Falar do amor do Pai

Padre Fabiano
Foto: Maria Andrea/Cancaonova.com

Nossa temática, hoje, é pregar em favor da vida, falar sobre a defesa da vida. O essencial é falar primeiro à mente, para depois chegar ao coração.

É interessante que, desde o primeiro momento, acolhemos o Papa Francisco. Devemos fazer isso com as pessoas, devemos primeiro conversar com elas e olhar o que há em comum entre nós. O Papa veio buscar a chama da fraternidade, que há em nós – ele foi ao essencial.

Nós não podemos parar no que há de diferente entre nós; devemos encontrar o que há em comum. Quantas vezes, ao conversarmos com alguém e tentar defender nossa concepção, aumentamos o tom da voz. Contudo, se primeiro ganharmos a simpatia da pessoa, não precisaremos ficar gritando e brigando com ela. Por essa razão, primeiramente, temos de partir de um ponto que seja comum, em um diálogo.

Para você, quando a vida humana começa? A partir dessa resposta, poderemos dar início. Temos o caminho, a verdade e a vida, que é Jesus!

“A vida humana começa a partir do momento em que a sementinha começa a germinar”. Precisamos saber qual é a base, antes de criticar, primeiro precisamos voltar ao valor da vida. Muitas vezes, podemos fazer com que uma pessoa desista do aborto no momento em que explicamos a ela o verdadeiro valor da vida.

Quantas vezes, muitas confusões são criadas pela falta de base e da informação. Muitas vezes, olhamos apenas a indiferença e não damos atenção à base. Temos que ter a coragem de levar à frente que Jesus é o caminho, a verdade e a vida.

Precisamos ver o sentido da vida, devemos nos perguntar que valor ela tem. Talvez, desvalorizemos a vida, porque ela não tem mais utilidade. Dizemos isso, porque respondemos com a cabeça e nos falta perguntar ao coração.

Repito: O importante é ganhar o coração, para depois ganhar a mente.

Devemos, sim, defender a vida. Diante de quem quer fazer um aborto, nós temos dois caminhos: ou tirarmos isso do pensamento dela ou devemos tentar convertê-la com a Palavra de Deus.

"Temos, o caminho, a verdade e a vida, que é Jesus!"

Foto: Maria Andrea/ Cancaonova.com

Palavras do Papa Francisco: “Vejo, com clareza, que aquilo de que a Igreja mais precisa é a capacidade de curar as feridas, de aquecer o coração”.

Levar em conta o que a pessoa entende por vida, isto é, o que ela tem como ensinamento sobre isso, nos ajudará muito a começarmos uma conversa com alguém que quer fazer um aborto. A Igreja precisa curar as feridas e, ao mesmo tempo, aquecer o coração dos fiéis.

Papa Francisco afirma que vê a Igreja como um hospital de batalhas.

Quantas vezes, queremos que as pessoas deixem o mal que elas estão vivendo, mas nunca lhes dizemos que elas têm a graça e que o amor de Deus as salvou. Se não dissermos a elas que estão salvas como é que elas vão se converter?

O nosso afeto faz com que o nosso comportamento mude. Quando for auxiliar uma mulher a não praticar o aborto, conte a ela quem criou a vida, desperte nela o verdadeiro sentido da vida. Devemos ter compaixão daqueles que defendem o aborto, sobretudo por não conhecerem o Evangelho, por não conhecerem a vida cristã.

Só o amor transforma e faz com que os pensamentos mudem. Peça ao Senhor que o ajude a levar a paz, e não simplesmente criticar as pessoas por suas escolhas.

Transcrição e adaptação: Karina Aparecida

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo