que já não beberei do fruto da vide, até que venha o reino de Deus. E, tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós.” (Lucas 22,7-ss)

Em sitônia com a Páscoa do Judeu, Jesus pega o pão e faz uma oração de ação de graças a Deus, assim como oração do judeu. Nesse momento o Senhor institui uma nova aliança, dando um novo sentido à aliança do Velho Testamento por intermédio do Seu Sangue, do sacrifício do Seu Corpo.

A Igreja do Senhor foi fiel a Jesus quando Ele disse – "Fazei isso em memória a mim". São Paulo nos diz: “Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão. E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha. Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.” (I Corintios 11,23)

Por meio dos primeiros discípulos, a Igreja foi fiel ao Senhor, ela compreendeu que a instituição da Eucaristia mostra a oblação do Corpo sacrificado de Jesus por amor a nós. Por isso, quando participamos da Eucaristia participamos do sacrifício do Cristo.

Quem tem alguma experiência de sofrimento? Todo sofrimento incomoda, e existem sofrimentos que causam dores profundas em nós. Saiba cada vez que comungamos, participamos da dor de Jesus Cristo. E a união do nosso sofrimento com o de Jesus Cristo, por meio da Eucaristia, Ele derrama o amor d'Ele em nosso sofrimento, para que nosso sofrimento seja também motivo de cura e de amadurecimento cristão.

A comunhão com Jesus Eucarístico é garantia de que não sofreremos em vão, pois nosso sofrimento ganha sabor de céu.


Padre Wagner Ferreira


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo