Família, lugar de semear a paz

Diácono Paulo Lourenço
Foto: Regiane Calixto/ Foto CN

Para começar, quero apresentar a Palavra de Deus que está no Evangelho de Mateus 10, 12: “Entrando numa casa, saudai-a: Paz a esta casa”.

Eu e você precisamos ser portadores da paz. Quando encontramos alguém devemos transmitir a paz do nosso coração ao ambiente no qual estamos inseridos. A Campanha da Fraternidade, neste ano, trata sobre a violência e esta, muitas vezes, começa na nossa própria casa. Em vez de levar o amor, trazemos a discórdia, a raiva, a impaciência.

Nós precisamos ser um ponto de equilíbrio. Como está o seu coração agora? Ele está em guerra ou em paz? Precisamos na nossa vida que alguém nos console, que nos impulsione a continuar firmes na fé. É só ligar a televisão que vemos muitas desgraças sendo anunciadas pela mídia; a violência está tomando conta.

É preciso que se levantem homens e mulheres de paz!
É preciso retomar gestos de amor, palavras de amor. Um pai, por exemplo, que pega um filho fazendo alguma coisa errada poderia trocar o castigo e a violência por colocá-lo no colo e ensinar-lhe o certo.

Lembre-se sempre da passagem bíblica que está em Lucas 6, 36-38:

“Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso. Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados; dai, e dar-se-vos-á”.

É muito mais fácil gritar, xingar, brigar. Mas o amor é que é o certo, o correto. Bem-aventurados os pacíficos! É preciso que você seja um homem e uma mulher de Deus. Nós precisamos entender que é muito melhor para nós e para os outros espalhar o amor e a paz do que o ódio e a discórdia. Lembre-se: um gesto de amor pacifica, acalma o coração.


"É muito mais fácil gritar, xingar, brigar. Mas o amor é que é o certo, o correto".
Foto: Regiane Calixto/ Foto CN

Quando alguém gritar com você, chegue com calma e carinho e pergunte-lhe o que aconteceu. Seja manso e humilde de coração! Chega de pessoas destrutivas! Deus quer pessoas para construir um mundo novo.

Abra a sua Bíblia em Efésios 4, 1-4:

“Exorto-vos, pois, – prisioneiro que sou pela causa do Senhor -, que leveis uma vida digna da vocação à qual fostes chamados, com toda a humildade e amabilidade, com grandeza de alma, suportando-vos mutuamente com caridade. Sede solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz. Sede um só corpo e um só espírito, assim como fostes chamados pela vossa vocação a uma só esperança”.

Precisamos dar a vez ao outro, morrer para que a vontade dele aconteça. Nós somos muito teimosos, queremos tudo de acordo com a nossa maneira. A humildade nos ensina: temos de viver para que o outro seja beneficiado. O que fará o seu vizinho mais feliz? E o seu filho? O seu marido? Os seus pais? Pense nisso.

Deus nos coloca numa família para que cresçamos como pessoa, para que sejamos mais gente. E gente ama! Gente não é violento como o bicho é. Coloque o seu coração diante d'Aquele que é a paz: Jesus. Só Ele poderá lhe dar força para exercitar essa graça. A paz do mundo é passageira; a paz de Deus é eterna. Alimente-se do Senhor!

"Gente ama! Gente não é violento como o bicho é"
Foto: Regiane Calixto/ Foto CN

Reze comigo: “Jesus, nas Suas chagas, eu quero colocar a minha vida e as minhas tribulações, angústias e atitudes. Se até hoje, Senhor, os meus gestos não provocaram a paz eu quero neste dia pedir que o Seu Sangue toque na minha vida. Sim, Senhor Jesus, derrame o Seu Sangue sobre toda a minha história e sobre tudo aquilo que eu vivi até agora. Eu quero renunciar à vida passada, ao homem velho, violento, hostil, bravo que não sabia amar. Eu quero renunciar, diante das Suas chagas, a todas as desavenças que eu provoquei. Liberta-me, Senhor, com o Seu Sangue precioso. Eu quero me unir à Sua presença e pedir: Pacifica o meu coração! Cura-me e liberta-me pelo poder das Suas chagas. Amém!".

Transcrição e adaptação: Ariane Fonseca


ADQUIRA ESTA PALESTRA PELO TELEFONE (12) 3186 2600


Diácono Paulo Lourenço


Missionário da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo