Gestos de solidariedade, processo de conversão

Durante nossa vida, fazemos inúmeras experiências. Muitas delas nos marcam, seja positiva ou negativamente e, entre essas, vivemos também algumas experiências com Deus. Porém, a consequência dessa experiência depende da nossa abertura de coração. Por isso, vamos descobrindo, no cotidiano da nossa vida, quem é Jesus e o papel que Ele exerce em nossas vidas.

Era justamente o que Herodes procurava entender no Evangelho que a liturgia nos apresenta hoje. Vários relatos chegavam até seus ouvidos contendo relatos prodigiosos e testemunho de pessoas que mudaram após se encontrarem com Jesus. Mas isso só foi possível porque essas pessoas não viveram experiências de outras pessoas, mas foram ao encontro delas.

A nossa vida é consequência da proximidade que temos com Cristo. Quando não caminhamos com Jesus, damos espaço para que qualquer pessoa ocupe este lugar. Infelizmente, muitas vezes, esse espaço é ocupado por pessoas que não deveríamos seguir.

É claro que a presença de Cristo na minha história vai acontecer por meio de inúmeras situações e pessoas, por isso, para reconhecê-Lo, eu preciso abrir as portas do meu coração, lendo assim os sinais do Senhor.

Para isso, precisamos olhar para as pessoas assim como Jesus olhava. Ele não se prendia a rótulos ou preconceitos, mas fazia uma verdadeira experiência indo além. Precisamos, antes de mais nada, olhar com misericórdia para a história da pessoa e reconhecer que, por trás de tudo, existe alguém que é sinal de Cristo.

Uma prova disso é a história dos santos que celebramos hoje: São Cosme e São Damião, os quais colocaram seus dons a serviço dos menos favorecidos, atendendo todas as pessoas que não tinham condições de pagar os serviços médicos.

Eles só foram capazes de ir ao encontro do próximo porque, antes, fizeram um encontro com Jesus. Somente aquele que se sente realmente amado por Deus é capaz de amar verdadeiramente o próximo.

Quando vemos que algo está sobrando em nossa vida, é sinal de que está faltando para alguém. Se você abre o seu guarda-roupa e se depara com muitas roupas que não usa, com certeza existem pessoas que estão precisando delas.

Que o Senhor dê a graça de nos reconhecemos necessitados de uma profunda experiência com Seu amor e, com isso, impulsionados a ir ao encontro dos que mais necessitam.

 
Transcrição e adaptação: Gustavo Souza

Padre Flávio Sobreiro


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo