Mestre, queremos que nos conceda tudo o que Lhe pedimos

E aproximaram-se dele Tiago e João, filhos de Zebedeu, dizendo: Mestre, queremos que nos faças o que te pedirmos. E ele lhes disse: Que quereis que vos faça? E eles lhe disseram: Concede-nos que na tua glória nos assentemos, um à tua direita, e outro à tua esquerda” (Marcos 10,35-37).

Diácono Nelsinho Correa
Foto: Wesley Almeida/Cancaonova.com
Muitas vezes, não sabemos o que pedimos a Deus. Nossos pais tentam nos alertar da situação que estamos vivendo, mas não queremos ouvi-los e, depois, acabamos nos decepcionando e nos revoltando com o Senhor.

Pedimos tanta coisa a Deus e ficamos insistindo, apelando para que seja feita a nossa vontade, mas quando não ela não se realiza, entristecemo-nos; por isso é preciso entender que Deus sabe o que é melhor para cada um de nós.

Providência não é quando só ganhamos, mas também quando não ganhamos. Se Jesus Cristo não nos deu o que pedimos, é porque não era para nossa felicidade. Às vezes, sofremos, choramos e determinamos para Deus o queremos, ms não é sempre que recebemos.

No mundo de hoje, por qualquer coisa nós perdemos a fé; vivemos só no mundo do "mouse", porque queremos as coisas do nosso jeito rápido e fácil.

Meu irmão, minha irmã, o Reino não tem exceção. Nós não estamos sabendo o que pedir para o Senhor, pois Ele vê além dos nosso pedidos e nos livra, porque sabe o que é melhor. Muitas vezes, insistimos tanto e acabamos fazendo do nosso jeito; depois, se não dá certo – seja um namoro, noivado, casamento e até mesmo a faculdade ou trabalho -, decepcionamo-nos com Deus, porque não O escutamos.

Nosso querido monsenhor Jonas Abib nos diz: “Nada é coincidência; tudo é providência”. Muitas vezes, quando não conseguimos a graça desejada, é Deus nos testando, pois, por meio dessa atitude, Ele pode nos curar. Mesmo que demore para nos dar o que pedimos, antes Ele quer nos formar. O Senhor tem seus mistérios.

"Não sejamos como as crianças birrentas. Precisamos reagir; então, coragem! "
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com )
As crianças fazem birras, mas o pior é quando os adultos choram e fazem como os pequenos. Precisamos crescer! Até quando vamos nos lamentar, reclamar das situações? Se Deus não concedeu o que nós mesmos pedimos a Ele, não é para nossa alegria. É preciso crescer, amadurecer, pois o Senhor sabe o que é melhor. Não podemos servir a dois senhores; é preciso ser perseverante, pois, se a graça não chegou, é porque ainda não é o tempo. E para cada coisa existe um tempo debaixo do céu, o relógio do Senhor é diferente do nosso.

Em tudo, na vida, queremos culpar nosso Pai do Céu, com isso pronunciamos o nome d'Ele em vão. O mundo blasfema, mas nós precisamos respeitá-Lo.

Afinal, blasfemamos e reclamamos, porque Deus não nos concedeu o que pedimos. O importante é entender que o silêncio d'Ele não significa que Ele não nos escuta, pois Ele sabe o que e melhor para nós. Sejamos simples mesmo sem entender. Fale para Ele: “mesmo sem entender, Senhor, eu confio em Vós”.

Não sejamos como as crianças birrentas. Precisamos reagir. Coragem!

Deus pode dar-nos o que pedimos, mas se isso for o melhor para nós! Contudo, a fé é a certeza do que não vemos; então, sejamos perseverantes no Senhor.

Transcrição e Adaptação: Thaís Rufino de Azevedo

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo