Jesus acolhe as criancinhas

Hoje, como me disseram, é o início da primavera aqui, mas no hemisfério norte é o início do inverno; então, enquanto no hemisfério norte estamos nos preparando para o frio, aqui, no hemisfério sul, as pessoas estão esperando pelo calor do sol.

Ouça: Padre Rufus testemunha libertação de menina que vivia frustrada

Na tradição cristã a primavera é associada à ressurreição, e nestes três dias em que estaremos juntos, vamos celebrar a primavera do cristianismo. Embora exista uma diferença das estações entre os hemisférios, o tempo e o lugar não são tão importantes como a eternidade.

Eu ministrei um retiro numa ex-colônia de Portugal, na paróquia do Espírito Santo, em que durante as noites havia palestras e nas manhãs, orações e confissões. À medida que eu estava terminando os trabalhos e aguardando a próxima pessoa, que iria entrar, eu vi três líderes da RCC trazendo uma jovem para dentro da sala; eles estavam quase a arrastando. Essa garota estava chorando muito, dizendo que queria ir embora e apontava para uma direção dizendo que queria ir para lá. Disseram-me que ela apontava para o cemitério. Eles estavam indo para a igreja para ajudar no aconselhamento quando passaram perto do cemitério e viram essa moça com uma lâmina para cortar seus pulsos. Eles correram e a interromperam e a trouxeram para o padre. Eu a segurei pelas mãos e perguntei por que ela queria se matar. E finalmente ela começou a falar sua história.

Ela tinha entre 12 e 13 anos de idade e estava nas provas finais do colégio e havia sido reprovada e teria que repetir o ano. E quando ela apareceu para fazer a prova, mais uma vez foi reprovada. Sabia que estava pela terceira vez fracassando por ter que repetir mais uma vez. Nesse momento, eu resolvi lhe dar uma ordem, pois, muitas vezes, um dos grandes problemas por que os jovens passam é a sensação de fracasso, o que traz frustração para seus corações. Ela já tinha sofrido por três vezes o fracasso. Eu sabia muito bem pelo que ela estava passando. Para piorar ainda mais, o irmão mais velho dela disse que se ela fracassasse mais uma vez poderia sair e se matar. Isso é como uma rejeição, e pior ainda foi o que ele disse para ela: "Você pode sair e se matar". Isso é como uma maldição e lamentavelmente é muito comum nas famílias.

É muito difícil falar com crianças e pré-adolescentes – porque diferentemente dos adultos – eles não entendem o que falamos com eles. Então, eu disse para ela: “Você vai fracassar por uma terceira vez”, mas quero que você louve a Deus por esse fracasso. Ela viu que eu estava falando com autoridade, como ex-diretor de escola, que passar na 8ª série não era a coisa mais importante do mundo, e que eu estava falando isso com compaixão. Depois disso, ela sentou-se e aí eu disse: "Eu quero lhe dar um copo de água em sinal de que o Espírito Santo vai trazer vida nova a você”. Eu abençoei a água e ela, depois de tomar dois goles, colocou o copo de lado e disse que não queria tomar a água porque era suja. Mas eles a forçaram a tomar água e ela não queria sair da sala. Eu perguntei: "O que mais você quer"? Ela respondeu que queria chorar, e caiu sobre meu colo e começou a chorar.

Os padres vieram para minha sala para saber o que eu estava fazendo para a garota chorar tanto. Naquela noite, quando eu estava celebrando numa praça pública, ela veio para o palco e disse que queria dar seu testemunho. Na hora em que eu estava rezando por ela, ela percebeu que a família dela e ela estavam envolvidas com o ocultismo, até com feiticeiros porque ela estava fracassando nos estudos. Daí ela renunciou às práticas de ocultismo. Enquanto ela chorava, todo o ódio contra seu irmão desapareceu. Quando ela saiu da sala, novamente sentiu sede e encheu o copo de água, mas ela queira que fosse abençoado mais uma vez, virou-se para céu para que Deus abençoasse a água e a bebeu e Deus completou o que havia feito por ela.

Há um momento na nossa vida que é difícil, pois quando somos pequenos falamos tudo para nossos pais, mas quando nos tornamos adolescentes não falamos mais, e não sabemos o que fazer. É nesse momento da vida que precisamos de mais ajuda dos pais. O pré-adolescente vai até seus melhores amigos ou se baseia na internet.

Uma das histórias mais bonitas da Bíblia foi quando as mães levaram seus filhos para Jesus e os apóstolos ficaram correndo, e Jesus as acolheu. Jesus ficou zangado com eles por não quererem que as crianças fossem até Ele. Por isso Ele pediu que deixassem as crianças junto d’Ele e quando tentava definir o que era inferno e o que era o céu, Ele dava exemplos de crianças. E afirma que qualquer um que escandalizar um desses pequenos e principalmente alguém que conduz uma criança a pecar será melhor colocar um peso no pescoço e se lançar no abismo. Para a Bíblia um dos maiores pecados é fazer com que uma criança peque.

Existem três pecados contra as crianças:

Primeiro, o pecado do aborto. O segundo pecado contra ela é abandoná-las. Quando o pai ou a mãe a abandonam e não percebem o malefício que estão fazendo. A pessoa que passar por isso jamais apagará essa situação, somente se passar por cura interior. O terceiro é o abuso sexual infantil, quando o adulto toma vantagem da inocência da criança, é o pecado da decepção, usando da inocência para destruí-la. Satanás tem feito muito isso, e é uma epidemia no mundo.

Umas das piores coisas que aconteceram na Índia foi quando se descobriu que muitas crianças na capital estavam sumindo. Quando investigaram, encontraram os corpos de muitas delas perto da casa de um dos homens mais ricos da cidade e descobriram como elas eram levadas para lá e por que não saíam mais. O principal funcionário deste homem levava as crianças para a casa e abusava sexualmente delas, matava-as e comia a carne delas. Dá para acreditar que coisa dessa natureza aconteça? Isso é para quem ainda não acredita que satanás existe.

O que precisa ser feito para se entrar no céu? Jesus pegou uma criança, colocou-a na frente dos apóstolos e disse: "Se você não acolher o reino dos céus como uma criança, você não entrará". As crianças são inocentes, não desejam o mal para nada ninguém e confiam nas pessoas. Infelizmente acabam confiando nas pessoas erradas.

Tornem-se crianças no coração. A Palavra de Deus diz: "a menos que você se transforme em criança", o que, na verdade, significa: você tem que mudar completamente.

Jesus quando veio a este mundo não veio como adulto, veio como uma criança. Na verdade mesmo, Ele veio como um feto, por isso, diz que devemos ser como crianças. Por fim, o que Jesus dizia quando falava de Deus: "Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelastes aos pequeninos" (Lucas 10,21). Portanto, o cristianismo é a religião para as crianças e das crianças, para que nos tornemos crianças de Deus nosso Pai.

Certa vez, quando eu estava na Inglaterra, uma jovem veio pedir para que eu rezasse para que ela se libertasse da mágoa do próprio pai. As maiores dores que uma pessoa tem no mundo vêm do próprio pai; a menos que os pais sejam como Deus Pai. Essa moça veio falar de uma história triste vivida com seu pai. Infelizmente, quando ela era criança o pai  abusava dela sexualmente em estado de embriaguez. E ainda falava para ela ir para o altar da família ajoelhar-se e pedir perdão a Deus pelo pecado que ela tinha cometido. Às vezes nem conseguimos acreditar que isso existe. Normalmente as pessoas me falam isso porque acham que é a última esperança. Um pai violentando a filha e depois diz para ela pedir perdão a Deus porque ela cometeu pecado.

Ouça: Padre Rufus diz que quem não se torna como criança não entra no céu

Eu estava ministrando um retiro para umas freiras e me pediram para conduzir a oração de cura. Era a festa da Sagrada Família, um dia muito bom para oração de cura. Eu fiz a cerimônia e as pessoas se aproximavam uma após a outra para receberem oração. E eu perguntava: “O que você quer”? Talvez emprego, cura física, passar nas provas…, mas uma mãe chegou com um filho de uns nove anos de idade, e eu perguntei: “Para que você quer que eu reze”? E ela me disse que era para que seu filho se tornasse um bom menino, pois era um "diabinho". Mas eu não vi nem rabo nem chifre nele. Eu perguntei: "Por que você o chama de 'diabinho'"? Ela disse que ele nunca ficava junto para rezar o terço, apagava as velas, batia nas imagens e nunca se juntava à família nos momentos de oração. E que quando ele ficava nervoso era tão forte que nem três homens conseguiam segurá-lo; ele saía correndo e voltava depois de três dias.

Eu rezei por ele e disse: "Agora, ele vai se tornar um bom menino". Eu percebi que sua mão direita estava torta e fraca; perguntei para a mãe por que ele era assim e ela me disse: "Tem sido assim desde o nascimento, ele nunca usa a mão direita". Eu disse para ela que esperava que ela me pedisse para rezar para a cura da mão, mas ela disse: "Reze para que ele seja um bom menino". Eu disse para ela: “Eu já rezei, agora gostaria de rezar pela cura da mão direita dele". Quando eu estava rezando pela mão, lembrei-me da história de Jesus acolhendo as crianças e disse: "Jesus, como Você fez pelas crianças de sua época, acolha-o, coloque suas mãos sobre ele". E quando eu rezava por ele, vi Jesus colocando-o no colo e rezando por ele. De repente, vi que sua mão estava ficando reta e ficou completamente curada e liberta.

No dia seguinte, a mãe veio até mim com seu filho e me disse que quando voltavam para a casa o próprio garoto lembrou à família que era hora de rezar o terço, e ele mesmo acendeu a vela, ajeitou as imagens e começou a rezar o terço. E naquela manhã, ele mesmo pediu à mãe que o levasse para a igreja e ficou lá por uma hora. A mãe falou para mim: "Ontem meu filho disse que quando o senhor rezou, ele viu Jesus falando para ele: 'Agora que sua mãe o trouxe para ser um bom menino, Eu não só o farei um bom menino, mas também curarei sua mão'".

É por isso que Jesus diz: "Buscai, pois, primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e tudo isso vos será dado de acréscimo" (Mateus 6, 33). A mãe não veio buscar a cura da mão de seu filho, mas para que ele fosse um bom menino, então, Jesus fez a cura completa.

Ouça: Padre Jonas Abib reza pela cura interior dos fiéis, após esta pregação

Transcrição: Willieny Isaías
Fotos: Natalino Ueda


Adquira essa pregação pelo telefone:
(12) 3186-2600

 


Padre Rufus Pereira


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo