Mas o justo viverá pela fé!

Daniel Ribeiro
Foto: Deividson Francisco/CN

Esse filho abandonado pela mãe era também abandonado pelo pai e, essa realidade existe em muitas famílias, e é uma injustiça. Saiu uma entrevista em uma revista internacional relatando que nos países mais "felizes" é onde ocorrem mais suicídios. Traduzindo: quando a vida perde o sentido, quando o que dá valor à nossa vida são as pequenas coisas, que não são essenciais para nós, cresce o número de suicídios.

Nós jovens somos tentados a viver o pecado influenciados pelas mídias, pelas novelas e filmes, a dar valor àquilo que não tem tanto valor, desse modo acontece essa inversão de valores. A fonte de todas as injustiças ocorre quando você não realiza na sua vida os valores de Deus. O povo reza, vai à Santa Missa, mas não acredita na fé; o que nos falta, na verdade, é colocarmos a fé que temos em prática! O problema é quando você tenta colocar a sua fé e os seus valores em prática; o que precisamos é juntar a nossa fé ao nosso dia a dia. Talvez você viva essa realidade, tem fé, mas não une sua vida à sua fé. Você namora, casa, compra uma casa, estuda, mas não dobra o seu joelho para agradecer a Deus.

"Você tem feito a vida acontecer ou está parado esperando?" pergunta Daniel
Foto: Deividson Francisco/CN

Como viver justamente? Quando agimos com a fé e a vida!

Como professor, estudando os problemas sociais, descobri que o maior problema do mundo não é a relação entre diferentes classes sociais, não é a economia, o problema não são as drogas, a prostituição, a violência. Claro que tudo isso existe e é mau, mas tudo isso é uma consequência de não colocarmos a fé em prática.

Nós precisamos ouvir, precisamos mudar, precisamos ser justos! Quando deixamos a solução dos nossos problemas para os outros, o problema aumenta mais. Você precisa ir solucionar os seus problemas em Deus!

Os jovens estão saindo às ruas com placas, gritando e querendo vida nova, isso já é um ato de muita coragem; eles estão se manifestando, pois não querem a injustiça. Mas não nos esqueçamos de que a nossa fé é a verdadeira base que nos sustenta!

Nós precisamos levantar um clamor, nós não queremos leis novas, nós queremos mudanças de comportamento, de valores, de atitude! Precisamos deixar isso bem claro. Então o que são os valores? Aquilo que nossos pais nos ensinaram: devolver aquilo que não é nosso, não roubar, não furar a fila; são valores que aprendemos quando estávamos no maternal. Madre Teresa de Calcutá, um dia, estava limpando uma ferida de um doente e uma pessoa disse a ela: ''Eu não faria isso nem por um milhão de dólares''. Ela disse: ''Eu também não, faço isso por amor a Deus!". Precisamos entender isso, nós fazemos coisas ao nosso próximo por amor a Deus! Nós não escolhemos a nossa vocação por dinheiro e, sim, porque vai encher a nossa vida de amor.

O movimento de fé, justiça e paz quer ser a resposta para essa injustiça que o mundo vive. Nós precisamos cuidar do nosso coração, pois corremos o risco de apontar o dedo para as pessoas. Cuidado, quando você aponta o dedo para alguém, pois, com um dedo você aponta para a pessoa, que você diz ser a culpada, e os outros dedos estão apontando para o chão e para você!

Izaías Carneiro
Foto: Deividson Francisco/CN

Meus irmãos, eu sei que muitas pessoas não vão se manifestar, mas a vida é feita basicamente de dois tipos de pessoas: daquelas que fazem a vida acontecer e daquelas que veem a vida acontecer. Se você vive essa realidade, se você não tem sede e fome de justiça, peça a Deus que não o deixe ficar parado, que Ele o ajude a mudar a sua sociedade. É uma alegria muito grande falar neste Kairós, Deus tem pressa e eu creio nessa urgência de Deus, pois é a urgência do Brasil! Os filhos de Deus têm de se manifestar em algum momento. A questão é que, quando estamos falando de justiça, falando de leis humanas, o que baseia o cristão deve ser a Lei Divina. Muitas vezes, vivemos um verdadeiro caos em nossas vidas; mas não é porque não rezamos, é porque não temos estratégias.

Justiça é vestir a roupa que Deus sonhou para cada um de nós. Para que a nossa vida tenha a ajuda de Deus, precisamos exercitar essa estratégia: tirar aquilo que não é necessário em nossa vida. Estratégia supõe maturidade espiritual. Muitos jovens querem mudar o mundo, transformar a sociedade, mas a estratégia começa nas pequenas coisas da vida.

''A justiça enaltece uma nação; o pecado é a vergonha dos povos'' (Provérbios 14,34).

O que vai prevalecer não é a esperança, e sim, o amor! O mundo tem medo de quem fala da relação de amor, pois acaba com todos os pecados. Amor é uma coisa que nós podemos ensinar para as outras pessoas, porque temos um Deus de amor! Gente do bem é gente que faz a diferença na vida!

Transcrição e adaptação: Karina Aparecida

 


Izaias e Daniel


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo