Filho, presente de Deus

Padre Alir Sanagiotto, scj
Foto: Robson Siqueira

‘Vede, os filhos são um dom de Deus: é uma recompensa o fruto das entranhas’ (Salmo 126;3).

A Bíblia diz que os filhos são bênçãos de Deus. Um filho vem ao mundo para trazer alegria.

O momento inicial da nossa vida não começa quando o espermatozóide e o óvulo se fundem, mas quando o homem e mulher têm a relação sexual. A relação conjugal é importante para o homem, para mulher e para Deus porque é o meio que Ele usa para a criação.

Deus escolheu nosso pai e nossa mãe para nos dar de presente a eles. Deus lhes dá – como recompensa do amor – o filho. Mas, infelizmente, as pessoas hoje não querem ter filhos, calculam filho como números, como gastos.

'Chegando eles a Betsaida, trouxeram-lhe um cego e suplicaram-lhe que o tocasse. Jesus tomou o cego pela mão e levou-o para fora da aldeia. Pôs-lhe saliva nos olhos e, impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe: Vês alguma coisa? O cego levantou os olhos e respondeu: Vejo os homens como árvores que andam. Em seguida, Jesus lhe impôs as mãos nos olhos e ele começou a ver e ficou curado, de modo que via distintamente de longe. E mandou-o para casa, dizendo-lhe: Não entres nem mesmo na aldeia' (Marcos 8,22-24).

Se você está com um filho doente, drogado, procure a Jesus, Ele tem a solução.

Na relação familiar é importante o toque, o estar próximo. Se em uma família os pais abraçassem e beijassem os filhos todos os dias, tudo seria diferente. Jesus quase não falou nada com este cego, mas o toca e age. Na nossa família, muitas vezes, o mais importante são as atitudes e o toque.

Minha mãe, antes de dormir, passava de quarto em quarto ajeitava as cobertas e não deixava de nos ajeitar na cama. Ali eu me sentia um filho e amado.

Como faz falta o toque, o carinho de homem, o beijo de homem. Lembro que um dia estava indo à Santa Missa e de repente encontrei com meu tio que me beijou no rosto, esse fato me marcou profundamente. Por isso, homem, não seja duro, ame, beije e abrace os seus filhos, eles precisam do seu toque.


'O filho bem educado é aquele que tem o mesmo comportamento na frente ou na ausência dos pais'
Foto: Robson Siqueira

Talvez o homem tenha dificuldade de beijar os filhos, faça isso por amor, toque seus filhos. ‘Jesus tomou o cego pela mão’, Jesus se aproxima, pega na mão. O toque é muito significativo, é importante.

Cada filho é único e especial, então tenha momentos com cada um, evite corrigir seus filhos na presença dos outros. Jesus pegou na mão e o levou para longe de todos, teve um momento reservado com ele. O erro da educação é muitas palavras e poucas atitudes.

Hoje se fala tanto em colocar limites, mas, o mais importante do que limites é incentivar as crianças. Elogie seus filhos. Pai e mãe, vocês são importantes para seus filhos, são referências. Seu filho não é um galho, seu filho é fruto que vai se transformar em outra árvore.

Quantas mães que têm filhos com 18 anos e ainda os trata como crianças, tirando-lhes a oportunidade de crescerem, fazendo-os dependentes.

Seja "gasolina", acenda o fogo. Seja incentivo. Se seu filho deseja aprender a fazer comida, incentive-o. Se ele quer fazer um arroz, ainda que queimado, deixe-o fazer.

‘Jesus lhe impôs as mãos nos olhos e ele começou a ver e ficou curado’. Imponha as mãos sobre os seus filhos, reze por eles, pois a oração tem poder. Peça o Espírito Santo sobre eles.

O filho bem educado é aquele que tem o mesmo comportamento na frente ou na ausência dos pais. Eduque seu filho, ensine 'que tudo lhe é permitido, mas nem tudo convém'.

Transcrição: Elcka Torres


 ADQUIRA ESTA PREGAÇAO PELO TELEFONE
(12) 3186-2600


 


Padre Alir Sanagiotto, scj


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo