Homilia da Santa Missa de Domingo

A liturgia da Eucaristia que estamos celebrando, nos convida a refletirmos sobre o capitão, o guerreiro, que está na frente desta batalha onde todos nós somos soldados.
A Sagrada Escritura chama o Espírito Santo de Paráclito. Um de seus significados é 'aquele que vai à frente'.

Vamos refletir também sobre a água, que é simbolo também do Espírito Santo. Sem a presença do Espirito Santo, a derrota é clara. A vitória se dá quando o Espírito se faz presente. E para termos um bom combate, precisamos de fé.

O amor deve ser pedido, implorado, chorado. Pelo amor devemos fazer qualquer coisa.
O amor de Deus acompanha o cristão, o combatente, e nunca o abandonará.
Deus quer dar a nós o dom do Espirito Santo. Deus te trouxe aqui para preencher o teu coração com essa água viva, que é o Espirito Santo.

A segunda leitura nos orienta quando fala no inicio: “Irmãos: 14O amor de Cristo nos pressiona, pois julgamos que um só morreu por todos, e que, logo, todos morreram.” O que significa que o amor de Cristo nos pressiona? Esse amor de Cristo se revelou morrendo por todos, pois todos estavam mortos.
O amor de Deus não é o que nasce no teu coração para com Ele. É o amor de Cristo para contigo e com todos.

Aquele que motiva nosso coração, que pressiona, impulsiona, não é o nosso coração. É o amor de Cristo em nós, por nós.

Precisamos olhar para Deus. Se Deus não regenerar o coração do homem pelo seu amor, não conseguimos amar.

Mas onde está a ponte para que nosso coração experimente que é amado? Não adianta pragar sobre o amor se não o experimentamos. Como temos acesso a esse amor? São Paulo nos ajuda a compreender Romanos 5,5: “O amor de Deus foi derramado em nosso corações pelo Espirito Santo que nos foi dado.”

Como se faz experiencia do amor? É no coração. E coração significa mente, vontade, inteligência, sentimentos, afetividade. É tudo.
E é ai no centro da personalidade que desce o amor de Deus e Ele nos comunica seu próprio amor.

Quando Deus derrama seu amor pelo Espírito Santo em nosso coração, é que podemos viver, ser cristãos e combatentes, e enfrentar o desprezo, a cruz, o inferno.

O amor é eterno, não cansa, é paciente, é tudo, porque o amor é Deus.

Até os 41 anos, não saberia dizer o que acabei de lhes falar. Poderia falar teologicamente do Amor, mas nunca o tinha experimentado. E eu já era religioso e padre, mas nunca tinha tido a experiência do amor de Deus no coração. Já imaginaram a situação de alguém assim?

Foram 41 anos de vazio. Mas eu precisava me apoiar em alguma coisa e era no Direito Canônico da Igreja e as ordens de minha congregação.
Eu era um bom frade, mas não amava a Deus.
Estava tão cego e errado e tão fora do caminho, que não percebia a realidade tenebrosa, sendo sacerdote e religioso desse jeito.

Até que Deus teve misericórdia, e abriu meus olhos.
Deus falou com muita simplicidade.
Em um retiro no 1981, Deus me dizia no interior: 'José Luiz você não me ama e não ama a ninguém.' Eu me senti estranho e me defendi daquelas palavras: 'Como não te amo Senhor?'
Mas aquela palavra era mais poderosa do que minhas convicções.

Até que no momento do retiro houve confissões. E ali confessei que não amava a Deus e a ninguém. Envergonhado e sem saber o que acontecia comigo, mas sentindo a verdade de que estava fora do caminho de Deus, eu disse isso.

E assim foi. Eu estava completamente desnorteado. Me coloquei na fila para receber a oração dos intercessores. E falei aos meus irmãos sacerdotes tudo isso, e pedi que rezassem por mim para que Deus me fizesse experimentar esse Amor. Era 24 de abril de 1981.

E um padre rezava com palavras de Santo Agostinho: 'Ó beleza antiga e tão nova! Tarde te amei!.'

Eu tinha ouvido essas palavras desde os 10 anos de idade, mas nunca ouvira e sentira aquelas palavras daquele jeito. Percebi que Deus preenchia 41 anos vazios de minha vida. Ele estava me comunicando o Seu amor. Eu senti, tomou conta de mim o Espírito Santo, a graça de Deus. E comecei a chorar. Alegre, doce, suave.

E eu disse àqueles padres: 'Eu creio que Deus atendeu as minhas preces!'
E a partir daí minha vida mudou.

Deus é bom, compassivo e misericórdia.

A vida não é facil, mas o amor é sempre maior. Confie no amor de Deus! Para Deus não importa que condições você esta nesse momento. A única coisa que Ele quer, é que você tenha um mínimo de confiança e permita que Ele o mergulhe nesse oceano de amor que emana de Seu coração. Somente isso.

Que você lhe dê a oportunidade, e lhe dê a sua liberdade nesse momento e peça o Santo Espirito em seu coração. É isso que Jesus quer.

Deus grita: 'Se alguém tem sede, tem fome de amor, de ser amado, venha a mim! Não vá à prostituta, às drogas, ao bar. Venha a mim!' Este convite é de Jesus.

Estenda seus braços a Cristo, e abra o seu coração para que Ele o encha de amor. Abra-se para a água do Espirito Santo.

Transcrição e adaptação: Nara Bessa

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo