Fé em Deus e mãos à obra!

Eugênio Jorge
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Na parábola do semeador, que está em Lucas 8, 4 e seguintes, logo em seu início, percebemos que a mesma coisa acontece no dia de hoje: “Ajuntou-se uma grande multidão, e de todas as cidades as pessoas iam até Jesus”. Aqui estamos, meus irmãos, cumprindo a vontade de Deus.

Deixemos que esta Palavra se cumpra em nós! Quanto ensinamento temos nessa passagem do Evangelho! Esta passagem bíblica, para nós homens do campo que gostamos de mexer na terra, tem um significado ainda mais profundo por vermos a semelhança existente entre o cultivo da terra e a realidade dos nossos corações e das nossas vidas.

Há pouco tempo, fiz uma descoberta maravilhosa: descobri como é boa a vida no campo. Atento a tantas outras coisas como o trabalho, as viagens em missão, não me dava a oportunidade de fazer a experiência do campo. E hoje estou tão encantado com essa experiência que parece que faço isso a vida toda! Tenho descoberto o valor da terra, que não é apenas jogar as sementes no solo, mas estar atento a tudo o que ela envolve, como a chuva e o melhor tempo para o cultivo.

Descobri que, antes de jogar a semente na terra, é preciso fazer uma análise do solo. Certa vez, comprei cinco quilos do melhor milho que havia e plantei. Só depois fui perceber que a terra poderia não estar boa e que, se fosse possível, precisaria ser corrigida. É isso mesmo, irmãos, muitas vezes queremos acertar, mas acabamos fazendo a coisa errada. Nós precisamos fazer a vontade de Deus e andar no centro do que Ele quer de nós. Felicidade é estar no centro da vontade de Deus.  Então corrigi a terra, pois realmente ela não estava boa para o plantio, coloquei nela tudo aquilo que me orientaram e, depois de um ano, depois de ter corrigido o solo, plantei as sementes. Amados, não podemos desistir! Uma vez que percebemos que a "terra" da nossa vida não está boa precisamos corrigi-la. Isso é fé! Por isso, depois de três meses, começamos a colher as primeiras espigas.

A Palavra de Deus nos fala do semeador que, ao escolher a melhor semente, deseja encontrar o melhor terreno. A terra é o nosso coração, a nossa vida. Há pouco cantamos a música: “Meu Senhor e meu Deus, eu creio, mas aumenta a minha fé […]", ao pedir isso, quero que o Senhor me leve à perfeição da Sua vontade, para que, movido por Sua misericórdia, eu possa realizar todas as coisas e que eu viva pela fé, pela esperança e pelo amor.

"Um é quem planta, outro é quem colhe, mas quem faz crescer é o Senhor", afirma Eugênio
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Dá-nos, Senhor, uma fé viva! Que das sementes que plantamos possam brotar outras plantas e frutos. Talvez as pessoas que mais traduzam na vida o amor pelos irmãos sejam vocês: os homens do campo. Vocês que nos acompanham agora com o rádio de pilha e que levam leite, semente e plantas a todos, saibam que seu trabalho é uma bênção para todos nós! Sigam em frente, não desanimem! Bem como as mulheres, que, muitas vezes, fazem o trabalho sozinhas, na luta de cada dia. 

Se você semear, com fé, a bênção que Deus confiou a você, não só no campo, mas na vida, Ele há de regá-la, pois um é quem planta, outro é que colhe, mas quem faz crescer é o Senhor. Mãos à obra pela oração, pois o Senhor é fiel e cumpre o que promete.

 

 

Transcrição e adaptação: Luana Oliveira


Eugênio Jorge


Músico e pregador da Missão Mensagem Brasil

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo