Ir para águas mais profundas

Ana Martins Godoy
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com
Eu senti, na pele, os efeitos de uma dependência química, quando ela entrou na família. Eu tenho dois filhos que se envolveram nesse mundo, e eu não consegui perceber, mesmo tendo formação em farmácia. Só me dei conta disso, que um deles era dependente, quando ele foi preso. Eu via algumas alterações no comportamento deles, mas eu achava que era algo natural da adolescência e sempre tratei isso com naturalidade.

Porém, quando me deparei com aquela situação, me vi sem reação alguma. Até que, um dia, descobri a Pastoral da Sobriedade e, nela, encontrei pessoas que passaram pelo que eu estava passando e foram sustento para minha luta.

Atualmente, a Pastoral tem registrado mais de 1.700 unidades no Brasil. Mas, mesmo assim, muitos agentes desanimam, pois o grupo em que atuam é muito pequeno ou existe dificuldade em lidar com este trabalho na comunidade.

Não podemos esquecer que o verdadeiro "timoneiro da barca" dessa pastoral é Jesus Cristo. Ninguém, além d'Ele, é capaz de nos levar para águas mais profundas. Mas não adianta ir para águas mais profundas se nós, agentes, não tivermos a ousadia de jogar as redes.

Se você não entrega tudo o que faz nas mãos de Deus, sinto muito, mas você pode ser agente de qualquer coisa, menos da Pastoral da Sobriedade. Aqui nada entra ou sai se não for pelas mãos de Cristo.

Vejo, pelo Brasil, muitos agentes que reclamam por não terem muitas pessoas em seus grupos, e que já pensarem em desistir por causa disso. Mas eu lhe pergunto: Você está preparado para multidões? Não podemos deixar que aconteça, assim como aconteceu na “pesca milagrosa”, que a Bíblia nos apresenta. Pedro não havia pescado nada durante a noite, mas, quando Jesus aparece e dá a ordem, eles não estavam prontos para aquela quantidade de peixes e as redes começam a se romper. 

"Experimente sair de si para ir ao encontro dos outros", recomenda Ana Martins Godoy
Foto: Natalino Ueda/cancaonova.com
Será que você tem "jogado a rede" dentro do seu próprio lar? Há quanto tempo que você não "joga as redes" no quarto do seu filho? Será que quando ele precisar você será capaz de corresponder?

Naquela ocasião eles precisaram chamar outros barcos para ajudá-los, pois a quantidade era muito maior do que o barco suportava. Da mesma forma, talvez você precise viver a experiência de se preparar hoje, deixar que o Senhor o capacite, para assim, cheio do Espírito Santo, conseguir corresponder ao chamado de Deus. Pois acredite: quando você menos esperar "a rede da sua pastoral" estará tão cheia quanto a daquela pesca milagrosa.

Para que isso aconteça, você precisa sair da sua acomodação, assim como os apóstolos fizeram. Eles não eram acostumados a pescar durante o dia, e muito menos naquelas águas em que se encontravam, mas, por obediência, o fizeram.

Experimente sair de si para ir ao encontro dos outros, porque, dificilmente, as pessoas que realmente precisam são capazes de buscar por ajuda. Já é a hora de parar de querer fazer as coisas do seu jeito e deixar que Deus seja realmente o Senhor dessa pastoral.

 
Transcrição e adaptação: Gustavo Souza

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo