Eucaristizar a própria vida

Padre Adriano Zandoná
Foto: weslei Almeida/CN

Pela manhã, nós meditamos sobre os símbolos da Eucaristia; e um destes símbolos é o sacrifício. Nós sabemos o que é sacrifício porque cada um de nós vivemos algum. Querendo ou não, você vive algum tipo de sacrifício na seu trabalho, na sua família, na escola, etc. Se a Eucaristia é o Sacrifício dos sacrifícios – porque Jesus se derrama em cada Santa Missa – nos somos convidados a também oferecer a Deus estes nossos sacrifícios.

O problema não é sofrer ou não sofrer, mas saber o que fazer com estes nossos sofrimentos. Neste dia de Corpus Christi temos a grande graça de configurar os nossos sacrifícios ao Sacrifício de Cristo que é a Eucaristia. É no altar que este amor de Deus por nós se renova, mas se renova também as nossas forças quando vivemos esta vida eucarística.

Nós devemos aprender esta espiritualidade eucarística, porque é nesta espiritualidade que nós vamos aprendendo o que é amor.

São Paulo nos diz na Carta aos Romanos:

“Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em sacrifício vivo, santo, agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual” (Rom 12, 1)

"É preciso viver uma espiritualidade Eucarística"
Foto: Weslei Almeida/CN

São Paulo esta dizendo que, para que nossa ação de cedil;as seja perfeita é preciso oferecer nosso corpo, nossa vida, todo o nosso ser. Este é nosso culto espiritual: oferecer as nossas dores, nossas fraquezas. Muitas vezes nós não conseguimos viver uma espiritualidade eucarística porque ficamos na teoria e não vamos para as coisas do nosso dia a dia.

Quantas incapacidades trazemos em nós; dificuldade de reconhecer nossos limites, nos reconciliar com eles. Ficamos reclamando do que nós não somos e não entregamos a Cristo o que de fato somos. Isso é viver uma espiritualidade eucarística: entregar a Deus nossas fraquezas e feridas e não somente os nossos dons. Deus quer receber esta sua fraqueza, suas limitações.

Tem gente que acha que servir a Deus é viver na perfeição. Atendi um rapaz que sente o chamado ao sacerdócio mas disse que não é capaz por causa de suas limitações. Então eu disse “você é a pessoa certa para ser padre”. Porque uma pessoa que vai para o sacerdócio por causa das suas capacidades não será um bom padre.

Nós temos dificuldades de integrar estas áreas escuras da nossa vida. Nós temos que aprender a confiar em Deus e acreditar que com Ele nós podemos tudo, se não vamos ficar sempre pensando que temos um Deus que está muito distante de nós.

Dia especial de Adoração ao Santíssimo Sacramento
Foto: Wesley Almeida

Deus está encarnado nas coisas concretas do nosso dia a dia. Você que é dona de casa, Deus está encarnado nos cuidados que você tem com sua casa, sua família; aí também está sua ação de graças. Você vai ser um bom médico, um bom farmacêutico, um bom mecânico, um bom professor quando você for tudo isto para Deus, todo o seu ser.

A gente pensa que vocação de Deus é só a religiosa, ser padre ou freira. A sua vocação, a sua profissão, todo o seu ser é pra Deus, é a sua eucaristia.

Transcrição e adaptação Daniel Machado



 

ADQUIRA ESSA PREGAÇÃO PELO TELEFONE (12)3186-2600
OU
EM NOSSA LOJA VIRTUAL




Padre Adriano Zandoná


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo