Jesus deu sentido ao sofrimento

Professor Felipe Aquino
Foto: Wesley Almeida

Toda a Palavra de Deus está ligada ao sofrimento, à morte; mas, para nós cristãos, ela tem um sentido. O cristão não sofre de forma desesperada, porque tem a sabedoria de Deus para enfrentar o sofrimento. Jesus fez do sofrimento uma matéria-prima da humanidade. Ele o usou para salvar o mundo.

Quando você apaga a luz, fica só a escuridão. Então a ausência de luz é treva. Quando o bem se retira, o mal toma conta, mas Deus é o bem perfeito. O sofrimento vem, em primeiro lugar, pelas nossas fraquezas e imperfeições; em segundo é o pecado. “O salário do pecado é a morte”(Rm 6, 23). A conseqüência do pecado é a morte. Eu não sofro só por causa do meu pecado, mas também pelo pecado dos outros.

Jesus veio ao mundo para tirar todo pecado. Deus escolheu João Batista para anunciar Seu Filho: “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Ele vai ser imolado para tirar o pecado do mundo, pois é a raiz do nosso sofrimento. É isso que fez entrar a morte no mundo.

A morte só vai deixar de existir quando o pecado deixar de existir. Cada um de nós cooperamos para o sofrimento do mundo, por isso devemos lutar contra ele. Esse é o primeiro ponto.

Uma das maneiras de Deus nos curar é pelos médicos, por isso temos que ter bons médicos. Outras formas de recebermos a cura de Deus é pela oração. Tudo vem de Deus.

Temos também o sofrimento da alma, assim como a depressão. É um mal do mundo moderno que oprime o homem. A alma do homem está ficando doente. O corpo está sendo curado, mas a alma não.

Não sabemos por que o outro está sofrendo. Aprenda com o sofrimento dele, aprenda também com o sofrimento dos seus pais. Muitas vezes, desprezamos estes sofrimentos, mas eles são uma riqueza para nós. O mundo de hoje tem muita técnica e é muito prático, mas não tem sabedoria. Precisamos cultivá-las, conversar com as pessoas sábias e de ‘cabelos brancos’. Se as escutarmos, não sofreríamos tanto.

Foto: Wesley Almeida

Por que nos afundamos no sofrimento? Por que afundamos em nosso medo e ficamos olhando para o barulho do mar e para o vento, como se esses barulhos fossem maior que o poder de Deus? Olhamos para os problemas e para as doenças, ao invés de olhar para o Senhor.

Não deixe o problema ficar “em cima” de você. O problema é real, mas não pode ficar sobre você, em nome de Jesus. Não aceite que ele tome conta de sua vida. “Não diga que você tem um grande problema, mas diga ao problema que você tem um grande Deus, que é maior do que ele”. Temos um Deus maior que os nossos problemas.

Deus é amor e Pai. Nenhum pai deixa seu filho sofrer à toa. Os pais levam as crianças para tomar injeções para não pegar uma infecção; isso dói, mas é para um bem maior. Isso é sofrer na fé. “Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus”( Romanos 8, 28).

Santo Agostinho nos diz se Deus não soubesse, do mal, tirar o bem; ele nunca permitiria que o mal nos atingisse. “Em todas as circunstâncias, dai graças, porque esta é a vosso respeito a vontade de Deus em Jesus Cristo.” (I Tessalonicense 5, 17). Você não vai dar graças pelo mal, mas pelo bem que Deus vai tirar deste mal.

Você quer oferecer o seu sofrimento para salvar o mundo? “O que falta às tribulações de Cristo, completo na minha carne, por seu corpo que é a Igreja” (Col. 1,24). Paulo nos fala que o seu corpo que é Igreja, por isso nos exorta. Ofereça a Jesus Cristo, no cálice da Missa, no cálice do Senhor, todo o sofrimento. É a sua oferta para Ele salvar o mundo.

Ofereça a Jesus o seu sofrimento.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo